Pizza em Nova York: Kesté, no West Village

Eu já falei milhões de vezes que a culinária italiana está entre as minhas favoritas. Mas chega a ser engraçado perceber que, quase sempre, em nossas idas a um restaurante italiano, a gente acaba sempre optando por um prato de massa ao invés de escolher uma piza (praticemente todo restaurante italiano tem pizza no menu). Porém, outro dia, fomos em uma turma no Kesté, que é uma pizzaria tradicional italiana. Daí, não teve outro jeito, tudo acabou em pizza, literalmente –  por mais idiota que esse trocadilho possa soar neste momento hahaha.

O Kesté é especializado em pizza no estilo napolitano e pertence a Roberto Caporuscio, um chef renomado mundialmente. Para vocês terem uma ideia, o local já recebeu selos como a pizza número 1 de Nova York pela New York Magazine, “Best Pizza” no estado de Nova York pelo Food Network Magazine, está entre os top 25 melhores lugares para pizza nos EUA, pela Food and Wine Magazine e entre as 5 mais autênticas pizzas fora da Itália (único local nos EUA) pelo Mr Porter. Com tantas indicações de peso, não é à toa que o restaurante conta com três filiais na cidade.

Kesté conta com mais de 70 tipos de pizzas napolitanas, todas originalmente criadas por Caporuscio. Além disso, o menu também conta com mais de 15 opções de pizzas sem glúten. A mais famosa é a Marguerita, feita com ingredientes orgânicos, incluindo a farinha, o queijo e o molho. Quem já teve oportunidade de comer pizza aqui nos EUA sabe que as porções são geralmente individuais – cada pessoa costuma comer uma pizza sozinha, de tamanho médio. Na nossa mesa, algumas pessoas dividiram e, para mim, foi suficiente dividir, mas depende da sua fome (cada pizza rende umas quatro fatias grandes). Eu e a Juliana escolhemos o sabor Del Re, com creme trufado, muzzarela, cogumelos, presunto de parma e manjericão. Estava deliciosa! Os sabores são mega variados – tem até opções veganas! Sério, são tantos sabores que fica até difícil escolher. No site do restaurante você pode conferir todas as opções. Os preços também são ótimos – diga-se de passagem. Há pizzas a partir de U$10! E não poderia deixar de falar da pizza de Nutella – sério, comam, vem com 12 fatias pequenas. Não tem explicação!

O Kesté não aceita reservas – mas, como mencionei anteriormente, há três endereços na cidade. Vale você chegar no Google os horários de maior movimento.

Endereços: 271 Bleecker St (West Village, aberto para almoço e jantar), 77 Fulton St (Wall Street, aberto para almoço e jantar) e 232 N 12th St (Williamsburg, aberto para jantar). 

5 programas no The Bronx em Nova York

Como falei outro dia aqui no blog, no post sobre 10 programas no Brooklyn, Manhattan já não é mais a protagonista dos roteiros das viagens a Nova York. Eu adoro explorar as opções fora da rota – e vocês podem perceber que aqui no blog estou sempre sugerindo programas no Queens, Brooklyn e… no The Bronx. Sim! O post de hoje é um convite para deixar o preconceito de lado e explorar essa área. Hoje, sugiro alguns programas imperdíveis para quem deseja fugir do roteiro comum!

New York Botanical Garden – o Botanical Garden é uma opção de passeio diferente na cidade. Obviamente, creio que seja mais vantajoso visitar o local na primavera, para poder conferir toda a belezura dos jardins de rosas, tulipas e azaleias. A área é extensa e conta com milhares de espécies, além de ter exibições periódicas. Um trenzinho faz um tour geral por todo o jardim – o que ajuda a dar uma visão do tamanho do local. Fica localizado no Bronx e dá pra chegar lá usando a linha 4. Para quem quiser ver mais detalhes, tem post e vídeo aqui. O ticket custa de U$20 a U$25, mas a entrada é gratuita durante todo o dia nas quartas e das 9 às 10 aos sábados. 

Endereço: 2900 Southern Blvd.
Bronx Zoo – esqueça o zoológico do Central Park – todo mundo que eu já escutei que foi lá se decepcionou, porque o lugar é pequeno. O melhor zoológico em Nova York fica no Bronx. Está entre os os maiores zoológicos metropolitanos do mundo, e é um dos maiores da América do Norte, com cerca de 6.000 animais, representando cerca de 650 espécies de todo o mundo. Teatro 4 D, jardim de borboletas e área especial para crianças são só algumas das atrações especiais do local. O ingresso custa U$30, mas você paga o que quiser às quartas, durante o dia todo. 
Endereço: 2300 Southern Blvd.
Little Italy – esqueça aquelas ruas do Little Italy de Manhattan, perto de Chinatown… se você quiser conhecer um bairro verdadeiramente italiano – e provar da gastronomia única – precisa conhecer a Little Italy do The Bronx. Gerações de famílias italianas deram à área um caráter de pequena cidade, especial e exclusiva e hoje o lugar é um dos melhores destinos para comprar pães, massas, carnes, bolos, salsicha italiana e mais. A qualidade e os valores são excelentes – e um ranking recente do Zagat Survey mostrou que os leitores deram status “Best Buy” para mais lojas da Arthur Avenue (a mais famosa do bairro) do que qualquer outro bairro em New York City. A melhor pedida? O Arthur Avenue Retail Market (2344 Arthur Avenue). O lugar é como um mercado público, com opções para comer e também para fazer compras. Não é uma área enorme, mas há um número considerável de estabelecimentos que oferecem charutos, café, carnes, frutas e legumes, produtos importados da Itália, cerveja, pizza e sanduíches. Clique aqui e confira um post completo sobre Little Italy.
City Island – conhecida como “Hamptons do The Bronx”, é uma ilha com aproximadamente 2,4 km de comprimento e 800 metros de largura e uma população de mais de 4300 pessoas. Visitar esse local é como se transportar para uma pequena cidade com clima super interiorano e lindas paisagens. City Island tem uma rua principal, a City Island Avenue, que corta a ilha de ponta a ponta. É nessa avenida que estão localizados dois pequenos supermercados, um posto de gasolina, uma farmácia, um banco, uma loja de ferragens, e uma variedade de outras pequenas lojas. A ilha é super famosa por seus restaurantes de frutos do mar e lojas de antiguidades. Paralelas à avenida principal, estão as ruas residenciais. Cheias de casas charmosas, uma mais linda que a outra, essas ruas fazem com que a gente se sinta dentro de um filme americano. Impossível não querer morar em uma daquelas casas. Clique aqui e confira um post completo sobre City Island.
Wave Hill – é um jardim público de 11 hectares e também um centro cultural.  O lugar é muito gostoso e calmo – e sem dúvidas o destaque fica por conta do Pergola Overlook. Wave Hill tem uma localização privilegiada, mais alta, o que proporciona uma vista incrível para o Hudson River e esse Pergola Overlook é como se fosse o cartão-postal do lugar. Numa espécie de cabana, cheia de folhagens, você vê o rio, a vegetação do outro lado e também tem uma ideia da dimensão do jardim. O local é tão especial que muita gente celebra casamentos por ali. Wave Hill fica em Riverdale, uma região bem residencial e super charmosa no The Bronx. Clique aqui e confira um post completo sobre Wave Hill.

E aí, gostaram? Ficaram com vontade de conhecer um desses lugares?

Mais 5 aplicativos para usar em Nova York!

Aplicativos facilitam muito a vida tanto de quem mora aqui em Nova York como de quem viaja pra cá. Aqui no blog, eu já escrevi inúmeros posts sobre apps que eu considero interessantes e úteis – e você pode clicar aqui para conferir todos os posts. Como esse é um assunto basicamente infinito, hoje eu trago mais 5 apps bacanas para você usar aqui em Nova York – seja você um morador ou um turista!

NYC Beauty – não poderia deixar de começar esse post puxando sardinha para o meu lado! O NYC Beauty é o aplicativo que lancei com meu marido em dezembro. Trata-se de um guia para compras de beleza em Nova York.  O NYC Beauty reúne várias lojas de cosméticos de Nova York, divididas em categorias: para economizar, farmácias e lojas multimarcas, maquiagem, cuidados com a pele, corpo, cabelos, marcas coreanas, lojas nicho, cosméticos naturais e perfumes. Dentro de cada loja, há ícones que indicam que tipos de cosméticos vocês vão encontrar naquela loja. O texto conta com uma descrição da loja/marca, informações e algumas dicas. Você vai encontrar também os endereços, horários de funcionamento e telefones. Ao clicar na foto principal da loja, você vai para uma galeria de imagens. Vale destacar também o “Mapa da cidade”, onde vocês vão ver todas as lojas cadastradas mapeadas e podem navegar por região. O app está disponível para iOS e a versão para Android será lançada dia 30 de maio! Siga nosso perfil no Insta @nycbeautyapp

NYC Ferry – o NYC Ferry é sistema de transporte de barco, que liga várias regiões da cidade e foi lançado há poucas semanas. Assim como o metrô, o NYC Ferry tem linhas, que faze, rotas distintas. São 6 linhas (duas delas começam a funcionar apenas em 2018).  O NYC Ferry pode ser muito conveniente para algumas rotas!  Neste post, você pode conferir todos os detalhes. Pelo app, você consegue não apenas conferir os horários dos barcos, mas também comprar seu ticket!

Citi Bike – quando o clima permite, explorar Nova York pedalando pode ser uma delícia. A Citi Bike atua aqui com bicicletas espalhadas pela cidade toda – e, nos últimos dois anos, o número de estações subiu muito! O funcionamento é simples: você pega uma bike em uma das estações e devolve em outra. Para os turistas, o melhor é o Day Pass – custa U$12 e dura 24 horas. Você usa a bicicleta quantas vezes quiser nesse período – em passeios de no máximo 30 minutos cada. No app da Citi Bike, você consegue comprar os passes e também conferir o número de bikes em cada estação – o que é muito útil!

Chef’s Feed – se você, como eu, ama comer, e ama descobrir restaurantes e pratos novos, acho que o Chef’s Feed pode ser um ótimo app! Disponível para mais de 50 cidades – incluindo, é claro, Nova York – neste app você pode seguir chefs de cozinha renomados e descobrir suas preferências. O app mostra restaurantes e a opinião de chefs sobre os pratos de lá.

Happy Hour Finder – para quem gosta de tomar uns bons drinks ou até mesmo uma cervejinha, o Happy Hour Finder é O app! Ele mostra, de acordo com sua localização, os bares e estabelecimentos com ofertas especiais para o horário de happy hour. Beber em Nova York fica mais barato com a ajuda de um app como esse, né? Afinal, nada melhor do que um drink depois de um longo dia!

10 produtos coreanos que são sucesso na Amazon

Há um tempinho, eu fiz um post citando de 10 produtos de beleza que são sucesso na Amazon – e você pode conferir a lista aqui. Como eu sempre estou falando de cosméticos coreanos, nada mais justo do que fazer uma lista similar dedicada a essa categoria, certo? Na Amazon, dá para encontrar uma infinidade de marcas e produtos – e eu considero os preços bem bons! Se você também adora uma compra online – e ama descobrir novos cosméticos – também vai curtir essa lista! Afinal, cosméticos coreanos são um verdadeiro mundo de possibilidades – cheio de produtos interessantes e diferentes! Abaixo, selecionei 10 itens que estão entre os mais vendidos no site!

 

Natural Sun Eco Sebum Control Moisture Sun, The Face Shop – se tem uma produto que as coreanas não abrem mão na rotina de cuidados, esse produto é o protetor solar. Esse protetor, além do FPS 40, conta com cobertura que dura o dia todo, controle de oleosidade e extrato de girassol, que previne a irritação da pele e proporciona proteção intensa. U$13 em média.

Perfect Cover BB Cream, Missha – o BB Cream foi criado na Coreia – ou seja, a gente não precisa pensar muito para concluir que os BB Creams coreanos são os melhores do mercado! Esse BB Cream da Missha é não só best-seller da Amazon mas também best-seller da marca. A cobertura dele é excelente, muito melhor que algumas bases, e o tem FPS 42. U$12 em média. Tem vídeo sobre esse BB Cream aqui.

Miracle Rose Cleanser in Stick, Su:m 37  – com extratos de flores, esse é um bastão de limpeza para pele. Se você analisar, o formato é super conveniente para viagens, pois não há risco de vazamento e também porque pode ser carregado na mala de mão. A fórmula, hipoalergênica e com mais de 90% de ingredientes naturais, cria uma espuma delicada para remover impurezas diárias, sem irritação. U$22 em média.

Salicylic Acid Exfoliating Cleanser, Cosrx – esse gel de limpeza tem ação exfoliante, que ajuda a remover células mortas da pele. Além disso, a fórmula conta com ácido salícilico, um poderoso ingrediente no combate a espinhas. U$10 em média.

 Jeju Volcanic Pore Clay Mask, Innisfree – é uma máscara de limpeza formulada com argila vulcânica da ilha de Jeju, na Coreia do Sul. Esse  Este ingrediente puro e raro, formulado a partir de lava solidificada causada por erupções vulcânicas, absorve impurezas e oleosidade que estão profundamente inseridos nos poros da pele. U$13 em média.

Moistfull Collagen Lotion, Etude House –  as pequenas partículas de super colágeno e água Baobab presentes nessa loção proporcionam hidratação intensa. A fórmula é leve porém firme e fornece nutrientes para a pele.  Além de hidratar, ajuda a firmar a pele. U$14 em média.

New Soothing & Moisture Aloe Vera 92% Gel, Nature Republic – esse é um best-seller não só na Amazon, mas também um best-seller da própria Nature Republic. Com 92% de extrato de Aloe Vera, esse gel multiuso pode ser usado como hidratante corporal, primer, loção pós-barba, máscara facial, tratamento capilar e mais… U$10 em média.

 Magic Food Banana Sleeping Pack, TONYMOLY  – O Sleeping Pack é um produto super comum na rotina de beleza das coreanas. Nada mais é do que um creme de hidratação intensa, que vai agir na sua pele durante a noite, fazendo com que você acorde com a cútis muito melhor no outro dia. Este tipo de produto deve ser o último da sua rotina noturna – depois de loção de limpeza, tônico, sérum e o seu creme hidratante tradicional, é hora de aplicar   E a diferença é realmente grande, a pele fica mais hidratada, com uma aparência melhor e revigorada. Sem contar o cheirinho! U$9 em média.

Time Revolution The First Treatment Essence, Missha – essence é uma categoria de produto para pele super comum na rotina das coreanas. Essa Essence é um best-seller da Missha e a fórmula conta com um concentrado fermentado que é absorvido rapidamente, reparado e nutrindo, em nível celular. Além disso, a Vitamina B3 ajuda a melhorar a elasticidade da pele, além de deixá-la radiante. U$28 em média.

Shiny Foot Super Peeling Liquid, TONYMOLY – vocês achavam que as coreanas se contentavam apenas com máscaras faciais? Que nada! Essa é uma máscara para os pés,  um peeling que remove calosidades e ainda proporciona hidratação intensa. Já usei esse tipo de máscara e funciona mesmo! U$10 em média.

E aí, gostaram da lista? Ficaram curiosas a respeito de algum produto?

4 restaurantes japoneses incríveis em Nova York

O post de hoje foi escrito pelo Gustavo Camargo. O Gustavo é leitor do blog, amante de Nova York e participante assíduo no nosso grupo lá  no Facebook. Pelos nossos papos lá, percebi que ele tem muito bom gosto, sempre recomendando restaurantes diferentes e, por isso, convidei ele para escrever um post para o blog e ele prontamente topou. O tema? Restaurantes japoneses em Nova York – ele confessa que tem uma certa fascinação com essa culinária.

Falar de New York – e de Estados Unidos – é falar de multiculturalismo. São milhões de estrangeiros em um país que se orgulha – ou, aparentemente, se orgulhava – de seus imigrantes. São carrinhos de comida halal, supermercados chineses, trattorias italianas, bistrôs franceses, casas vietnamitas… É possível que, por mais de 150 dias ininterruptos, você possa comer uma cozinha diferente. Imagine só que existem mais de 45 mil residentes japoneses na cidade. O país é terceiro colocado, apenas atrás do próprio Japão e do Brasil, em números absolutos de japoneses. Isso explica a forte presença nipônica nos cardápios nova iorquinos. Na minha última visita à terra da Estátua da Liberdade, pude conhecer quatro restaurantes totalmente distintos.

Yakitori Totto – o restaurante, ou melhor, isakaya – termo japonês que se traduz em algo como “boteco” –  leva a comida de rua japonesa a um outro nível. Ali, é difícil não encontrar uma opção que felicite até o mais chato dos viajantes. O cardápio é extenso. Há mais de duas dezenas de entradas. Dessas, destaco o Yakumi Zaru Tofu, um queijo feito de soja com uma textura muito semelhante às burratas italianas que derretem na boca. Delicado e delicioso.Mas, não fique apenas nas entradas, afinal, a casa é reconhecida pelos tradicionais espetinhos japoneses. Comece com um de takoyaki, espécie de bolinho recheado de polvo. Siga com o negi pon, espetinho de porco com molho ponzu levemente adocicado e o espetinho de Yaki Nasu, uma berinjela com pasta de misô. Se, assim como eu, for fã de gohan, o arroz japonês, peça um Yaki Onigiri, uma bola de arroz grelhada e acompanhada de molho (dê preferência ao misô). Se ainda tiver apetite, o Tsukune, uma espécie de almôndega de frango japonesa, é uma escolha certeira. Se quiser provar algo mais desafiador, vá de Una-Jyuu: fatias de enguia laqueada em um molho levemente adocicado sobre arroz. Para beber, não fuja do tradicional sakê ou shochu. Enquanto o sakê é um fermentado de arroz, o shochu é feito através da destilação. Se preferir um cocktail, peça o fresh fruit shochu, que vem com água com gás, shochu e uma fruta a ser espremida dentro do copo. Vale uma foto ou vídeo. O preço? Atraente. Dificilmente você gastará, com bebida, mais que $80 por casal.

Endereço: 251 W 55th St – site.

Sushi On Jones – o clima estava bom na primeira vez que fui ao Sushi On Jones. Ainda bem, porque o espaço fica a céu aberto em um dos cinco quiosques do Bowery Market. Não espere firulas. O foco aqui é algo rotineiro nas estações de metrô no Japão: uma degustação de doze peças em 30 minutos. A reserva, feita apenas através do arcaico SMS, é  necessária. São somente 6 lugares distribuídos no exterior do pequeno quiosque. O tempo, apesar de parecer curto, foi preciso. Conseguimos desfrutar da refeição de forma muito boa, sem qualquer entrevero. Na verdade, sobrou tempo para degustarmos duas peças extras. Todas excepcionais. O cardápio, como disse, não existe. Paga-se U$50 por uma degustação de peças pré-definidas. São 12 unidades que surpreendem a cada chegada. Caranguejo, camarão, vieira, peixe olho-de-boi, ouriço, enguia e até mesmo carne Wagyu maçaricada. Todos, claro, montados na hora – e finalizados com shoyu – e servidos do balcão para seu prato. O melhor, claro, ficou para o final. Um niguiri que unia carne wagyu maçaricada e ouriço. No final, faça questão de finalizar a refeição com algo extra. Aceite o hand roll – espécie de temaki –   ou peça pelo Big Mac, um niguiri que leva carne wagyu, ouriço, barriga de atum e mais um pedaço de ouriço. Ele não é bom. É celestial. O mundo precisa de mais Sushi on Jones.

Endereço: 251 W 55th St – site.

Ivan Ramen – a história do restaurante, por si só, já vale a visita. Mas, sinceramente, não vou entrar nisso. Abra seu Netflix e assista a 3ª temporada de Chef’s Table. Lá você encontrará a história e muito mais sobre Ivan Orkin, o dono da casa.  Com um cardápio enxuto e com preços atraentes ($16 por uma tigela de lamen quente), a casa preza por um dos melhores caldos que já provei. E, diga-se de passagem, não foram poucos. A reserva aqui é obrigatória. Desde o lançamento da nova temporada da série, a casa vive lotada e com filas. Pule as entradas e  mova rapidamente seus olhos para a parte de “Noodles”. Se estiver buscando algo sem muita potência, vá de Tokyo Shio Ramen. Uma tigela de caldo de frango temperada com dashi e sal e acompanhada de barriga de porco, ovos, cogumelos e o macarrão. Se estiver buscando algo mais complexo, vá de Tokyo Shoy Ramen que, ao invés de temperado apenas com sal, o caldo leva molho de soja. Mas, se seu dia foi cansativo, se sua perna está cansada e seu corpo precisa sentir que você o ama, faça um favor para ele e peça o triple pork. Como o próprio nome diz, é um mergulho de corpo e alma numa tigela rica de sabores suínos. Para beber? Siga a dica de quem te servir. Os preços são razoáveis se comparados a outros lugares da ilha e possui bons drinks japoneses e cervejas.

Endereço: 25 Clinton St – site.

Baohaus – não estranhe o local. Ele é realmente diferente de todos outros citados acima. Mas, acredite, isso não faz dele pior. Ele não é exatamente um restaurante. Considere ele um “fast food oriental”. Não há reservas, não garçons. Peça. Pague. Pegue. Mas, voltando, você não sabe o que é um Bao? Bao, ou bun, é a nova moda gastronômica. Pequenos pães cozidos no vapor e então recheados. Acredite. Vale a pena. Ao chegar, peça por um Chaiman Bao, que leva barriga de porco, picles, amendoim triturado, molho levemente adocicado e um pouco de coentro. O melhor? Ele custa apenas $4. Depois de três desses você estará satisfeito e me agradecendo pela dica. Torça para estar em um dia com algum Bao especial. Na última ida havia um de buffalo wings. Não era bom. Era genial. Se estiver pelo Brooklyn no final de semana você também poderá experimentá-los em Smorgasburg. Eles possuem uma barraca com um trabalho social com ex-presidiários. Inclusive escreveram um livro sobre receitas feitas na prisão.

Endereço: 238 E 14th St – site.

Bônus!  Kang Ho Dong Baekjeong – se você aguentou até aqui é porque gosta e quer visitar restaurantes um pouco diferentes, correto? Se esse for seu caso, recomendo adicionar o Kang Ho Dong Baekjeong a sua lista de restaurantes a serem visitados. É farto e delicioso. Fácil entender porque casas do famoso “churrasco coreano” não param de surgir na cidade. Quer um outro motivo para ir? O restaurante é uma parada de chefs renomados, como é o caso do inventor do “cronut”, Dominique Ansel e até mesmo do crítico gastronômico Anthony Bourdain. Se você não confia em mim, confie neles. O cardápio é simples e descomplicado. Seleciona-se o tipo de carne (bovina, suína) e só. O garçom chegará com mais de uma dezena de acompanhamentos, entre eles um tofu apimentado, kimchi e um delicioso picles do que pareceu ser beterraba. O carro chefe da casa é o Short Rib bovino. Se estiver em mais pessoas recomendo o Combo, que agrega mais carnes.

Endereço: 1 E 32nd St – site.

Gustavo, muito obrigada pelo excelente post! Já estou morrendo de vontade de visitar todos os restaurantes que você sugeriu!