Diário de viagem a Nova York – Giovanna Calis

O Diário de Viagem é uma seção que traz relatos de leitores do blog. Nesses relatos, eles contam como foi a viagem a Nova York, o que mais gostaram de fazer, o que não gostaram, dividem dicas, enfim: um diário mesmo. A convidada de hoje é a Giovanna Calis, de São Paulo, SP. Ela ficou 3 dias na cidade, em janeiro de 2018.  Para conferir mais relatos, clique aqui.

Depois de três dias muito intensos em Nova York e 16 nos EUA com minha irmã e meu pai, compartilho meu relato para mostrar que por mais que você tenha pouquíssimos dias em Nova York, dá sim pra ver e viver bastante coisa.

Tudo começou dia 18 de janeiro, quando saímos do aeroporto de Guarulhos para o JFK, pela companhia Avianca. Li muitas coisas no grupo, gente que ama a companhia e que odeia, mas eu e minha família amamos. Fomos muito bem tratados, comida boa, assentos confortáveis e entretenimento para todos os gostos. Chegamos em Nova York no mesmo dia, às 21h e fomos de taxi para o nosso hotel, Cambria Times Square, localizado na 46th, entre a 5ª e a 6ª avenida,. O hotel era maravilhoso e muito novo, banheiro com box, nenhum carpete, cama confortável, atendimento muito bom.

Como ir do aeroporto para o hotel?

Clique aqui para reservar o hotel Cambria.

1º dia: Acordamos às 8h e fomos tomar café da manhã no Dunkin Donuts. Não sabíamos que as coisas em Nova York abrem 9h ou 10h, então, tínhamos que fazer alguma coisa. Fomos pela 6ª avenida até a Macy’s, depois pela 5ª avenida até o Central Park, passando pelo Bryant Park e pela St. Patricks Catedral. Andamos até a metade dele e fomos almoçar no Shake Shack. Depois do almoço, provamos os cookies da Levain Bakery (melhores do mundo, mas muito grandes). Saímos de lá e pegamos o metrô até o Top Of The Rock. Por conta do horário conseguimos subir só no fim do entardecer. Ficamos um pouco chateados, mas valeu a experiência, a vista é maravilhosa. Da outra vez que fomos a Nova York, subimos no Empire State, a vista do Top Of The Rock é muito mais emocionante e bonita. Muita fila pra descer, poucos elevadores para a quantidade de pessoas, mas deu tudo certo. Fomos pro hotel descansar, pois tínhamos uma reserva no Carmine’s às 22h. Chegando o horário da reserva fomos para o restaurante e chegamos 10 minutos atrasados e, mesmo assim, nossa mesa estava lá e em 2 minutos fomos chamados. O Carmine’s é restaurante de turista? Sim. Mas vale a pena. Acredito que justamente pela atmosfera dos “turistas” o lugar fica ainda mais legal e os garçons são super atenciosos. Comemos o famoso Spaghetti com Meatballs e estava uma delícia, vale a pena e eu acho sim uma experiência muito bacana para se viver lá.

Clique aqui e confira um comparativo sobre os três observartórios da cidade.

2º dia: De manhã até a hora do almoço, passeamos pelo Soho, de longe o bairro mais charmoso de Nova York: muito agradável e sai um pouco do clichê. Depois, fomos andando até a Century 21, o lugar que mais vale a pena para comprar qualquer coisa rsrsrsrs, compramos mala, óculos, perfume, e íamos comprar mais, mas tínhamos tickets para o One World Observatory às 16h, então fomos para lá, onde tivemos uma experiência muito boa também. Pelo observatório ser novo, tudo é extremamente moderno, desde os elevadores até a própria vista. O Rockfeller ainda tem a melhor vista na nossa opinião, mas a experiência que o One World te faz viver é uma coisa inexplicável. Ficamos lá até anoitecer, saímos direto no Oculus, demos uma olhada nas lojas e voltamos para a Century 21 para mais compras. Pegamos o metrô e voltamos para o hotel para descansar.

3º dia: Acordamos, pegamos o metrô e fomos para o Brooklyn, mais especificamente para o Brooklyn Bridge park para tirarmos fotos e apreciarmos a vista que é maravilhosa. Depois das fotos, atravessamos a ponte em direção a Manhattan, e, chegando lá, andamos até Wall Street, tiramos foto com o Touro e depois fomos de metrô até o Chelsea Market almoçar. Escolhemos o Hale and Hearty, é um lugar onde você monta sua salada e com certeza foi a melhor salada que ja comi na minha vida: depois dela nenhuma outra é suficientemente boa rsrsrsrs acho que todo mundo tem que fazer pelo menos uma refeição lá. Depois do almoço, fomos andando até o Highline, e fomos até o final dele. Ouvi alguns relatos negativos a respeito do parque, mas eu achei incrível. Você passa por entre os prédios apreciando a vista, vê a vida acontecendo e muitas pessoas interagem com você, é muito legal. Depois do Highline, fomos andando até nosso hotel, uma caminhada grande. Descansamos um pouco e, às 22h, fomos procurar um Halal Guys, porque não podíamos ir embora sem provar hahahahaha. Tinha um a 5 quarteirões do hotel, estava vazio e a comida era maravilhoooooosa. É tudo muito simples, todo mundo come na rua mesmo, não tem nada chique, mas é muito muito muito gostoso, também acho que todo mundo tem que provar essa comida de rua que é a cara de Nova York. Voltamos para o hotel e descansamos até às 8h do dia seguinte, quando pegamos nosso carro e partimos para mais 12 dias de viagem em D.C, Atlanta, Orlando e Miami.

Comida de rua em Nova York: delícias que você precisa experimentar

Considerações finais:  Entrei no blog da Laura e no grupo mais ou menos em junho de 2017 e, de lá até a data da minha viagem, posso dizer que aprendi muitas coisas, tive muitas ideias de passeios, restaurantes, lojas. Com tudo que eu li e aprendi posso dizer: façam aquilo que vocês têm vontade, por mais clichê que isso pareça. Por exemplo, muita gente não indica o Carmine’s, e muita gente indica, mas se você tem vontade de conhecer, vá, e se você não tem, simplesmente não vá, escolha outro restaurante, respeite as coisas que você gosta, seu orçamento e sua vontade. Nova York é uma cidade para todos os gostos, todo mundo sempre encontra algo que ame. Andar de metrô não é tão difícil quanto parece, e andar a pé é uma delícia, você acaba nem percebendo. Andávamos uns 20 quilômetros por dia e no fim do dia estávamos mortos, mas muito, muito felizes.

Obrigada Laura por todas as dicas, e obrigada à galera do grupo que sempre tem algo pra contribuir. Espero poder ajudar pelo menos um pouquinho, e transmitir o amor que esse lugar passa.

Giovanna,  obrigada por esse relato, vai ajudar muita gente com poucos dias na cidade!

Gostaram do relato da Giovanna? Se você quiser participar, envie seu relato para análise para laura@lauraperuchi.com COM FOTOS, seu nome completo e cidade/estado. LEMBRE-SE que é preciso ser detalhista. Não precisa escrever um livro, mas seu relato tem que ser informativo!

Estudando maquiagem em Nova York: Chic Studios

Outro dia, eu pedi sugestões de pautas para o blog lá no meu Stories (@laura_peruchi) e uma seguidora sugeriu que eu falasse de escolas de maquiagem em Nova York além da Make Up For Ever Academy. Eu já escrevi sobre a Make Up For Ever Academy aqui no blog – neste link, vocês podem ver todos os conteúdos relacionados. Mas, não se trata do único lugar para estudar maquiagem na cidade! Pesquisei a respeito do assunto, encontrei algumas escolas bem interessantes. Uma delas é a Chic Studios. Estive lá pessoalmente conferindo o local de perto e conversando mais com a equipe e adorei! Por isso, decidi escrever sobre a escola.

A Chic Studios é uma escola de maquiagem licenciada pelo Departamento de Educação do estado de Nova York e já está no mercado há 9 anos. Além da unidade em Nova York, a Chic Studios conta com unidades em Los Angeles, na California, e em Denver, no Colorado. O time em Nova York conta com 7 professores – todos com pelo menos 10 anos de experiência na indústria de beleza e ainda atuando na área. A escola não é muito grande, mas sua estrutura atende às necessidades. São duas salas de aula, um escritório, refeitório e também uma sala extra que pode ser reservada pelos alunos graduados realizarem trabalhos profissionais – como, por exemplo, atender alguém. E isso sem custo algum. Achei tão legal!

A Chic conta com 10 modalidades de cursos. Os destaques ficam por conta do Master Makeup Artistry Makeup e do Professional Makeup.

Currúculo do Professional Makeup (4 semanas) – história da indústria da maquiagem, técnicas de higiene e preparo, aplicação de base, maquiagem noturna, toria da cor, aplicação de cílios postiços, cuidados com a pele, uso e funções de produtos, aplicações passo a passo e maquiagem dia, técnicas de olho esfumado e delineador líquido, maquiagem natural, design de sobrancelha, maquiagem para noivas, maquiagem para pele madura e homens, técnicas de correção, looks de passarela, TV e videoclips, além de aulas de marketing, para ajudar você a crescer com o seu business de maquiador/maquiadora. O valor é de U$3,625.00 – saiba mais aqui.

Currículo do Master Makeup Artistry (5 semanas) – inclui todo o conteúdo do Professional Makeup mais workshop básico de hair styling e técnicas de airbrush e tanning (bronzeamento). O valor é de U$4,940.00 – saiba mais aqui.

Além disso, tanto o Master como o Professional incluem kit de maquiagem e pinceis (cujo valor é de U$500 a U$600), kit de produtos de skincare, formulários para cadastro nos programas Pro das marcas e photoshoot profissional. O Master Makeup ainda inclui kit de Airbrush.

Os outros cursos são: Beauty Makeup (2 semanas), Bridal + Beauty (8 domingos), Basic Makeup (1 semana),  Airbrush Makeup (2 dias),  Hairstyling for Makeup (3 dias), técnicas focadas (4 dias), TV + Music Video (4 dias), Fashion + Runway (4 dias), Bridal Makeup + Business (uma semana). Para saber mais detalhes sobre cada curso e os valores, basta clicar aqui. Vários desses cursos também incluem kit de produtos!

Outra coisa que achei super legal na Chic é que eles oferecem a maioria dos cursos em duas opções de horários: durante o dia ou durante a noite (os cursos no turno noturno costumam ser uma semana mais longos). Também achei o máximo que alguns cursos já incluem kit de maquiagem e pinceis – e há um estoque enorme de produtos para serem usados lá. Ah, e vale lembrar que a Chic é super democrática em relação às marcas: tem de Nyx a Giorgio Armani. Como me explicaram, ninguém é 100% fiel a uma marca e é por isso que eles prezam pela democracia nesse quesito, ensinando os alunos a aproveitarem o máximo de tudo.

Não estudei na Chic, mas todos os reviews no Google e no Yelp são cinco estrelas. Inclusive, 75% dos alunos da Chic é ou de fora do país ou de fora do estado de Nova York.

Importante: as aulas são todas em INGLÊS.

Acesse o site da Chic e confira mais detalhes. Se você se inscrever, não esqueça de mencionar que viu aqui no blog!

Endereço: 139 Fulton St. Suite #600

Compras: meus melhores investimentos na Amazon – parte 2

Há alguns meses, eu escrevi um post aqui no blog listando os melhores investimentos em compras que já fizemos na Amazon. Vou reiterar aqui o meu amor por compras online, especialmente por compras na Amazon. Como eu contei da outra vez, somos clientes Prime – que dá frete grátis de dois dias em vários produtos. Por causa da conveniência – e dos preços, que muitas vezes são muito melhores que nas lojas físicas – acabamos comprando muitas, mas muitas coisas no site. No meu primeiro post – que você pode conferir aqui –  eu foquei em eletrônicos. Desta vez, tem eletrônicos e outros itens que achei que mereciam ser destacados.

Philips Pasta Maker – foi o nosso presente de Natal para nós mesmos! Eu e Thiago amamos comer massa fresca em restaurantes italianos aqui em Nova York e um dia, navegando pelos Stories alheios no Instagram, vi uma máquina da Philips. Eu pirei! Pesquisando na Amazon, descobri outras marcas também. Depois de ler reviews e assistir a alguns vídeos no Youtube, optamos por esse modelo, na versão remanufaturada, que é mais barata. Estamos amando nossa experiência! Já fizemos macarrão e lasanha. O funcionamento é muito simples: você acrescenta a farinha,  liga (escolhe qual cliclo: 300g ou 600g) e aí vai adicionando os líquidos água e/ou ovos. Em 10 minutos, massa fresquinha! A máquina veio com quatro saídas diferentes, para fazer massas diferentes (spaguetti, fetuccini, penne e lasanha) e dá para comprar outros. Voltagem 110v.

Na minha página da Amazon listei mais alguns modelos!

KMASHI Portable Power Bank – quem tem smartphone e usa bastante como eu, sabe que a bateria não dura muito. Se fico fora o dia todo ou se estou viajando, uso bastante o celular, e aí, já era: a bateria vai embora num instante. Por isso que um carregador portátil virou item indispensável na minha bolsa. Hoje eu uso esse de 10000mAh. Ele costuma dar de duas a três cargas e o melhor é que tem entrada para dois cabos, ou seja, dá para recarregar dois celulares ao mesmo tempo.

Spiralizer 5-Blade Vegetable Slicer – acho que o macarrão de abobrinha não é mais novidade para ninguém, né? Uma amiga que me apresentou o Spiralizer: é um aparelhinho manual para espiralizar vários tipos de vegetais – não só abobrinha. É bem interessante para quem gosta de fazer receitas mais saudáveis. Ele tem várias lâminas, que permite que você espiralize os vegetais das mais variadas formas possíveis, mais grosso ou mais fino. Se você investir nesse aparelhinho, acho bacana pesquisar receitas – você vai ficar espantado com a diversidade de pratos doces e salgados. Recomendo o livro Inspiralized: Turn Vegetables into Healthy, Creative, Satisfying Meals

Kindle Paperwhite E-reader  – esse é um dos gadgets preferidos do Thiago. Ele é usuário do Kindle há muitos anos! Comprou o primeiro quando ainda morávamos no Brasil. No Natal, acabei comprando o Kindle Paperwhite de presente e ele está amando. Conta com Wi-Fi e é super fácil de ser utilizado. Um dos maiores diferencias dessa versão do Kindle é a regulagem do brilho da tela, ou melhor, do “papel”, permitindo uma leitura tranquila durante a noite e o dia. Além disso, o fato de ele ser 100% touch screen acaba fazendo com que o uso seja muito mais natural do que nas versões anteriores do Kindle com teclado. A dificuldade de aprendizado é praticamente nula, afinal todos nós hoje utilizamos smartphones touch screen.

Infiniti Pro by Conair Hair Dryer – secador de cabelos é um acessório indispensável na minha rotina, não vivo sem! Quando eu vim morar em Nova York, comprei um da Conair. Depois de quatro anos, ele já estava pedindo para ser aposentado. Fiquei um bom tempo pesquisando a respeito até que decidi pelo Infiniti Pro também da Conair. Tem 1875 W de potência, é leve, conta duas temperaturas e jato frio. Sério, é muito potente! Excelente custo-benefício! Voltagem 110v.

Infiniti Pro by Conair Spin Air Rotating Styler / Hot Air Brush – essa é aquela famosa escova giratória com secador, também da Conair. Também acabei comprando por influência de uma amiga. Consigo modelar os fios enquanto seco mas gosto de usá-la para outra função: fazer ondas nos cabelos. É só usar a escova na vertical. Tem que pegar o jeito, mas é muito fácil e o resultado é diferente daquele obtido com o baby liss, sabem? Voltagem 110v.

Canon PowerShot G7 X Mark II  – eu tenho uma câmera da Nikon, semi-profissional, para fotografias e para vídeos parados. E, por muito tempo, eu fiz vlogs usando o celular, mas chegou um momento em que eu quis investir numa câmera especial para isso. Daí pesquisei e fiquei apaixonada por esse modelo da Canon. Foi um excelente investimento. A câmera grava em Full-HD e tenho curtido muito trabalhar com ela. Além disso, tem visor retrátil (dá para virar para mim quando quero me filmar) e ela também tira fotos com uma qualidade incrível!

Magnetic Spice Tins – eu amo cozinhar – acho que deu para perceber né? – e amo temperos! Nosso espaço estava ficando pequeno para tantos vidrinhos de especiarias, ervas e pimentas. Foi quando vi esse kit de potes magnéticos de uma amiga e decidi comprar. Eles ficam na lateral da minha geladeira e não ocupam espaço – e ainda incrementam a decoração. O kit vem com 16 potes, além de adesivos e colheres de medida.

Gostaram das dicas? Lá na minha página da Amazon eu listo vários produtos que uso e indico!

Reichenbach Hall: um bar alemão em Nova York

Há alguns dias, uns amigos celebraram aniversário e chamaram a turma para comemorar num bar. A escolha foi o Reichenbach Hall, que é um bar alemão. Nossa experiência foi tão legal e eu curti bastante o lugar, então, resolvi dividir a dica aqui no blog. Afinal, uma pausa durante a viagem para beber uma cervejinha não faz mal a ninguém, né?

O mais legal do Reichenbach Hall é que se trata de um local tipicamente alemão. Os criadores Keith e Willy Reichenbach são netos de alemães que imigraram para Nova York no passado. Eles cresceram assistindo à avó, Gerda, preparando delícias típicas da Alemanha, como salsichas e pães especiais. Não demorou para desenvolverem um paladar aguçado para as cervejas alemãs. Foi assim que eles criaram o Reichenbach Hall, um lugar para comer e beber como se você estivesse na Alemanha. A ideia é se sentir na Oktoberfest todos os dias.

Primeiro, preciso falar sobre o espaço. O lugar é gigante, com várias mesas coletivas – e, quando se trata de Nova York, sabemos que espaço é raro! É possível fazer reserva e, como éramos um grupo grande, ocupamos uma mesa e metade de outra e ficamos ali por algumas horas. Diferente de outros bares, onde às vezes as opções de comida são limitadas, o Reichenbach Hall já se destaca justamente por conta desse menu. Há muitas especialidades alemãs, como Pretzel, linguiças variadas e sanduíches. Os preços começam em U$4 e vão até U$25. Acabei optando por um Bacon Cheese Burger, servido com batata frita, (U$15). Estava sensacional, delicioso!

E claro que a seleção de bebidas também é caprichada. Há um menu de drinks e 14 opções de cervejas alemãs, como Benediktiner Weissbier, Hofbrau Maibock, König Ludwig Dunkel Weiss, Hubertus Schwarzbier, Licher Oktoberfest e Reichenbach Pils. A grande maioria custa a partir de U$8 (500 ml e outras opções maiores).

Tem também uma opção bem interessante para quem está comemorando ou simplesmente quer entrar na brincadeira: um drink “coletivo” de whisky. Os copinhos são fixados numa tábua e os participantes têm que “virar” a dose juntos.
db3dada2-a735-4887-8fe1-3519e222be6a

Outro ponto bacana do Reichenbach Hall é a localização, principalmente para quem está viajando: fica em Midtown – 5 West 37th Street – e abre todos os dias, a partir das 11h30 da manhã!

As fotos são da Martha Sachser – ela também escreveu sobre o local neste post aqui!