comprasviagem

Conhecendo a Primark na Philadelphia

Quem me acompanha pelo Instagram (@laura_peruchi) e pelo Snapchat (lauraperuchiny) viu que passamos o fim de semana na Philadelphia. Temos uns amigos morando lá agora e fomos fazer uma visita. A gente já conhecia a cidade – estivemos lá em fevereiro e você pode conferir nosso roteiro aqui. É um lugar charmoso, com bastante coisas legais para fazer e fica a apenas 1 hora e 45 minutos de ônibus de Nova York. Esses dias lá foram bem leves (não no sentido gastronômico haha), sem agito. No sábado, fomos conhecer o King of Prussia, shopping center que fica a 40 minutos da região central e é o segundo maior dos Estados Unidos. Nossa visita teve como objetivo conferir a loja da Primark. A gigante fast fashion famosa na Europa pelos preços super baixos chegou à América este ano – a primeira loja abriu em Boston há quase dois meses. E como a rede é bem conhecida, resolvi escrever um post para contar para vocês um pouco mais sobre a loja e os preços – assim, já dá pra ter uma noção de como será a unidade em Nova York (a primeira deve abrir na Black Friday do ano que vem, em Staten Island, como já contei aqui,  mas a Primark também procura um endereço em Manhattan).

Como eu mencionei, a Primark é famosa pelos preços baixos. E quando eu falo em preços baixos eu falo de valores mais baixos que os praticados numa Forever 21, por exemplo. É de ficar de cara com alguns números nas etiquetas. E eu estava curiosa para conferir como esses valores chegariam aqui, em dólar (pois estive em uma das lojas em Londres em 2012, na época em que a libra custava 3 reais). Mas a Primark manteve sua tradição, com valores bem baixos mesmo. Blusinhas de manga comprida por U$4, regatas por U$1,60, pijamas de dormir por U$13, moletons por U$6, camisas por U$10, bolsas a partir de U$7, chapéus por U$10, kit de meias por U$3, jeans por U$10… Como dá pra ver na arte abaixo, os valores são bem atraentes.

E é aí que mora o perigo. Com tantos preços baixos, a chance de você sair comprando tudo apenas pelo fato de que está barato é grande! Por isso, aconselho a tentar dar um freio na empolgação e até a fazer uma triagem na sacola antes de passar pelo caixa. No fim das contas, eu acho a Primark ótima para coisas básicas – como blusas lisas, roupas de ginástica, meias, pijamas e por aí vaí. Ou para apostar em alguma coisa diferente, que você vai usar pouco. Eu, por exemplo, comprei uma bota de cano longo na cor vinho por U$32, um preço muito baixo para um calçado deste. Mas, considerando que não será um item que eu usarei tanto quanto uma na cor preta, acredito que tenha sido mais inteligente pagar este valor do que gastar U$100, por exemplo. A Primark também não é o lugar para encontrar roupas super fashionistas – não há muita coisa diferente. Também é legal sempre fazer uma comparação – as camisas sociais masculinas, por exemplo, estavam na faixa de U$10 – U$15, o que eu particularmente não acho vantajoso, já que, na Century 21, por um pouco mais, você encontra camisas de marcas famosas e de qualidade superior.

Outra coisa interessante que vale ser destacada sobre a Primark é a infra-estrutura da loja: há Wi-fi grátis, banheiro e sofás confortáveis espalhados com carregadores USB disponíveis. Sem contar que os funcionários são muito atenciosos. Vale lembrar – para quem não conhece a loja – o mix de produtos: além de moda feminina e masculina, há roupas para bebês e crianças, itens de decoração, além de cama, mesa e banho e uma vasta seleção de acessórios. Tudo seguindo essa premissa dos preços baixos.

Para quem quiser conferir a loja ao passar pela Philadelphia, a dica é usar transporte público. Saindo da região Downtown, as linhas de ônibus 124 e 125 param lá e cada passagem custa U$3,75 (você pode pagar na hora, mas é bom ter o dinheiro trocado).


2 Comentários

  1. Olá, a loja que tem em nova jersey , da pra ir e voltar tranquilo? vale a pena? vi que de bus da em torno de 2h saindo de manhhantan

Leave a Response