Blog da Laura Peruchi – Tudo sobre Nova York
turismo

Viajar não é “riscar da lista”: como organizar seu roteiro para Nova York

Um dos tipos de mensagens que mais recebo das pessoas que me seguem nas redes sociais e acompanham o blog é referente ao roteiro. Esse tópico também é recorrente lá no grupo do Facebook. São sempre as mesmas questões: ou as pessoas querem um roteiro pronto, ou elas querem saber os pontos imperdíveis, ou elas querem saber quanto tempo devem ficar em cada atração ou como dividir cada dia da viagem. Depois de ver essas perguntas se repetirem inúmeras vezes, decidi escrever um post para tentar esclarecer alguns pontos para vocês.

1. É impossível conhecer Nova York em apenas uma viagem – faz três anos que eu escrevo sobre Nova York e eu costumo brincar com o meu marido que a gente deve muita coisa ao blog. Se não fosse o meu exercício de postar todos os dias, eu duvido muito que a gente conheceria tantos lugares diferentes por aqui. Isso sem contar os restaurantes e lojas. Nova York é uma cidade que se reinventa todos os dias. Você sabia, por exemplo, que já há mais dois observatórios programados para abrir nos próximos anos? E que Staten Island vai ganhar um outlet e uma roda gigante no estilo da London Eye? Não dá para pensar que você vai cobrir toda a cidade em 7 dias aqui. E, para mim, essa é a graça da Big Apple. Por isso que eu sempre fico surpresa quando alguém comenta que “já viu tudo em Nova York”. Tudo é impossível. Uma vida inteira aqui não é suficiente para aproveitar tudo.

2. Roteiro é algo muito pessoal – existem vários tipos de viajantes. Há aqueles que não abrem mão do conforto de ficar em um hotel e há os aventureiros que curtem um hostel. Há ainda quem prefira a experiência de alugar um quarto no Airbnb. Também existem viajantes com os mais diferentes orçamentos: gente com grana para comprar muito e gente com grana para comprar pouco, gente com grana para comer em restaurantes bacanudos e gente que prefere comprar lanches e fast food. A internet é maravilhosa: dá pra encontrar roteiros prontos em vários sites de viagens e também nos grupos de Facebook. Mas, não esqueça de uma coisa: roteiro é algo pessoal. É bem interessante olhar o dos outros para ter uma ideia nova para o seu. Mas, lembre-se: seja o seu orçamento apertado ou não, uma viagem para Nova York não é algo barato. E aí eu te pergunto: você vai gastar toda a sua grana para usar o roteiro de um estranho? Dedique-se, arranje tempo: é a sua viagem. Faça dela algo especial.

3. Planejamento, planejamento, planejamento – não adianta dizer que não tem tempo. A gente arranja tempo para as coisas boas da vida e se você arranjou tempo para pesquisar passagens e para pesquisar opções de estadia, você também pode arranjar tempo para fazer a pesquisa para a sua viagem. Sugiro dividir o seu processo em etapas. Primeiro, liste tudo o que você já conhece ou ouviu falar sobre Nova York – pontos turísticos, lojas, restaurantes, programas. Depois, pesquise sobre a cidade. No caso, vou puxar a sardinha e dizer: faça um “intensivão” aqui no blog e no meu canal do YouTube. Gente, sério, tem tantas perguntas que eu recebo que estão respondidas aqui… O conteúdo está aqui, prontinho pra vocês e DE GRAÇA. Acessem o índice do blogque lista todos os posts, de todas as categorias. Fica muito fácil visualizar o conteúdo. E pesquisem outros blogs, outros sites, outras fontes… dicas nunca são demais!

4. Organização dos dias – depois de pesquisar bastante, filtre aquilo que te interessa e acrescente à sua lista. Depois, abra o Google Maps e vá marcando os pontos no mapa, priorizando aquilo que mais te interessa. Lembre-se que em Nova York dá pra se locomover facilmente de metrô – e tem uma série de vídeos explicando tudo aqui no blog. O Google Maps simula os trajetos de um ponto ao outro a pé, usando metrô ou carro. E assim fica fácil como dividir cada dia. É mais prático, obviamente, explorar uma mesma região por dia.

5. Viajar não é riscar da lista – Você calcula duas horas para caminhar no Central Park mas aí você chega lá e vê que o lugar é muito maior do que imaginava. Você começa a caminhar, decide alugar uma bike, depois resolve comer alguma coisa. O tempo está estourando. E agora? Relaxa! Viajar não precisa ser um “riscar da lista”. É aproveitar! Curtir cada momento! E se permitir mudar de ideia. Por isso que eu confesso que acho até engraçado quando vejo roteiros cronometrados. Planejamento é algo ótimo, sim, mas não se sinta mal se não conseguir fazer tudo que colocou no papel. Essa cidade é tão intensa que é um desperdício passar pelos lugares só para dizer que passou. É por isso que, por mais que me peçam, eu ainda acho que não devo escrever posts para falar sobre o tempo gasto em cada atração. Quem sou eu para colocar tempo na viagem dos outros?

6. Faça uma viagem do seu gosto – óbvio que você vai encontrar milhares de sugestões do que fazer em Nova York – tanto aqui no blog como em vários outros blogs, portais, livros e revistas. Mas, lembre-se: a viagem é sua. Não ache que você precisa ir a determinado lugar só porque todo mundo vai ou porque alguém indicou. Não existe certo e errado. Existem opiniões, vivências, relatos e existem os seus gostos e os seus sonhos. Não tem vontade de ir na Estátua da Liberdade? Bem, então você não precisa gastar dinheiro para ir até lá só porque todo mundo vai. Não curte museus? Eu também não curto. Por que você vai perder tempo (em dólar, diga-se de passagem, hehe), para fazer algo que não gosta ou não está a fim?

7. Lembre-se que gastos também são pessoais – todo mundo quer saber quanto dinheiro trazer para Nova York, mas a verdade é que isso depende de muitos, mas muitos fatores. Vários detalhes influenciam no seu orçamento, e isso inclui o seu estilo como viajante e suas intenções com a viagem. Como sempre digo, é necessário bastante pesquisa e organização, para você ter uma ideia, adiantada, de quanto vai gastar. Atrações têm preços estipulados, restaurantes têm menus e para produtos que você quer comprar há sites para pesquisar preços. Clique aqui e confira um post para ajudar a definir os seus gastos.

Dica extra: ok, você ainda se sente perdido, você fica muito nervoso sem saber decidir, você não encontra tempo, você está desesperado… ? Ok! Não tem problema! Existem profissionais especializados em assessoria para viagem, com conhecimento para montar um roteiro de acordo com o seus gostos e preferências. Recomendo muito o trabalho da Patricia Toussie, mais conhecida como Nyorquina. Ela faz roteiros personalizados e também presta assessoria durante o seu período de viagem. O e-mail de contato dela é nyorquina@gmail.com


2 Comentários

  1. Post maravilhoso! Bem isso, planejamento e tranquilidade.
    Não adianta viajar pilhado pra fazer tudo correndo.
    E sempre, falando um NYC quanto mais tempo melhor 🙂

  2. Laura, vc foi perfeita nas suas colocações. O ano passado fui em Vegas e todo mundo me criticou porque não assisti um espetáculo do cirque de solei. Eu dizia ” simplesmente porque não gosto” então vc está correta temos que curtir o que mais gostamos não o que dizem.

Leave a Response