Blog da Laura Peruchi – Tudo sobre Nova York
turismo

Aeroportos em Nova York: dicas sobre check-in, bagagens, passagens e mais

Se tem um assunto que sempre gera dúvidas, esse assunto é aeroporto (e tudo relacionado a ele). Atire o primeiro bilhete quem nunca teve dúvidas sobre horários, franquia de bagagens ou documentos… Foi por conta de várias perguntas que já vi no grupo lá no Facebook que resolvi escrever esse post, para resumir algumas informações gerais e importantes quando falamos de voos para Nova York (e também de voos internos). Espero que as dicas sejam úteis!

Os aeroportos em Nova York – a Big Apple está muito bem servida neste quesito – são três aeroportos que servem quem viaja para a Big Apple. Dois ficam localizados na cidade – o John Kennedy International Airport – mais conhecido como JFK – e o Laguardia. Ambos ficam no Queens (fora da ilha de Manhattan). Em Newark, no estado de New Jersey, fica o Newark International Airport. Se você está vindo do Brasil, provavelmente vai desembarcar no JFK ou no Newark. O Laguardia é um aeroporto menor, com muitos voos domésticos. Muita gente pergunta qual o melhor aeroporto para desembarcar. A resposta é: qualquer um. Não há necessidade de pagar uma tarifa maior para descer em um aeroporto específico, pois todos são super bem servidos no quesito transporte até a cidade. Neste post, você pode conferir todas as opções de transporte dos aeroportos. Ah, aqui nos Estados Unidos você só terá acesso ao duty free saindo dos EUA e indo pra outro país.

Passaporte – é de nossa responsabilidade conferir se o nosso passaporte está em dia – incluindo a data de expiração do documento e também a data de expiração do passaporte. Quando você comprar sua passagem, confira o prazo dessas datas. Os destinos mais comuns entre os brasileiros exigem validade de um a seis meses. Para quem sai do Brasil e vai entrar nos EUA, entretanto, os prazos são mais brandos: como parte do “Six month club”, viajantes brasileiros só precisam que a estadia esteja dentro da validade do documento, sem prazo extra. Ou seja, quando você voltar ao Brasil, seu documento precisa estar válido. Também é bom lembrar que não há problemas caso o passaporte esteja vencido e o visto não. Neste caso, você precisa carregar os dois passaportes com você.

Bagagens e franquia – a questão das bagagens vai passar por uma grande mudança, pois as companhias aéreas brasileiras logo poderão cobrar pela bagagem despachada. Se você comprou passagem antes da mudança, lembre que os voos do Brasil tem franquia de 2 malas de 32kg por pessoa. Em caso de conexões – e se você comprou todos os trechos juntos – permanece a maior franquia. Lembre-se também que você precisa retirar sua mala na primeira cidade do seu país destino. Supondo que seu destino final seja Nova York, mas seu voo tem uma conexão em Miami – é necessário retirar as malas e despachá-las novamente. O mesmo vale para o Brasil. Se o seu destino final é Florianópolis, mas seu voo para primeiro em São Paulo, é preciso retirar as malas, fazer alfânfega e despachá-las novamente. Outra coisa: se no seu retorno ao Brasil você tiver conexão dentro dos EUA (o voo fizer escala em Miami, por exemplo antes de chegar em São Paulo), provavelmente não será necessário retirar a bagagem. Lembre-se sempre de confirmar com sua companhia aérea onde pegar as malas.

Imigração – da mesma forma que acontece com as malas, a imigração também acontece na primeira cidade do seu país de destino. Então, vale o exemplo anterior. Supondo que seu destino final seja Nova York, mas seu voo tem uma conexão em Miami – é em Miami que você vai fazer a imigração. Ao voltar ao Brasil, se o seu destino final é Florianópolis, mas seu vôo para primeiro em São Paulo, é em São Paulo que você faz a entrada no Brasil (com a apresentação do passaporte) e passa pela alfândega. Voos dentro dos Estados Unidos são nada mais que voos domésticos – ou seja, você não vai passar pela imigração novamente. 

Check-in – ninguém quer correria na hora de voar, certo? Se você for fazer um voo doméstico aqui nos Estados Unidos – ou estiver se preparando para voltar ao Brasil – tenha sempre muita cautela. É preciso estar no aeroporto com antecedência (eu gosto de estar lá duas horas antes, pelo menos, seja voo doméstico ou internacional), para poder despachar malas, fazer check-in e passar pela segurança com tranquilidade. Calcule o tempo de deslocamento e considere a questão do trânsito. Lembre-se que o fluxo em Nova York funciona assim: de manhã, o fluxo maior é em direção a Manhattan, no fim do dia é o contrário.

Voos internos – aqui nos Estados Unidos, os voos domésticos têm algumas diferenças com o Brasil, mas não tem muito mistério. Para pesquisar passagens, eu sugiro o Google Flights, porque ele já mostra o preço final dos voos, com as taxas inclusas, e o calendário também aponta quais datas são mais baratas. Além dele, você pode usar o Kaiak e o ExpediaVocê não precisa estar nos EUA para comprar as passagens, pode pesquisar tudo do Brasil (até porque comprar passagens em cima da hora só encarece a conta, né?). Também sugiro pesquisar no site da JetBlue e da SpiritEssas companhias aéreas aparecem no resultado das buscas dos sites citados, mas às vezes contam com promoções para datas específicas – e se você tiver flexibilidade, fica mais fácil de encontrar uma boa tarifa. Lembre-se que a franquia de bagagens das companhias aéreas depende da tarifa escolhida – as mais baratas não dão direito a mala despachada. Então, se estiver planejando despachar, tenha em mente que é preciso pagar por isso (cada companhia aérea estabelece seu valor, começa, em média, a partir de U$20) e que o peso máximo é 23kg (se for mais, você pagará mais). Cheque sempre no site da companhia aérea e no seu voucher as informações sobre bagagens. Outra coisa que é importante lembrar é que a maioria dessas empresas só fornece bebidas gratuitamente (água, suco, café) e a comida é vendida. Você pode levar algum lanche a bordo – mas não pode embarcar com líquidos, lembre-se da restrição para passar no raio X.

MOTORISTA BRASILEIRO: Está procurando um transfer particular com motorista brasileiro? Clique aqui.

 Vocês têm alguma dica para acrescentar?


2 Comentários

  1. Oi Laurinha, tem cia aérea que vc não precisa obrigatoriamente pegar a mala na conexão dentro dos EUA. Eu já fui de AA Rio/Miami/Orlando entregando a mala no Rio e só pegando em Orlando e vice versa. Não sei quais outras fazem. E agora com essas mudanças/ cobranças…
    Bjus!

Leave a Response