Category

estudar

Vídeo: Como aprendi inglês

As pessoas têm muitas curiosidades sobre a vida no exterior. Como é a vida por aqui, como vim parar aqui, se quero voltar… e como era meu inglês quando cheguei em Nova York. Achei que seria interessante contar para vocês um pouco da minha jornada no aprendizado da língua. Espero que curtam!

Cursos de atuação em Nova York

Como eu já disse em outra oportunidade, não é fácil cobrir todos os assuntos em Nova York… afinal de contas, escrever um blog é muito mais do que apenas descrever informações. A ideia aqui é compartilhar através de vivências. E se eu não tive tal vivência, como vou falar a respeito? Bem, algumas pessoas pediram para falar sobre cursos de atuação – beijo Nayara! – e aí eu convoquei a super querida Bia Borin para me ajudar nessa missão. A Bia é atriz, apresentadora e Youtuber do canal NYTipsBR, morou aqui em Nova York e agora está em Los Angeles. Espero que curtam o post – e confiram o trabalho da Bia aqui.

“Se você é ator e quer se aprimorar e ter novas experiências, seu destino será ou Londres ou Nova York. O meu foi Nova York.  Eu já cheguei em uma fase da vida em que nada é muito simples, especialmente quando se tem um filho. Mas ainda sim, é super possível! Tudo depende da vontade, orçamento e planejamento. Agora, se você está começando a carreira… se joga!

Objetivos são importantes!  Você tem que pesquisar muito antes de aplicar para uma escola ou curso. E responda às questões como, por exemplo:

  • Eu quero/posso ficar na cidade por quanto tempo, mais ou menos?  Digo “mais ou menos” porque existem vááááááários casos de pessoas que chegaram para ficar um mês e BUM! Apaixonaram-se pela cidade e estão até hoje por aqui hahahaha
  • Quero me aprimorar no que, exatamente e qual é o meu plano para isso? Teatro musical? Câmera? Ou sou iniciante e quero ter uma experiência em um curso/escola que me dê uma noção geral de tudo?
  • Quero uma graduação de faculdade ou um curso livre?
  • Qual o meu nível de inglês?

A partir destas questões, sua busca será orientada. Além do meu relato, eu entrevistei dois atores que passaram por experiências distintas. Cada história é uma história, claro, e você vai fazer a sua. Aliás, minha dica principal é estar aberto para mudanças no meio do caminho. Sua vivência será mais leve – e incrível.

1. Cursos livres de “acting on film”,  por Bia Borin – São cursos que não dão visto. Seu nível de inglês deve ser mais avançado (não precisa ser suuuuuuuuper fluente não) e você tem que ser um ator mais experiente. Não recomendo para quem está começando. São cursos focados em atuação para câmera, pois o meu foco (lembram-se do “objetivo” acima?) era me aprofundar em cinema e TV. São cursos mais em conta, mas uma vez por semana apenas, girando em torno de 300 dólares/mês. Veja as minhas sugestões:

Apt 929 com Clark Middleton – o Clark é ator maravilhoso, já fez séries como “The Blacklist” e filme com Tarantino. A última série que ele fez foi “The Path”. As aulas são verdadeiras discussões sobre atuação, e você fica com o material gravado na semana, o que é legal para ter um portfólio em inglês. Mais informações no site.

Kimball Studio – Eu tive aulas com a Janine DiTulio. Ela foi indicada 6 vezes ao Emmy como roteirista/produtora de TV. Eu adorei a aula dela! Super dinâmica e ela, por ser roteirista, tem uma visão da sua atuação através da história, o que acho o máximo. Você também fica com o material gravado nas aulas. Mais informações no site.

2. Atuação no “Lee Strasberg”,  por Juliana Suaide – foco no “Método” (Method Acting) . Oferecem cursos de 3 meses até 2 anos. Você pode se registrar para os de 3 meses a qualquer hora e fazer quantas vezes quiser também. O Lee Strasberg é uma das mais famosas e tradicionais escolas de atuação em NY. O que acho diferente e bacana é que os cursos não são separados por níveis, todos têm classes juntos. Isso faz com que todos estejam revisando toda hora conteúdos básicos e ao mesmo tempo se aventurando em exercícios mais avançados. Quando você é contratado para atuar em uma peça/film,e você é obrigado a trabalhar com pessoas de diferentes níveis de atuação, e isso faz com que você esteja preparado para isso também. O preço varia para cada curso, mas começa com o de 12 semanas (3 meses) por U$6.250,00 mais U$150 de taxa de inscrição.  Alunos famosos: Marilyn Monroe, Scarlet Johansson, Miles Teller, Uma Thurman, Alec Baldwin, Sienna Miller, Barbra Streisand, Chris Evans entre outros. Mais informações no site.

3. Teatro Musical, por Gabriel Malo – O que eu mais acredito é que não existe distinção em teatro musical. Isso acaba engessando as pessoas a pensar que o fazer do Teatro Musical é diferente do fazer teatral. E aí tudo acaba ficando muito “cópia”, você fica preso a padrões, ao invés de experimentar. O caminho para mim em Nova York seria procurar separadamente as escolas mesmo. Estudar TEATRO é a primeira coisa. Tem várias escolas, como o Lee Strasberg etc. O Bob Cline Casting dá aulas para fazer audição, aulas em grupo, eu acho isso importante. Escolher qual a música certa, entender o seu perfil para fazer a audição para um musical. Sempre tem oficinas. Mais informações no site.

Dança! Aulas de dança são super importantes. Steps on Broadway é maravilhoso (International Student Program). Eles dão visto de estudante, então você fica legalizado no país. Você precisa fazer um número de aulas de dança por semana e, por ser uma escola livre com todos os estilos, ainda tem pilates,  além do ballet, do jazz, do sapateado, jazz musical. Para mim, uma das coisas mais importantes ao fazer musical hoje em dia é entender o cuidado que você tem que ter com o seu corpo. Poucas escolas de musical tratam do estresse que sete ou oito sessões de um espetáculo por semana causam no seu corpo. Por isso, eu acho o pilates essencial para você entender como funciona sua musculatura. Mais informações no site.

E, paralelo a isso, é bacana procurar uma aula de canto – há muitos professores bons. Posso citar o que me dava aula e que é maravilhoso, que é o Joe Waggoner. Ele está em cartaz com o “School of Rock”. Muito bom professor. Ele abre muito a cabeça para você entender onde vibra o seu idioma para que você não fique imitando os outros, mas que encontre a sua voz. Mais informações no site.

O mais importante é: procurar as referências certas em cada área ao invés de uma escola que ensine tudo. Isso porque se entender melhor como ator, cantor e amadurecer fisicamente como bailarino é sempre uma pesquisa individual. Uma escola de musical faz com que você fique um pouco bom em tudo. Mas se você se aprofundar separadamente (junto com o coaching do Bob Cline, por exemplo) você fará a diferença por você ser… você.

Pesquise muito, prepare-se… mas arrisque-se! (desde que não passe muito perrengue, né?)

Outros cursos de teatro para você pesquisar e ver se cabem no seu gosto – e bolso:

HB Studio: http://hbstudio.org
American Academy of Dramatic Arts (Anne Hathaway, Paul Rudd e Jessica Chastain): https://www.aada.edu
Atlantic Acting School (Jessica Alba, Simon Helberg, Elizabeth Olsen): https://atlanticactingschool.org
Circle in the Square (Kevin Bacon, Lady Gaga, Irina Menzel): http://www.circlesquare.org
Stella Adler Studio of Acting (Robert De Niro, Salma Hayek, Anthony Quinn): http://www.stellaadler.com
Neighborhood Play House (Eli Wallach, Jeff Goldblum, Christopher Meloni): http://neighborhoodplayhouse.org

Há ainda as faculdades para graduação/mestrado em atuação, direção, dramaturgia… ou também os cursos de verão! Os primeiros são mais salgados e dão visto, claro. Mas você tem que se preparar bastante e exigem proficiência em inglês. Mas as instituições geralmente oferecem oficinas de verão, o que reduz o preço (mas não dão graduação). Algumas:

Columbia University: http://arts.columbia.edu/theatre-arts
The New School: http://www.newschool.edu/drama/mfa
NYU/Tisch: http://tisch.nyu.edu/drama
CUNY: http://www.gc.cuny.edu/Page-Elements/Academics-Research-Centers-Initiatives/Doctoral-Programs/Theatre

Nova York tem milhares de possibilidades para o teatro que você quer fazer (cobri apenas algumas). Mas o mais importante é você se planejar para vir e estar aberto para sair da sua zona de conforto. Venha preparado tanto para realizar seu sonho quanto descobrir outros tantos mundos que você jamais imaginou. E como dizemos no teatro: MERDA!

Beijo. Bia Borín

Muito obrigada Bia por esse post! Espero que possa ajudar quem está pensando em estudar atuação em Nova York!

App Cambly: para aprender inglês online, a qualquer hora e em qualquer lugar

Acho que ninguém vai negar que inglês é um idioma fundamental nos dias de hoje, certo? Seja para impulsionar a carreira ou seja para viajar. Claro que é possível viajar para muitos lugares sem falar inglês, inclusive para Nova York – mas o entendimento da língua sempre facilita a sua vida, seja para entender o cardápio ou para pedir informações ou até mesmo para tentar uma interação social com os nativos (até mesmo para se virar em situações chatas e difíceis). De fato, acredito que até a auto-confiança da pessoa fica melhor quando ela viaja sabendo falar inglês e acho que o Cambly é uma das melhores maneiras de ganhar fluência na língua. Calma que vocês já vão entender mais!

Eu já falei aqui no blog sobre a minha história com o inglês – você pode conferir neste post aqui. Basicamente, falar inglês fluentemente sempre foi uma meta na minha vida. E eu nem sabia se eu ia usar ou não – eu só sabia que queria muito aprender. Estudei em colégio público e inglês era uma das disciplinas que eu mais gostava. Eu também amava traduzir as minhas músicas favoritas. Esse meu lado auto-didata acabou me ajudando bastante quando eu decidi, mais tarde, depois de formada, finalmente entrar em um curso. De lá pra cá, muita coisa mudou. Se antes aprender inglês era algo que ficava limitado a um curso particular ou a livros e CDs, hoje a internet mudou drasticamente esse cenário e só não aprende quem não quer (ou quem não tem acesso à internet). Sempre senti falta de uma ferramenta para praticar a fala e escuta da língua com americanos. Por isso, quando o pessoal do Cambly entrou em contato comigo para falar sobre o aplicativo e o método deles, não tive dúvidas de que seria uma ótima dica para vocês.

O que eu mais gostei no Cambly é que ele traz o conceito de  “on demand” – que vemos em serviços como o Netflix e no Spotfy. O que isso significa? Que há professores 24 horas por dia, 7 dias por semana, disponíveis para dar aulas particulares de inglês. Você pode praticar inglês a qualquer hora e em qualquer lugar – basta ter um computador ou um smarphone conectados à internet. Hoje em dia, todo mundo tem uma rotina intensa, às vezes com horários malucos e nem sempre dá para encaixar um curso numa escola nesse cenário. Ou então, você já tem um nível bom de inglês e está cansado dos métodos tradicionais – nada melhor do que treinar o seu inglês com um professor nativo que vai saber te ajudar onde melhorar. O Cambly se encaixa em várias necessidades!

O aplicativo está disponível na App Store e na Google Play. Depois de baixar, você faz o login – e pode usar sua conta do Facebook para isso – e vai seguindo as telas. O uso do app é muito intuitivo. Em poucas telas, você informa qual o seu objetivo com as aulas (para trabalho, para estudar fora, para passar num teste, para melhorar no geral…), o que você deseja praticar (melhorar pronúncia, aprender dicas de gramática, praticar vocabulário…), que tópicos te interessam (negócios, notícias, entretenimento, esportes…) e qual o seu nível (iniciante, básico, intermediário, avançado…). Baseado nas suas respostas, o Cambly seleciona os tutores compatíveis com as suas necessidades.  Você consegue ver quem está online (bolinha verde) e quem está ocupado (e em quanto tempo estará livre). Também é possível agendar sessões (escolhendo o dia, hora, tempo e tutor). Ah, e lembre-se: você também pode usar a plataforma no computador. E pode rever sua aula depois! Achei o conceito do Cambly incrível, de verdade.

Outra coisa bem  bacana é que a aula fica gravada e você pode rever quantas vezes quiser! Também vale lembrar que o Cambly conta com alguns professores que também falam português, o que é ótimo para quem é iniciante. 

Novos usuários do Cambly tem 5 minutos gratuitos na plataforma – mas pedi pra eles uma aula experimental maior, exclusiva para os leitores do blog, e é só você usar o código laurany, que terá direito a 15 minutos gratuitos. O Cambly oferece planos super flexíveis, com valores para todos os bolsos – que dependem da frequência de aulas que você deseja. Achei um excelente custo/benefício considerando que os professores são de países como EUA, Canadá e Inglaterra e que as aulas são particulares.  Você pode clicar aqui e acessar a o opção “planos” – é só arrastar as bolinhas conforme desejar.

Se você realmente quer aprender inglês, o Cambly é a melhor maneira, afinal a gente só aprende falando. É importante superar a vergonha ou timidez e começar o quanto antes, pois é necessário estar preparado para falar o idioma quando uma oportunidade de viagem ou de trabalho chegar

Este post é um publieditorial.

Estudando moda em Nova York: as três escolas que estão entre as melhores do mundo

Não há dúvidas de que Nova York é a capital da moda. A cidade tem liberdade de estilo, é lançadora de tendências, sede de uma das semanas de moda mais importantes do mundo, berço de importantes estilistas. É aqui também que se encontram lojas das grifes mais famosas do mundo e é aqui que marcas do mundo todo vêm pesquisar tendências. E é claro que com um mercado tão aquecido não poderiam faltar escolas de moda.

Não é de se admirar que muita gente que quer em trabalhar nessa área tenha o sonho de estudar aqui. Há também quem já atue na área e queira se especializar – e aí, por que não escolher a capital do mundo para incorporar mais conhecimento? Desde 2010, o site Fashionista divulga um ranking anual das melhores escolas de moda do mundo. Neste ano, a lista com 25 escolas inclui três de Nova York. Os critérios do ranking incluem preços, ex-alunos que são bem-sucedidos, além do feedback dos alunos contando suas experiências, qualidade do corpo docente, aconselhamento de carreira e as opções de ajuda financeira. E as três escolas de Nova York que apareceram na lista foram a Parsons, o FIT e o Pratt Institute. Vale lembrar que a Parsons e o FIT também entraram no ranking das Top 10 melhores escolas de moda do mundo do site Business of Fashion.

Como eu sei que o assunto “estudar moda em Nova York” causa interesse em muita gente, decidi aproveitar o ranking do Fashionista para apresentar essas escolas e dar um resumo do que elas oferecem. Lembre-se que cada escola tem suas exigências e prazos para matrículas – que podem ser consultados diretamente no site de cada uma. A minha intenção aqui é dar um breve resumo, algo que pelo menos ajude no início das pesquisas de quem pensa em estudar moda em Nova York. Antes de mais nada, é bom entender um conceito das faculdades daqui: Undergraduate é graduação e Graduate é pós-graduação, ok?

Parsons, ocupando o terceiro lugar na lista – A Parsons é provavelmente o sonho número 1 dos estudantes de moda de Nova York. Com nome forte, tem entre seus ex-alunos nomes como Donna Karan, Marc Jacobs, Tom Ford, Narciso Rodriguez e Alexander Wang. Seus programas de gradução são Fashion Design e Strategic Design and Management e de pós-graduação são Fashion Studies e Fashion Design and Society. Você pode clicar para acessar as páginas de cada um e conferir detalhes como currículo, corpo docente e procedimentos para admissão – incluindo detalhes para estudantes internacionais. As pós graduações tomam cerca de 4 semestres, com uma média de 2 a 5 matérias por semestre. As graduações duram em torno de 4 anos. O valor anual é de U$45,080 para a graduação e U$46,240 para a pós graduação.  Na Parsons, os alunos podem fazer estágio não somente durante o verão, mas durante os semestres também. Além disso, a escola fez uma parceria com muitos varejistas e corporações (como LVMH). Nenhuma outra universidade em os EUA tem tanto acesso.

A Parsons também oferece cursos mais básicos, com certificado, do programa Programa de Certificação Parsons. São cursos como Fashion Business, Fashion Design e Fashion Industry Essentials. Para tirar o certificado em um desses cursos, é preciso fazer as matérias listadas (em média 7 matérias). Mais flexível e menos rigoroso do que um programa universitário padrão, o Programa de Certificação Parsons não tem requisitos de entrada. Alguns alunos são novos na área de arte e design, outros se inscrevem no Programa de Certificação para expandir suas habilidades. Cada matéria custa, em média, U$700, e você vai cursando até fazer todas as matérias requisitadas. Considerando que um certificado tem, em média, 7 matérias, são cerca de U$5000 por certificado. Neste link, você pode conferir as certificações e clicar em cada uma para ver detalhes sobre as matérias e solicitar mais informações ou fazer sua inscrição. O email do programa [email protected]

Por fim, a Parsons também oferece cursos de verão, que acontecem todos os anos, durante o mês de julho, o Parsons Summer Intensive Studies. O programa tem cursos para vários públicos: tanto para estudantes do ensino médio que estão se preparando para entrar em uma faculdade, como para um estudante universitário interessado em melhorar o seu próprio programa e ganhar créditos de transferência, ou um adulto que quer ampliar suas opções de carreira. O programa tem duração de três semanas, e é aberto para quem quiser aprofundar os seus conhecimentos de arte e design em um ambiente academicamente rigoroso e artisticamente estimulante. Os alunos passam cinco dias por semana em aulas de estúdio. Os cursos são complementados por eventos especiais, painéis e palestras. Neste link, você pode conferir mais informações sobre o programa e lembre-se que há diferentes opções: pre-college e college and adult. Dentre as opções na área de moda, há Fashion: Marketing e Fashion: Merchandising. O e-mail do programa [email protected]

E mais: a Mandy, do blog Starving, já fez pós graduação na Parsons e fez um post bem bacana a respeito, que você pode conferir aqui.

Fashion Institute of Technology, FIT, em sétimo lugar na lista – o FIT também tem um nome de peso dentre as escolas de moda do mundo. É relativamente barato estudar no FIT – e a faculdade tem uma ótima reputação em Nova York e no mundo todo. Dentre seus ex-alunos, há nomes como Calvin Klein, Michael Kors, Nanette Lepore, Reem Acra e Nina Garcia. Na área de moda, as graduações disponíveis são várias: Accessories DesignFabric StylingFashion DesignFashion Business ManagementIllustrationInternational Trade and Marketing for the Fashion Industries, Jewelry Design, Textile Development and MarketingTextile/Surface Design. Já as pós-graduações são Fashion and Textile Studies: History, Theory, Museum PracticeGlobal Fashion Management, Illustration  e Exhibition Design. Você pode clicar para acessar as páginas de cada um e conferir detalhes como currículo, corpo docente e procedimentos para admissão – incluindo detalhes para estudantes internacionais. O valor anual é de U$6,470 para residentes do estado de Nova York e U$17,810 para residentes de outros estados, no caso de graduação. Para pós-graduação, o valor é de U$10,870 para residentes do estado de Nova York e U$22,210 para residentes de outros estados. Os estudantes internacionais pagam o mesmo que os residentes de outros estados. Veja a tabela completa de valores (que mudam a cada ano).  Eu já fiz uma entrevista com uma brasileira que faz faculdade no FIT e você pode clicar aqui para conferir.

O FIT também oferece educação continuada, através do Center for Continuing and Professional Studies. São certificações em diversas áreas, através de certificados do tipo “credit” e “non-credit”. Os certificados “credit” são projetados para estudantes que estão interessados em ganhar créditos da faculdade para um grau ou certificado. Já os certificados “non-credit” são destinados a estudantes que querem adquirir conhecimento geral, aprender uma nova habilidade, melhorar as competências existentes ou desenvolver interesses pessoais. O cursos “credit”do FIT são: CAD for Fashion DesignDigital Still PhotographyDrapingGemologyHaute CoutureLadies TailoringLeather ApparelMillineryPatternmakingPerformance Athletic Footwear Sustainable Packaging Design. Já os cursos “non-credit” são: Brand Management ExperienceColor Specialist: Fashion and Home Products Concentration or Image and Style ConcentrationData Analytics: Retail MarketingFashion Events PlanningFashion StylingImage ConsultingProduct Development ManagerProduct Development: Certified Technical DesignerProduct Development: Intimate Apparel and SwimwearOmni-Channel RetailScience of ShoppingThe Jimmy Bell/Givaudan Creative Fragrance Development Certificate Programs e Wardrobe Technician and Costume Design Specialist. A oferta dos cursos muda conforme o semestre, então, é sempre bom checar esse link e clicar na listagem “credit” ou “non credit” para conferir quais cursos serão oferecidos.  Para você conseguir um certificado em cada um desses cursos, há matérias obrigatórias e outras livres – esse número varia de 10 a 14 matérias por curso. Cada matéria custa de U$195 a U$315 e você vai cursando elas na ordem que quiser.

Além disso, o FIT também tem um programa de verão! O ESL Fashion Business Program rola todos os anos, durante o mês de julho, e tem duração de três semanas. São aulas de inglês durante a manhã e aulas de moda – focadas no assunto que você escolheu – durante a tarde. Eu já fiz esse programa e contei a minha experiência neste post aqui. O valor atual para o ESL Fashion Business Program é de U$1075 e esse é o link para você conferir todas as informações.

Pratt Institute, em décimo oitavo lugar na lista – localizado no Brooklyn (mas também com campus em Manhattan) e com uma taxa de emprego pós-estudos de 89%, o Pratt é uma ótima escolha se você quer estudar moda, mas gostaria de estudar outras artes aplicadas também. E é um dos poucos programas de design que oferece disciplinas eletivas em forma de publicação editorial / revista. Dentre os ex-alunos famosos, estão nomes como Jeremy Scott, Betsey Johnson, Adam Selman, Samantha Pleet, Seokwon Andy Kim e Wonjeong Debbie Yoon (Andy + Debb). O Pratt oferece graduação em Fashion Design e você pode clicar para conferir mais detalhes sobre o curso. O valor da graduação é de U$46,140 por ano.

O Pratt também oferece educação continuada, através da School of Continuing and Professional Studies, com cursos de certificados. Na área de moda, o curso oferecido é o de Fashion New Media, com um programa que combina fotografia, design gráfico, web design e marketing de mídia social com um currículo de design focado em moda criativa. São 12 matérias – sendo 4 obrigatórias e 8 livres – cursadas em três semestres. Não consegui encontrar o valor de cada disciplina no site, mas você pode checar mais informações sobre o curso aqui e o e-mail de contato é [email protected]

Por fim, o Pratt também tem um programa de verão, o Summer Credit Intensives, com vários cursos. Na área de moda, o curso oferecido é de Fashion Design Intensive. O programa dura 5 semanas e é oferecido durante o mês de junho ou julho. Você pode clicar aqui para conferir mais informações. O valor do curso é de U$4000, em média. O e-mail de contato é [email protected]

Ufa! Acho que é isso! Tentei dar uma pincelada geral a respeito do que cada uma das três escolas oferece em termos de cursos superiores e cursos de aperfeiçoamento. Espero que essas informações ajudem vocês! Se vocês tiverem dúvidas sobre vistos, datas, documentos, bolsas (que existem para graduação e pós graduação, apenas), precisam entrar em contato diretamente com as escolas, ok? 

 

Moda: dois eventos super legais em Nova York

Que Nova York é uma das capitais da moda, disso ninguém duvida, certo? Palco de uma das semanas de moda mais importantes do mundo, a cidade transborda estilo em suas ruas e as marcas mais famosas do mundo estão aqui. Em Nova York, existe liberdade para usar aquilo que você quiser e que te faz se sentir bem. Não é à toa que a cidade sempre entra no roteiro dos profissionais de moda, que vêm pra cá explorar tendências, pesquisar inovações e saber o que há de novo no mercado. E nada como incrementar uma viagem de estudos com um evento especial, certo? Hoje eu destaco dois eventos bem legais para quem é dessa área.

Première Vision – famoso por sua edição em Paris, o Première Vision é uma feira de negócios para profissionais da moda. Com cerca de 360 expositores, o evento reúne os principais tecelões do mundo, produtores de couro, empresas de acessórios, estúdios de designs e outros fabricantes. É uma feira que está sempre à frente de seu tempo – a última edição, que rolou semana passada, foi focada no outono/inverno 2017/2018. Ou seja, é um dos lugares mandatórios para quem faz pesquisa de tendências. O mais bacana é que o acesso à feira em si é de graça – e para quem tem faro apurado, pode ser uma boa fonte de ideias e inspirações, sem contar no número de contatos valioso para grandes marcas que estão em busca de fornecedores de tecidos.

Outro destaque do Première Vision são os seminários e workshops. Durante os dias da feira, há eventos como o Trends Overview, uma apresentação de algumas das tendências que são aposta para a temporada e os seminários apresentados por profissionais da área, que abordam os mais diversos assuntos como consumidor, tendências de moda infantil, sportwear, tecnologia. Estes eventos não são gratuitos e você pode agendá-los pelo site. O Première Vision acontece duas vezes por ano, em janeiro e julho, no Pier 94, e dura dois dias. Você pode clicar aqui para conferir detalhes da próxima edição e fazer sua inscrição.

How to Make it in Fashion – também chamada de FashionistaCon, é uma conferência promovida pelo Fashionista, um site maravilhoso focado em notícias do mercado de moda e beleza. O evento é anual e é focado na carreira de moda e é indicado para quem quer trabalhar na área. Comandado pelos editores do site, reúne palestrantes com nomes de peso. Ano passado, um dos destaques foi a presença de Bobbi Brown, fundadora da marca de maquiagem que leva seu nome, e Marissa Webb, diretora criativa da Banana Republic. Foi um dia inspirador e repleto de boas dicas e conselhos.

Neste ano, um dos destaques da conferência é a presença de Patricia Field,  uma das figurinistas mais aclamadas da atualidade – que trabalhou em Sex and the City. Outro nome que estará presente no evento é Cathy Horyn, crítica de moda da New York Magazine. Além destes e de outros palestrantes, você também pode ter a oportunidade de ter um bate-papo com alguém da área que você selecionou, para pedir conselhos e dicas mais específicos. Ao final do evento, os participantes também ganham uma gift bag com vários produtos. Você pode clicar aqui para conferir a programação completa do evento, que rola no dia 4 de novembro, no Metropolitan Pavilion. Os tickets não são muito baratos – U$229 até dia 31 de julho, U$279 após dia 31 de julho – e podem ser adquiridos aqui. Para mim, valeu cada centavo.

Ah, vale lembrar que o Fashionista promove, quase que mensalmente, os seus NYC Meetup, no qual há uma convidada especial para falar de sua carreira, responder perguntas e dar conselhos. Semana passada, a convidada foi nada mais nada menos que Leandra Medine, a blogueira do Man Repeller. Você pode checar a seção “Careers” do Fashionista para ficar por dentro dos próximos Meetups – o ingresso custa, geralmente, U$25 – e também assinar a newsletter do site para ficar por dentro dos eventos.

banner face