turismo

Os golpes e ciladas para serem evitados em Nova York

É sempre a mesma história: nós, brasileiros, temos uma certa síndrome de vira-lata e achamos que tudo fora do Brasil é melhor e que todos os povos gringos vivem no paraíso. É verdade que muita coisa é melhor – outras são piores – e, como sempre digo: não existe lugar perfeito e 100% livre de problemas! Só que com esse nosso pensamento, a gente acaba achando que não existem espertinhos e charlatões – o que é mentira. Estamos sempre ligados e prevenidos no Brasil – mas muita gente baixa a guarda quando está viajando e aí é que mora o perigo. Turistas são alvos fáceis dessas pessoas. Na alegria da viagem, na empolgação do momento, parece que perdemos o senso crítico e fica fácil cair em ciladas. Em Nova York não é diferente. Existem muitos espertinhos espalhados pela cidade tentando tirar vantagem de você. E uma das melhores maneiras de não cair nesses golpes é saber um pouco de cada um deles para identificar a situação e cair fora rapidinho. Por isso, listo abaixo os principais golpes e ciladas que você deve evitar na Big Apple.

Estátua da Liberdade – os barcos de passeios para a Estátua da Liberdade saem todos do Battery Park, na região Downtown. Antes de mais nada, é bom reforçar uma coisa: existe apenas UM barco que desembarca na ilha da Estátua, da Statue Cruises. Você pode comprar o seu ticket clicando aqui ou também na hora. E é aí que mora o perigo. Há muitos espertinhos abordando turistas na região do Battery Park. Eles perguntam se você está indo visitar a Estátua da Liberdade e mentem, dizendo que não há mais tickets e que você deve seguí-los. Eles vão te vender um passeio mais caro e que não para na ilha. Ignore essas pessoas. Você escuta estranhos? Não, né? Então, não dê ouvidos para essas pessoas! Se você quiser comprar o seu ticket na hora, vá até o Castle Clinton, que fica no Battery Park. É o único lugar autorizado de compra de tickets para a Estátua da Liberdade. Ah, e esse pessoal também costuma ficar em frente à estação do Staten Island Ferry – o ferry gratuito que vai até Staten Island e proporciona uma vista para a Estátua. Eles vão abordar você dizendo que não dá para ver a Estátua, etc, etc, etc.

Meu conselho aqui é: pesquise sobre as opções. Há o passeio do Staten Island Ferry, que é grátis, há outros passeios que chegam perto da Estátua – como o Water Taxi – e há o passeio oficial, que desembarca na ilha. Decida com base no seu desejo e prioridades, pesquise a respeito e não dê ouvidos a estranhos!

Clique aqui para ver as fotos dos barcos do Statue Cruises e aqui para saber como identificar o Castle Clinton. 

Metrocard – como eu sempre falo aqui, você vai usar muito o metrô em Nova York – é a maneira mais prática, rápida e barata de se locomover pela cidade. Recomendo muito  clicar aqui e conferir a série de vídeos sobre o metrô que eu fiz junto com a Nyorquina. Através dos nossos tutoriais, você vai aprender tudo: desde como comprar o Metrocard até como se localizar. Lembre-se: não há funcionários da MTA (empresa que administra o sistema de metrô) auxiliando na compra de Metrocard. Os únicos funcionários da empresa que atuam antes da catraca são os que ficam dentro dos quiosques (se você não for usar cartão, pode comprar o Metrocard com eles. Aproveite e peça um mapa das linhas também). Cuidado com espertinhos que ficam na catraca oferecendo passar o Metrocard – o que eles fazem é ilegal! E cuidado com pessoas oferecendo ajuda não solicitada!

Times Square – o lugar preferido de muitos turistas também pode ser uma cilada. Estátua da Liberdade, Mickey, Mario Bross, Naked Cowboy… você vai ver pessoas dando vida aos mais diversos tipos de personagem na Times Square. Mas, não esqueça que quase nada nessa vida é de graça e essas pessoas não estão ali só para que você tire uma foto e leve de lembrança para casa… se fizer isso, lembre-se de dar uma gorjeta! Atualmente, essas pessoas tem uma área delimitada na região da Times – estão pintadas no chão. Não se sinta intimidado caso algum deles aborde você. Se você não quiser fotos, agradeça e diga não. Além disso, recomendo passar longe das lojas de souvenirs da área, que costumam ter preços bem salgados! Um bom local para isso é o bairro de Chinatown – caminhando pela Canal Street você verá vários locais vendendo esse tipo de produto. Além disso, preste atenção aos vendedores de rua: em frente ao Metropolitan Museum e na Ponte do Brooklyn, por exemplo, dá para encontrar chaveiros e imãs de geladeira por U$1 – U$2. Confira mais no post Times Square: manual de sobrevivência e dicas sobre a área.

Eletrônicos – muita gente tem aquele costume de pechinchar, de procurar pelo mais barato, de tentar um desconto. Tudo para economizar. O esforço é válido, mas pode te colocar em ciladas. Nova York e outras cidades americanas são o paraíso de quem procura eletrônicos, mas, lembre-se: compre esses produtos somente em lojas de rede, de confiança, como Best Buy, Adorama e BH Photo. Aqui em Nova York, há muitas lojas menores – principalmente perto da região da Times Square. Elas vendem de tudo um pouco – eletrônicos e souvenirs. Muita gente já se deu mal com produtos falsificados e até golpe em cartão de crédito. Não arrisque! Não existem milagres. E isso vale para IPhone também!

Perfumes e bolsas – nas mesmas lojas de eletrônicos e também em lojinhas em Chinatown – e até mesmo em bancas de rua – você vai encontrar muitos perfumes. De todas as marcas, de todos os tipos. Novamente, não caia no conto do vigário: esses perfumes são falsificados. Neste post, você confere lugares de confiança para comprar perfumes. Recomendo muito assistir a esse vídeo do Refinery 29 que mostra a indústria de falsificação em Nova York. E vale para outros itens também tá? Não pense que as maquiagens da Kylie Jenner nas banquinhas de rua são verdadeiras! Vou aproveitar o tópico para falar também das famosas “bolsas de grife” vendidas em Chinatown e também em outras partes da cidade. Essas bolsas não são réplicas: são falsificações.

CD’s – cuidado também com indivíduos que oferecem CD’s – e ainda dizem que é grátis. Eles forçam você a pegar o CD e depois querem te cobrar por isso. Ignore, diga não.

Transfers – cuidado com motoristas que ficam na área de desembarque do aeroporto abordando os viajantes. Sempre acerte o preço antes de sair. Aliás, se você quiser contratar motorista, o melhor é já fazer o contato antes e deixar tudo agendado. Clique aqui e confira nossas recomendações.

Pedcab – são aquelas bicicletas com dois assentos atrás, basicamente a pessoa pedala levando você – como uma carruagem? Hahaha. Enfim, há vários desses dentro do Central Park e também nas avenidas mais turísticas. Se o cansaço bater e você quiser usar os serviços, tenha cuidado e fique atento. Pergunte sobre o preço final, combine o trajeto, enfim: não deixe espaço para surpresas. Muitos deles querem cobrar a mais no final e se tornam agressivos se você reclamar.

Taxas escondidas – não é um golpe, mas é algo que você deve levar em consideração na hora de comprar seus ingressos para qualquer atração – principalmente para espetáculos da Broadway e shows de artistas famosos. Lembre-se que, geralmente, o preço anunciado nunca é o preço final – como acontece com quase tudo aqui! As taxas são incluídas na última etapa, antes de efetuar o pagamento. E algumas taxas são bem salgadas!

Gostaram do post? Eu fico muito revoltada quando fico sabendo de pessoas que caíram em golpes e espero que o post ajude muitos de vocês a não caírem nessas ciladas!

Recomendo muito assistir à série Scam City (Capitais do Delito no Brasil) no Netflix! Eles mostram os golpes aplicados em turistas em várias cidades famosas do mundo. 


1 comentário

Leave a Response