Vida Noturna

Baladas em Nova York: dicas essenciais e sugestões de clubes!

São quase três anos escrevendo sobre Nova York e o número de posts sobre baladas é: zero! Isso porque a blogueira que vos escreve não é a pessoa mais baladeira da face da terra. Eu e o Thiago adoramos sair pra jantar, curtir um barzinho, passear muito, mas baladas? Fui uma única vez apenas, na Industry, uma balada gay muito legal. Mas não é porque eu não sou baladeira que todo mundo é também, né? Sempre recebo perguntas sobre baladas e pedido de posts sobre o assunto, mas como é que eu vou indicar algo que não conheço?

Pensando nisso, eu convidei a Larissa Temple para escrever este post pro blog! Eu e a Lari estudamos juntas em 2014 no FIT e já não era a primeira vez dela na cidade. Ela é super baladeira e vem todo ano para Nova York. Eu lembro que durante o tempo que estudamos juntas ela sempre tinha alguma festa legal pra ir. Por isso, não hesitei em falar com ela e pedir pra ela dar todas as dicas pra vocês!

“Oi gente!

Hoje eu estou aqui como convidada da Lau para falar um pouco sobre a vida noturna (baladas!) de Nova York. Festeira que sou, sempre incluo uma baladinha nas minhas idas à cidade. Nova York conta com diversos lugares incríveis para dançar e aproveitar a noite. No verão, gosto da dupla Rooftop + Nightclub, e, no inverno, jantar em um local bacana e animado e nightclub logo em seguida.

Embora a cidade seja conhecida como The City That Never Sleeps (a cidade que nunca dorme), os horários das casas noturnas são um pouco diferentes do que estamos acostumados aqui no Brasil. Enquanto em São Paulo, no Rio de Janeiro e em outras cidades brasileiras as baladas normalmente começam entre 0h e 1h, em NY é um pouco mais cedo, entre 22h e 23h. Às 23:30, já costumam estar bombando e com fila na porta, o que dificulta um pouco o ingressar na casa. É comum, também, acabar mais cedo, entre três e quatro da manhã, diferentemente das brasileiras: aqui costumamos dançar até o sol raiar! Há diversos tipos de baladas em New York, para todos os gostos. Existem casas focadas em Hip Hop, Pop e House Music, mas a maioria faz um mix das músicas mais legais que estão tocando. Afinal, o que importa é casa cheia (e de gente bonita!).

Antes de ir a algum club novaiorquino, recomendo consultar o dress code do local. Uma prática comum na cidade – ainda mais nos clubes badalados e da moda – é passar por um critério de admissão, em que a hostess verifica se as pessoas interessadas em ingressar na balada estão vestidas de acordo com o ambiente, e é claro, se estão bonitas e atraentes. É necessário vestir-se bem – o que não quer dizer ter roupas de marca e uma bolsa Chanel, ok? Uma roupa bonita (não precisa ser provocativa, ao contrário do que muitos pensam) acompanhada de uma maquiagem bacana, daquele salto incrível (e confortável!) e um dos itens mais importantes: o sorriso. Algumas pessoas chegam à porta da balada um tanto quanto apreensivas, com a cara fechada e com medo de serem barradas. O dress code pode garantir que o doorman libere a sua entrada, e, muitas vezes, VIP! Autoconfiança é tudo!

Nunca passei por algum problema durante as minhas saídas em NY, sempre consegui entrar tranquilamente nos rooftops, lounges e nightclubs. Alguns estabelecimentos cobram um preço para entrar (para mulher costuma ser entre $20 e $30), mas, na maioria dos casos, não é difícil entrar free se você for mulher, estiver bem arrumada e com um grupo de amigas. Para homens, a situação é um pouco diferente. Em quase 100% das baladas é necessário pagar uma taxa para entrar (que chega ser até $100, às vezes consumíveis, às vezes não). Alguns lugares dificultam a entrada de homens que estejam tentando entrar sozinhos, sem a companhia de alguma mulher – o objetivo deles é ter o local com muitas mulheres, e de preferência, muito bonitas, então eles não tendem a liberar grupos de homens aleatoriamente, a não ser que eles tenham uma VIP table reservada (valor mínimo de $3000). Em 2014, em uma das minhas noitadas novaiorquinas, eu estava entrando no Phd (rooftop/lounge no hotel Dream Downtown) com mais duas amigas, quando fomos abordadas na porta um grupo de três amigos. Um deles nos perguntou se nós poderíamos fingir que éramos três casais, pois eles não estavam conseguindo ingressar os três sozinhos, sem ter mulher acompanhada. Assim como no Brasil, entrar em uma casa noturna é mais difícil (e mais caro) para homens do que para mulheres. A melhor dica que eu tenho para dar (pois facilita um pouco as coisas!) é tentar conhecer algum promoter ou alguém que tenha contatos nestes clubs, para ter a entrada garantida e muitas vezes sem fila.

Outro item importante na hora de aproveitar a vida noturna em NY: documento. Nos Estados Unidos a idade mínima para entrar em um rooftop e em uma balada é 21 anos. Nunca se esqueçam de levar documento (mesmo quem não pretende beber, pois o documento é solicitado logo na entrada), ou eles te mandam de volta para casa! Sobre as bebidas alcoólicas destes locais, em rooftops e nightclubs hypados de Manhattan uma cerveja costuma custar entre $9 e $13, enquanto um drink entre $15 e $20. Em Williansburg e outras regiões do Brooklyn, bairros hispters que estão em alta, os drinks e cervejas são um pouco mais baratos nestes estabelecimentos.

Agora vamos ao que interessa: as minhas dicas de lugares para dançar, ouvir música boa e conhecer gente bonita!

Cinco rooftop lounges/ nightclubs que eu já fui e super recomendo:

PH-D AT DREAM HOTEL: É o meu lugar favorito para sair à noite em NY! Este lounge/nightclub fica no rooftop do Hotel Dream Downtown. A noite costuma iniciar com um clima de bar/lounge, mas logo a pista lota de gente bonita e o local fica muito animado. É todo fechado em vidro, a área externa é aberta ao público. Ao fundo, temos a vista do Empire State, que é maravilhosa, assim como ambiente e público do local. Em geral toca um pouco de tudo, mas principalmente Pop e House Music. O local é frequentado por celebridades como a socialite Paris Hilton, a modelo Heidi Klum e o ator Chace Crowford.

Endereço: 355 West 16th St.

LAVO: filial da casa noturna de Las Vegas, é uma das baladas mais tradicionais e mais conhecidas de Nova York. O forte é a música eletrônica, mas tem dia que toca um pouco de tudo. Quase uma ver por mês tem um super DJ internacional que toca lá (alô Tiesto!). A Lavo está sempre lotada e animada com público entre 24 e 50 anos. O critério de entrada lá costuma ser rigoroso e as pessoas que entram são selecionadas a dedo na porta (alerta dress code!). Ah! Chegue um pouco mais cedo e tome um drink no restaurante italiano embaixo da Lavo, tem um lounge delicinha! Para a maioria dos eventos é possível antecipar a compra de ingresso e garantir a entrada (M $20 e H $30).

Endereço: 39 East 58th St –entre a Madison e Park Ave.

TAO DOWNTOWN: o TAO conta com dois ambientes incríveis: restaurante asiático e balada. Super indico jantar (cerca de $80 – $120 por pessoa, dependendo do prato escolhido, com drink alcoólico) e emendar no lounge. O nighclub é uma área com um lounge e bar separados do restaurante, super bem decorada e animada ao som de Pop e House Music. No próprio site é informado que a General Admission (quando você não faz parte de uma VIP table) fica a critério do doorman (host/ hostess).

Endereço: 92 Ninth Avenue at 16th St.

LE BAIN: é uma divertidíssima e hypada balada penthouse que fica no hotel The Standard, no High Line, no Meatpacking District. Além da balada com música animada, a Le Bain possui um rooftop com deslumbrante vista de NY. É possível transitar entre os dois locais por meio de uma escada que dá acesso ao rooftop. Além da visita noturna, vale a pena subir para um drink no pôr-do-sol, e se for verão, saborear um dos crepes no gramado do rooftop ou ainda participar de uma das Sunset Parties que normalmente acontecem aos sábados. Ah! No verão há uma piscina (pequena) no meio da balada. Acreditem, eu já presenciei muitas pessoas entrando!

Endereço: 444 West 13th St.

WEBSTER HALL: de todas as minhas sugestões, esta é a opção menos “chique” e “gossip girl”, com pessoas diferentes e mais novas (a maioria tem entre 21 e 30 anos) que curtem Hip Hop, Rock’n Roll e também música ao vivo. A Webster Hall é o clube mais antigo de NY e uma das maiores (4 andares!) casas noturnas novaiorquinas (capacidade de 2.500 pessoas). Funciona como balada e casa de shows: já recebeu grandes nomes como U2, Sting e Tina Turner. São três ambientes de show com músicas diferentes (Studio, The Marlin Room e The Grand Ballroom). Para a balada é possível colocar o nome na lista pelo site, já para os shows os ingressos são vendidos online, a partir de $12 (depende do dia e do show).

Endereço: 125 East 11th St.

As três opções abaixo estão super em alta em NY. Eu ainda não tive a oportunidade de conhecê-las, mas estão na minha to go list e eu achei interessante postar aqui para vocês também darem aquela pesquisada!

1 OAK (One of a Kind): filial de Las Vegas, a 1 OAK é uma casa noturna super conhecida e renomada. As festas de Halloween e de Ano Novo da 1 Oak são bem tradicionais e repletas de celebridades. O ambiente elegante e de decoração chique é geralmente frequentado pela elite de Nova York.

Endereço: 453 West 17th St.

MARQUEE: do mesmo grupo do Phd, Lavo e TAO, a Marquee – mais uma filial de Las Vegas – é uma das mais novas, mais frequentadas e mais animadas casas noturnas em NY. São dois ambientes com decoração moderna que contam com DJs internacionais como Bob Sinclar, e outros artistas renomados tocando Pop, Rock e Hip Hop. Também é possível comprar ticket antecipado pela internet, que costuma ser M $20 E H $30.

Endereço: 289 10th Ave.

CIELO: funciona sete dias por semana eé uma das melhores baladas de House Music da cidade. Localizada no Meatpacking District, a casa conta com uma decoração sexy, refinada e diferenciada. Dizem que as melhores noites são às segundas.

Endereço: 18 Little West 12th St.

Check List balada em Nova York:

  • Checar os dias da semana em que a balada de sua escolha abre (nem todas abrem todos os dias);

  • Conferir a programação dos clubs para ver qual DJ está tocando na semana (é comum se deparar com nomes como Avicci, Calvin Harris, Bob Sinclar, entre outros);
  • Checar se tem lista VIP no site ou se há compra de ingressos antecipados (se não houver, capriche no look e no sorriso para conquistar a hostess e o doorman).
  • Conferir dress code (na maioria das vezes é o que vai garantir a sua entrada sem dor de cabeça!);
  • Levar documento.

Ufa! Foi longo, mas cheio de dicas! Espero que gostem e que se divirtam tanto quanto eu quando saio em Nova York!

XOXO, Lary Temple.

OBRIGADA Lary! Você arrasou no post! Espero que vocês que acompanham o blog tenham gostado desse post super completo!


1 comentário

Leave a Response