Blog da Laura Peruchi – Tudo sobre Nova York
turismoviagem

Explorando Long Island: Sands Point Preserve

Se você me acompanha há algum tempo, provavelmente já deve saber que eu adoro explorar as regiões próximas de Nova York e, obviamente, compartilhar essas dicas com vocês depois. Já estivemos em alguns lugares em Upstate – norte do estado de Nova York – e, dias atrás, resolvemos explorar a região de Long Island, que fica no lado leste da Big Apple, pra lá do Queens. Para quem não está familiarizado, é em Long Island que ficam localizado os Hamptons. Numa das minhas pesquisas incansáveis na internet, encontrei informações sobre o Sands Point Preserve. Gostei das fotos que encontrei e decidimos passar um sábado por lá.

O Sands Point Preserve incorpora a grandeza e elegância que definem o período do início do século 20, quando famílias americanas proeminentes construíram grandes mansões em grandes propriedades como retiros de verão ao longo do Long Island. Sands Point era o famoso “Egg East” de F. Scott Fitzgerald “The Great Gatsby”. Hoje, o parque,incluindo suas mansões históricas, é  propriedade de Nassau County, NY, e é mantido e operado pela Sands Point Preserve Conservancy, uma organização sem fins lucrativos. O local oferece programas educacionais e culturais durante todo o ano, celebrações sazonais, passeios de mansões, atividades fitness, bem como serviços de eventos privados e corporativos e instalações para locações de filmes / TV.

As duas mansões históricas localizadas na área são a Hempstead House e o Castle Gould. Ambos fazem parte do Guggenheim Estate, e a primeira servia como uma residência de verão para a família, que hospedou grandes festas, apresentações e exposições de artistas de classe mundial e encontros da poderosa elite da época. Projetado pelos arquitetos Hunt & Hunt em 1912, tem três andares e 40 quartos. Durante a ocupação dos Guggenheim, Hempstead House era um tesouro de obras de arte, itens de decoração e mobiliário. Tapeçarias medievais uma vez pendiam nas paredes, e os tapetes orientais cobriam o chão. Após a morte de Daniel Guggenheim em 1930, sua esposa Florença encerrou a Casa Hempstead e construiu a quarta mansão na propriedade, Mille Fleur, uma casa pequena para a água. Os móveis da casa de Hempstead foram vendidos em 1940 e Florença abriu a mansão para crianças evacuadas da guerra na Europa até encontrar casas para elas. Em 1942, ela doou uma parte da propriedade ao Instituto de Ciências Aeronáuticas. A Marinha dos EUA comprou a propriedade em 1946 para um Centro de Dispositivos de Treinamento Naval e, em 1971, a propriedade foi adquirida pelo distrito de Nassau County, NY.

Já o Castle Gould foi comprado por Howard Gould e sua esposa, a atriz Katherine Clemmons, em 1900 e 1901. Esta foi a primeira das quatro mansões construídas na área, desenhadas pelo arquiteto Augustus N. Allen em 1902, inspiradas no castelo de Kilkenny, na Irlanda. Concluído em 1904, este edifício de pedra calcária de 100 mil metros quadrados foi destinado a ser a residência principal da propriedade, mas, quando Katherine decidiu que não se adequava a ela, Howard começou a construir o Hempstead House. O Castelo Gould serviu como o estábulo, casa de transporte e os aposentos dos servos e hoje abriga o Centro de Visitantes.

Por causa de sua arquitetura diferenciada, seus jardins lindos e a vista maravilhosa, a Hempstead House é muito procurada por casais da região para a celebração de casamentos. Inclusive, enquanto estávamos lá, estava rolando uma celebração. Há tours guiados todas as quartas, a partir das 14 horas e também na maioria dos sábados e domingos, às 11 e às 14 horas – porém é sempre indicado entrar em contato antes para confirmar e reservar, já que rolam eventos privados frequentemente. 

Além das mansões, vale destacar a área verde enorme do Sands Point Preserve. Há muito espaço para as crianças correrem, além de áreas para fazer picnic. Além disso, a região fica numa área elevada, com uma vista incrível para a Baía de Hempstead. É incrível, de tirar o fôlego! Para completar, ainda dá para caminhar explorando as trilhas – pegue um mapa na entrada para se localizar melhor na área. Exploramos um pouco a área das trilhas e saímos na prainha da Baía. Uma lindeza que só!

Gostamos muito de conhecer esse lugar! Acho que é uma ótima pedida para quem mora em Nova York e quer fazer um passeio diferente ou até mesmo para os viajantes veteranos que procuram roteiros diferentes e nada óbvios!

Como chegar: fomos de Long Island Rail Road, saindo da Penn Station. Você compra o ticket na máquina de auto-atendimento com destino a Port Washington (compre ida e volta, round trip). Gastamos U$35 para duas pessoas e o trajeto até lá leva cerca de 50 minutos. O trem chega na rua principal de Port Washington e ali escolhemos um restaurante para almoçar – há vários, bem pertinho da estação. Após o almoço, pegamos um táxi ao lado da estação – na Deluxe Transportation – até Sands Point. São cerca de 5 minutos de carro e esse trajeto é cheio de belas paisagens interioranas, com aquelas casas super charmosas – a corrida custa U$9. Para entrar em Sands Point, paga-se U$4 por pessoa.

Para mais informações sobre o local, acesse o site.


Leave a Response