Hotel Pennsylvania

$128.00

Este hotel está localizado em frente à Madison Square Garden e à Penn Station. Também está próximo do Empire State. Todos os quartos do Hotel Pennsylvania dispõem de ar-condicionado e TV a cabo. Os hóspedes também têm acesso a uma mesa de trabalho, despertador, cortinas black-out, ferro e secador de cabelo em todos os quartos.

Endereço: 401 7th Avenue

Observação: o preço da diária varia conforme o período escolhido.

 

Categoria

O que os leitores do blog dizem:

“Meu relato é sobre o polêmico Hotel Pennsylvania. Hospedei-me em Dezembro de 2015, na ala Penn 500, que incluía café da manhã. Tive Wi-Fi grátis todos os dias e numa velocidade muito boa. O café era bom, com opção entre café, chocolate quente ou chá. Para comer, não tinha muita variedade de pães, mas sempre tinha bagels, croissants, bolinho, e geleia e manteiga para acompanhar. Não tinha opção de frios, iogurtes, sucos. Sempre tinha uma opção de fruta. O quarto do hotel era simples, com TV, sem frigobar, cama muito boa, banheiro com banheira, chuveiro bom, banheiro limpo. O quarto também era sempre limpo, assim como todo o hotel. Atendentes ok, não pouparam esforços em fazer a Internet funcionar no meu celular. A localização do hotel é excelente, metrô na frente, perto de muitas atraçõe, além de ônibus para os aeroportos do lado do hotel. Com toda a certeza, quando voltar para Nova York me hospedarei lá. Apesar da diária da Ala Penn 500 ser um pouco mais cara que os outros quartos, ainda assim é mais barato que muitos outros hotéis, e olha que planejei minha viagem com um ano de antecedência, logo, pesquisei muito!” Fernanda Bollmann Oleskovicz Nunes

“Hotel enorme, barato. Talvez seja o hotel mais barato de Midtown. Para o checking, prepare-se para fila…poucos funcionários para muita gente. No quarto, a surpresa positiva: não fiquei na área nova, mas o quarto era muito grande, com frigobar, cama enorme king e bom colchão! A limpeza está longe de se adequar aos padrões de limpeza brasileiros. Via muito pó nos cantos das paredes e embaixo dos móveis, mas o carpete parecia limpo e meu noivo que tem alergia (muita alergia) a pó ficou numa boa. Se precisa economizar é uma boa”. Adriana

“Fui para Nova York em maio de 2015 com uma amiga e ficamos no Hotel Pennsylvania. Como era nossa primeira viagem internacional, deixamos para a agência de viagens que contratamos fazer tudo por nós. Achamos – pelo que o rapaz da agência havia nos informado (e pelo valor que pagamos) – que seria um quarto normal, standard, com duas camas de casal. Ao chegar lá e apresentar nosso número de reserva, colocaram a gente em uma suíte presidencial enorme no 15º andar, com sala, tv, duas penteadeiras e uma cama gigante. Estranhamos, mas não reclamamos, inclusive ficamos felizes com todo aquele luxo. Três dias após o check-in, eis que aparece um rato correndo pelo nosso quarto! Sim, UM RATO! Fomos até a recepção reclamar, e os funcionários fizeram pouquíssimo caso para o ocorrido. Só após muita insistência aceitaram trocar nosso quarto, e ainda nos obrigaram a fazer a “mudança” pelo elevador de serviço para não comentarmos sobre o incidente na frente dos outros hóspedes. O novo quarto era no andar de fumantes, o que, para nós, que não fumamos, era bem desagradável (por causa do cheiro), além de ter apenas uma cama de casal e do ar condicionado estar quebrado. Ao questionarmos nossa reserva na recepção, ainda fomos tratadas com extrema grosseria da atendente, que reclamou por termos ficado três dias na suíte presidencial, como se fosse nossa culpa terem nos colocado lá. Enfim, perdemos uma noite da nossa viagem nessa função, nos chateamos bastante, e ainda acabamos ficando num quarto inferior ao que havíamos reservado. Passamos literalmente do luxo ao lixo. O que mais me incomodou nessa história toda foi o descaso dos funcionários do hotel quanto à nossa situação, que não era nada compreensível. Enfim, apesar da EXCELENTE localização do hotel, não recomendo a estadia. Vale mais a pena pegar outro hotel nessa mesma região, mesmo que para isso seja necessário caminhar duas ou três quadras a mais.”  Verônica Penshorn