viagem

O que fazer nos Hamptons? Onde ficar, onde comer e lugares para visitar

Acho que os Hamptons habitam o imaginário de muita gente, talvez não na mesma proporção que Nova York, mas a região também já foi cenário para diversos filmes e seriados – como Gossip Girl, Revenge, Sex and the City e The Affair. Eu já havia visitado Southampton há três anos – e você pode conferir meu post básico aqui – mas tínhamos vontade de explorar mais a região. Finalmente, a gente se planejou para passar um período mais longo por lá e explorar mais do que a área tem para oferecer! No post de hoje, divido essas dicas com vocês. Espero que gostem, foi um trabalho que eu adorei fazer – eu adoro explorar lugares perto de Nova York e trazer essas novidades para vocês. Acho que muita gente tem poucas referências da área – que vai muito além das casas luxuosas e abriga belezas naturais e cenários de final de tarde de tirar o fôlego.

Entendendo os Hamptons

Acho que vale dar uma noção de localização e geografia para vocês, antes de mais nada. Os Hamptons, parte do East End de Long Island, compreendem um grupo de vilarejos nas cidades de Southampton, East Hampton e Montauk, em Long Island, no estado de Nova York. Observe o mapa abaixo, com as três cidades marcadas. Toda essa área ao redor delas conta com várias vilas, digamos assim, e tudo isso forma os Hamptons. A região é famosa no verão, quando vive sua alta temporada, mas a verdade é que os Hamptons têm se tornado cada vez mais um destino durante todo o ano para os nova-iorquinos que procuram refúgio nos fins de semana. Curiosidades: p s preços dos imóveis residenciais nos Hamptons estão entre os mais altos dos EUA. Os clubes de golfe privados em Southampton estão entre os mais exclusivos e caros do país.

Hospedagem

Considerando que os Hamptons compreende uma região enorme, há vários tipos de acomodação para você se hospedar. Você pode pesquisar hotéis – há desde os mais completos, à beira da praia, com estrutura de resort, até os mais simples. Outra boa ideia é usar o Airbnb – a oferta de casas e apartamentos é alta em toda a área – e os preços caem bastante durante o outono/inverno. Acredite: os Hamptons vão além das praias e podem ser uma excelente opção de passeio fora da rota turística para quem viaja para Nova York – ou para quem mora na região.

Nosso hotel – Ocean Colony Beach & Tennis Club

Ficamos num hotel em Amagansett, vila localizada entre East Hampton e Montauk. É um resort, fica à beira da praia, e os quartos, na realidade, são mini-apartamentos, com ótima estrutura: quarto com TV, closet super espaçoso, banheiro, sala e cozinha toda equipada (tinha cafeteira, torradeira e até filtro para café, além de lava-louças, forno e microondas), varanda enorme. Nós ficamos muito satisfeitos com o hotel, foi muito além das nossas expectativas. Tem estacionamento grátis e acesso fácil à praia, com cadeiras, guarda-sol e toalhas inclusas. Além disso, o hotel conta com piscina e quadra de tênis. Não tinha café da manhã – mas isso não foi um problema com a estrutura que tínhamos. Compramos comida num mercado em Montauk e tomamos café no próprio quarto/apartamento.

Nós reservamos o hotel pelo aplicativo HotelTonight – Use o código LPERUCHIMEZARI e ganhe U$25 OFF na sua primeira reserva pelo Hotel Tonight. 

Para quem estiver pensando em explorar os Hamptons, sugiro fazer um roteiro daquilo que te interessa e depois procurar uma hospedagem que fique no meio do caminho. No geral, as distâncias dos locais que vou sugerir no post de hoje são de 15-20 minutos dirigindo de um ponto a outro, em média. 

Transporte

Nós alugamos um carro, pois ficamos duas noites na região e, honestamente, sem carro não dá. Levamos 2h40min dirigindo até o nosso hotel. O carro te dá muito mais liberdade e flexibilidade para fazer os passeios e explorar a região. Falando em aluguel em Nova York, pegar o carro fora da ilha fica mais barato – geralmente os aeroportos têm os melhores preços. Outra opção é usar transporte público até uma das cidades dos Hamptons e de lá pegar um Uber/Táxi até a locadora. Há algumas locadoras na região.

Outra ideia também é contratar um passeio privado. A Leco Tour oferece esse passeio de um dia pela região para conferir alguns pontos legais da área. A empresa conta com motoristas brasileiros e carros super confortáveis, para você explorar os Hamptons sem se preocupar com mais nada. É um passeio privativo, no carro cabem até 6 pessoas e o trajeto passa pelas famosas mansões, centro comercial, vinícolas. Não esqueça de mencionar que você é leitor do blog para garantir um desconto especial.

  • Leco Tour Transportation / + 1 917-293-4754 / www.lecotour.com.br / contato@lecotour.com /  lecotour@live.com 

A opção de transporte público também existe, mas não considero que seja algo tão vantajoso. Explico: você usa o trem para chegar até as cidades, mas depois precisa de carro para ir de um ponto ao outro. Sim, existem empresas de táxi e até Uber, mas para a primeira opção você precisa ligar e pedir um carro e para a segunda o serviço não funciona tão rápido como na cidade grande, por exemplo. Há trens saindo da PennStation – o Long Island Railroad LIRR faz esse trajeto. Clicando aqui, você pode conferir o mapa. Veja a linha Montauk Branch, azul claro, no final de Long Island. Perceba que o trem tem paradas em Southampton, Bridgehampton, East Hampton, Amagansett e Montauk. Para vocês terem uma ideia, saindo da PennStation até Montauk são cerca de 3h40 min de trem. O valor do ticket varia de U$20 a U$30, dependendo do horário e do dia. Você pode clicar aqui e simular os preços, conferir horários e duração da viagem – basta escolher origem PennStation e o destino desejado (uma das estações que citei anteriormente).

Além disso, há empresas de ônibus que fazem o trajeto, com vários pontos de saída em Manhattan e várias paradas ao longo dos Hamptons. Você pode clicar aqui e conferir os detalhes.

Agora, vamos ao que interessa, as dicas do que fazer! Começando pelos restaurantes! Todos os endereços estão marcados no mapa ao final do post.

Para referência, saímos de Manhattan numa quinta, às 10h da manhã, e retornamos no sábado, no fim do dia

The Restaurant at Baron’s Cove – nossa viagem começou com um almoço no restaurante do Baron’s Cove, um hotel/resort que fica em Sag Harbor, região que também pertence aos Hamptons. O restaurante é super charmoso e tem uma vista bem bonita. A maioria dos restaurantes nos Hamptons, obviamente, tem foco nos frutos do mar (mas existem outras opções, claro). Esse restaurante abre para almoço, jantar e brunch e estava bem tranquilo quando chegamos. A comida é um tanto cara, mas a experiência valeu pelo conjunto da obra, o lugar é uma delicinha para um dia de verão. Pedimos ostras (meia dúzia, U$17), Fish Tacos (com dois tacos ENORMES, U$25) e Fish & Chips (porção bem generosa, U$25). Aqui, nós adoramos as ostras. A comida estava gostosa, mas nada extraordinária. Como eu mencionei, valeu pelo conjunto da obra.

The Surf Lodge – É um dos spots mais famosos de Montauk e, adivinhem? Foi fundado por uma brasileira, Jayma Cardoso. Quando ela abriu em 2008, ela pretendia criar um espaço que fosse fiel à simplicidade e beleza de Montauk – para lembrá-la de seu Brasil. É um hotel boutique, mas, mesmo que você não se hospede, pode aproveitar a vibe do lugar no restaurante ou no bar. Para vocês terem uma ideia, a família Obama já se hospedou lá, assim como supermodelos e pop stars. Outra coisa legal é que de junho a setembro acontece uma série de shows bacanas aqui também. Dica: o estacionamento mais próximo é a estação de trem, depois você caminha cerca de 5 minutos. O estacionamento do hotel é somente para hóspedes. Aqui, pedimos um drink e uma cerveja (drinks custam U$16, cervejas custam U$7). Dá pra conferir o menu clicando aqui.

  • Abre o ano todo!

 

Navy Beach – esse foi o melhor restaurante da viagem e provavelmente foi lá que vi (um dos) pôr do sol mais lindo da minha vida! Fundado em 2010, Navy Beach rapidamente se tornou o restaurante à beira-mar favorito de Montauk. Tem praia privada com vista para a Fort Pond Bay, e é um spot bastante procurando para casamentos. Além do menu com frutos do mar, tem uma das maiores seleções de vinhos rosé nos Hamptons. Tem um pôr-do-sol incrível e foi eleito pelo Newsday um dos cinco melhores restaurantes com vista para o mar no East End. Você pode tanto pegar uma mesa na rua como uma mesa dentro. O menu é à base de frutos do mar e conta com Small Plates (U$17), ótimos para dividir. Pedimos 5 desses (Tuna Tostada, Mussels, Octopus, Crab Cake e Burrata). Além disso, preciso fazer uma menção honrosa à Key Lime Pie, feita no restaurante. Foi simplesmente a melhor torta de limão que já provamos na vida! Você pode conferir o menu completo aqui. Mesmo que você não queira jantar, faça um favor a você mesmo e vá tomar um drink e assistir ao pôr do sol. É simplesmente fantástico!

  • Funciona de abril a setembro

Inlet Seafood Restaurant – outro restaurante com vista incrível, bem disputado no horário do pôr do sol. O menu também é focado em frutos do mar, porém, honestamente, optei nem incluir as fotos dos pratos porque não curtimos a comida. Pedimos ostras gratinadas, peixe grelhado e sushi. Não estavam ruins, mas não valeram o preço que pagamos. Aqui, recomendo ir para tomar um drink e apreciar o pôr do sol, porque realmente a vista é muito bonita e vale a pena!

  • Funciona de fevereiro a novembro.

Bostwick’s Chowder House – essa é uma boa opção de restaurante de frutos do mar em East Hampton. É uma gracinha, tem mesas na rua e também na parte interna e fica bem movimentado no fim de semana. Tem provavelmente o menu mais extenso dentre todos os restaurantes que fomos. Inclui pratos com lagostas, ostras, camarão e outros frutos do mar. Pedimos a Clam Chowder soup, uma sopa cremosa que é um clássico (U$8). Também pedimos Fish Tacos (U$24, gigantescos, recheados com guacamole também), e Crab Sandwich, acompanhado de fritas. Amamos a comida! Tudo estava muito delicioso e saímos mega satisfeitos de lá!

  • Funciona de abril a novembro.

Passeios

Centrinho de East Hampton – quem vai para os Hamptons e ama os seriados americanos precisa incluir um passeio por East Hampton (ou Southampton) no roteiro. Basicamente, a ideia é caminhar pela Main Street e apreciar a arquitetura fofa das lojas, cafés e restaurantes. Outro passeio lindo é descer a Main Street até a Main Beach. O caminho é simplesmente fantástico, com ruas arborizadas e, de quebra, você avista as famosas mansões por trás dos seus muros de vegetação. A Main Beach tem estacionamento e uma estrutura legal, se levarmos em conta que a maioria das praias é bem deserta.

Wölffer Estate Vineyard – uma das coisas pelas quais eu estava mais ansiosa nesta viagem era visitar as vinícolas da região! Infelizmente, só tivemos tempo de visitar uma – mas que valeu muito a pena! A Wölffer Estate Vineyard foi fundada em 1988 por Christian Wölffer, um homem com uma grande visão criativa e uma enorme paixão pela vida. A propriedade hoje pertence e é operada por seus filhos, Marc e Joey Wölffer e Winemaker / Partner Roman Roth. A propriedade abrange aproximadamente 190 hectares, incluindo propriedades em Mendoza, Argentina, e Mallorca, Espanha. Eles utilizam práticas agrícolas sustentáveis ​​e receberam certificado como uma das poucas vinhas reconhecidas pela viticultura sustentável de Long Island. Na vinícola, você pode, obviamente, comprar vinhos e também beber, claro. O tasting com quatro variedades custa U$25, mas eles também oferecem taças, garrafas e tábuas de queijos.

  • Abre o ano todo!
  • Veja indicações de mais vinícolas na região no mapa ao final do post.

Camp Hero State Park – fiquei apaixonada por esse lugar! Chegamos lá porque a ideia era avistar o farol de Montauk – Montauk Lighthouse – mas o parque em si me surpreendeu  muito mais. Para chegar lá, coloque no GPS Camp Hero Parking, o estacionamento do parque. Chegando ao estacionamento, você já vai se deparar com uma vista incrível para o mar, com lindos penhascos, uma imensidão de água e um silêncio encantador. Sério, que lugar! A luz do fim do dia deixa tudo muito mais lindo. Caminhamos pela trilha até avistar o farol – é um spot favorito para casamentos, inclusive. Depois, pegamos o carro e seguimos até o estacionamento do farol, pegamos um caminho lateral e chegamos a uma prainha linda. Ali na área também tem o Georges Lighthouse Cafe, para tomar um drink ou comer alguma coisa. O estacionamento custa U$8, mas é grátis após às 16h. Dá para entrar no farol também – o ticket custa U$12 – e dá inclusive para subir. Mas, tem que ficar atento aos horários no site oficial.

LongHouse Reserve  –  LongHouse Reserve é um jardim de reserva e escultura de 6 hectares localizado em East Hampton, com peças de Buckminster Fuller, Yoko Ono e Willem de Kooning, para citar apenas algumas. A LongHouse Reserve foi fundada por Jack Lenor Larsen, designer têxtil, autor e colecionador internacionalmente conhecido. Sua casa, LongHouse, foi construída como um estudo de caso para exemplificar uma abordagem criativa à vida contemporânea. Os jardins apresentam a paisagem projetada como uma forma de arte e oferecem uma diversidade de locais para as esculturas. Desde que adquiriu a propriedade em 1975, Jack Larsen estabeleceu uma entrada com linhas de criptomérias majestosas, gramados estabelecidos e bordas ornamentais, e definiu os principais espaços como cenários para coleções de plantas e esculturas. Fiquei encantada com esse lugar – e me lembrou muito Storm King, mas numa proporção menor. O lugar é encantador, um charme, valeu muito a pena ter visitado!

  • Abre às quartas e sábados, de abril a novembro, U$15 a entrada.

Honestamente, Montauk ganhou um lugar no meu coração. Tem muitas belezas naturais, vibe de cidade de praia, uma pegada mais descolada, simples. Amei e quero muito voltar! 

Gostaram das dicas? Lembrem-se sempre de checar no Google os horários de funcionamento. Todos os locais mencionados no post estão marcados no mapa, que inclui outras sugestões de lugares que não conseguimos conferir! 


4 Comentários

  1. Como sou novo lendo Seu blog. Vc poderia fazer um video, caso não tenha feito ainda. Sobre internet no celular. Local onde comprar chip com internt, quanto custa e locais com wifi gratis

  2. adorei! Aas fotos estão lindas e as informações muito bem descritas! Curiosidade, qual máquina fotográfica usou? Estou em busca de uma para viagens… Obrigada

Leave a Response