Diário de viagem

Diário de viagem a Nova York – Eduardo Câmara

O Diário de Viagem é uma seção que traz relatos de leitores do blog. Nesses relatos, eles contam como foi a viagem a Nova York, o que mais gostaram de fazer, o que não gostaram, dividem dicas, enfim: um diário mesmo. O convidada de hoje é o Eduardo Câmara, de Ribeirão Preto, SP. Ele ficou 12 dias, em março de 2019. Para conferir mais relatos, clique aqui.

Meu nome é Eduardo e estou muito feliz em compartilhar com vocês o sonho que foi nossa viagem a Nova York, aliás, escrever esse relato era um momento muito esperado também. Não tenho como iniciar o relato sem agradecer a Laura pelas dicas, pelo blog, pelos e-books, pelo canal no YouTube, pelo Instagram, enfim por toda ajuda. E é fato que qualquer brasileiro que procure alguma informação sobre Nova York sempre vai chegar até a Laura Peruchi.

Essa era/foi a viagem dos meus sonhos: se existia um lugar no mundo que eu gostaria de estar, esse lugar era Nova York, então mesmo se algo não foi perfeito, eu não me sinto no direito de reclamar….só agradecer. Viajamos eu e meu amigo Tadeu no período de 08 a 19 de março de 2019 (12 dias inesquecíveis). Planejamos muito, foram meses de pesquisas e no final deu tudo certo, só faltou tempo mesmo…rs. Como foi nossa primeira vez na cidade, queríamos curtir como típicos turistas; visitar os pontos mais conhecidos, comer as comidas mais famosas e curtir muito a viagem sem compromissos.

Parte do planejamento foi fazer um roteiro com as dicas retiradas do Blog e grupo do Facebook, e deu tudo muito certo. Para me organizar melhor, vou dividir o relato em tópicos e falar um pouco sobre nossa experiência e percepção :

Aéreo

Na nossa ida e volta de Ribeirão Preto para São Paulo voamos de Tam até o aeroporto de Congonhas, e a dica  é que a Tam tem um ônibus que faz o transfer Congonhas/Guarulhos ou Guarulhos/Congonhas de graça, basta apenas apresentar o cartão de embarque utilizado no mesmo dia. Para Nova York, pegamos voo noturno e direto da Delta, a viagem foi tranquila sem atrasos ou turbulências. Gostamos do atendimento da tripulação, das refeições e do entretenimento de bordo com bastantes filmes novos.

Transporte

Transfer: apesar de ter visto algumas vezes os vídeos da Laura e Paty de como ir de Air Train e Metrô do aeroporto ate o hotel, ficamos inseguros e optamos por pegar Shuttle, o que não recomendo, eu tinha lido que poderíamos ficar até 3 horas na van, e adivinhem o que aconteceu? Isso mesmo, ficamos 3 horas na Van…rs

Na volta, por conta das malas, preferimos voltar com uma van contratada  diretamente no hotel. Mas uma vez não foi uma boa experiência. O motorista era todo estressado e corria muito. Os outros passageiros da Van eram europeus, e todos estavam indignados. Inclusive ninguém deu gorjeta no aeroporto, o que rendeu um pequeno escândalo do motorista.

Andamos muito a pé pra curtir a cidade (saudade até das dores no pés…rs), e a melhor escolha foi comprar o Metrocard para uma semana. Vejam os vídeos da Laura de como utilizar o metrô; fica tudo mais fácil, inclusive na hora de comprar o Metrocard.

Hotel

Ficamos no Row NYC.  Destaque para a localização excelente. Acho que o hotel é padrão de Nova York, quarto pequeno, mas confortável. Reservamos com vista para a cidade, então a noite dava pra ver parte dos telões da Times Square, o que era emocionante. Apesar de ser muito grande, os elevadores são rápido e achei o hotel seguro, mas a recepção sempre tem filas (ponto negativo).O hotel em um bar que estava sempre cheio e animado, e também tem uma praça de alimentação (não utilizamos).

Broadway

Cher The Musical: no dia da chegada tentamos varias loterias da Broadway para testar, e ganhamos o Cher The Musical; apesar do cansaço da viagem não poderíamos perder a oportunidade…e ainda bem que fomos. Nossos lugares eram muito bons e o espetáculo é contagiante e engraçado, como não poderia ser diferente os cantores sensacionais. Na parte final parece que você esta em um show.

Aladdin: infelizmente não fomos mais sorteados na loteria, então no penúltimo dia da viagem decidimos comprar Aladdin. Fomos cedo diretamente para a fila do teatro. O rapaz nos ofereceu duas opções de localização, mezanino por $90 ou orquestra por $120. Compramos na orquestra, mas não imaginávamos que o lugar seria tão bom; simplesmente na primeira fila e no meio, na nossa frente apenas o maestro quando levantava…rs. Não achei barato, mas sinceramente valeu muito a pena. É tudo muito bonito e grandioso. O gênio é um show à parte; e lógico que o momento mais emocionante foi o do tapete voador; de cair o queixo de tão linda a cena. Eu iria de novo com certeza.

Pontos turísticos

  • Times Square: Era o lugar que mais me fazia suspirar e pensar “ Estou em Nova York!”.  Passamos pelo menos uma vez no dia…rs. No primeiro dia achei tudo lindo, mas no último talvez pela emoção da despedida, achei maior e mais emocionante. Confesso que chorei.
  • Central Park: programamos “uma passadinha” pra ficar umas duas horas, ficamos por seye horas. A beleza do lugar me surpreendeu muito; ainda tinha neve que havia caído no início da semana, o que deixou a paisagem mais linda ainda. Voltamos mais duas vezes.
  • Columbus Circle: já havíamos passado por ele, mas me marcou um domingo de manhã que estava chovendo. Tirei fotos lindas…eu, um guarda chuva e o Central Park ao fundo.
  • Museu de História Natural: não somos muito ligados em museus, mas esse é muito legal. Achamos tudo interessante e muito bem dividido. Os dinossauros impressionam.
  • St. Patrick Cathedral: Assisti ao final de uma missa no domingo de manhã. A igreja é enorme em ambos os sentidos, na arquitetura e significado. Acendemos uma vela em agradecimento à viagem.
  • Bryant Park: Chegamos e pensei “Só isso? Que pequeno”, mas pegamos um chocolate quente no Starbucks e ficamos curtindo o local, só ai eu entendi como o parque é lindo e gostoso de ficar. Uma das lembranças mais agradáveis da viagem.
  • Grand Central: Ficamos observando as pessoas em suas correrias diárias no final da tarde. Olhando do alto é tudo tão bonito que parecia ter sido ensaiado para uma cena de filme.
  • Top of the Rock: passamos pela manhã e retiramos os ingressos para o horário do pôr do sol (dica da Laura), e valeu muito a pena. Apesar de estar lotado, e muito frio, a vista compensou. Ver o Empire State se iluminar não tem preço. Compre ingressos para o Top of the Rock.
  • Estátua da Liberdade: Fizemos o passeio que desce na ilha. Eu até concordo que não tem muita novidade, mas eu tinha aquela expectativa criada desde criança e queria ficar ali o quanto tempo fosse preciso. Não descemos na Ellis Island. Compre ingressos para a Estátua da Liberdade.
  • Wall Street e Charging Bull: Vale a pena a visita, é interessante ver o ritmo das pessoas que trabalham ali se contrapondo com o ritmo dos turistas. Lógico que ficamos na fila (enorme) para tentar a sorte de  ficar ricos com a ajuda das “bolas” do touro……rs.
  • 9/11 Memorial e Museum: lugar triste, mas linda a homenagem no local dos atentados. Algumas pessoas relatam que não se sentem bem, eu fiquei tranquilo, sensação diferente que senti na visita ao museu, que no início achei tudo muito interessante, mas depois  quis sair porque vai ficando pesado.

  • One Word Terminal (Oculus) e One Word Observatory: visitamos ambos depois do museu, o que serviu para aliviar a tristeza. No observatório, adoramos a vista que é diferente do Top of the Rock (vale a pena visitar os dois); também fomos no por do sol e achamos incrível a vista das duas pontes. Quando descemos, saímos pelo Oculus que é lindo e muito movimentado. Vale ficar ali um tempo. Compre ingressos para o One World Observatory.
  • Highline e Chelsea Market: como era inverno, não tinha o verde que imagino deixar o Highline mais bonito ainda, mas mesmo assim foi muito legal, deitamos nas “espreguiçadeiras” e  ficamos curtindo o sol. Depois, descemos para o Chelsea Market que achei parecido com outros “mercados” de cidades turísticas, mas valeu  muito conhecer. Como tínhamos acabado de almoçar não comemos nada, mas tem muitas opções.
  • Madame Tassauds: não conheço outro, então me surpreendi com os bonecos, que “pessoalmente” são muito mais reais que nas fotos. Tem alguns que eu ficava até sem graça de olhar nos olhos…rs. Valeu muito pela diversão.
  • Soho, Chinatown e Little Italy: separando um dia para fazer os três locais de uma vez. Adoramos o Soho, eu moradia ali num daqueles prédios de escadinhas  facilmente…rs.  Achei interessante que até as lojas são adaptadas para a arquitetura do local. Chinatown foi uma decepção; lógico que valeu visitar e conhecer, mas me incomodou a abordagem dos vendedores na rua. Quanto as lembrancinhas, talvez não achamos as lojas certas, mas  não tinham os preços melhores que em outros lugares. Little Italy passamos rápido, mas paramos para almoçar e tomar um gelato, o que valeu muito a pena.
  • LOVE / HOPE: saímos num dia de manhã para procurar as duas esculturas, o que não foi difícil de achar, tinham filas para tirar fotos, mas era rápidas.

PS. Para atrações compramos o Sightseeing Flex Pass.  Clique aqui para comprar um passe!

Tours

A Grande Maçã Movie Tour: foi o dia que passamos mais frio em Nova York, mas foi tão legal que isso nem incomodou. O mais legal são os detalhes e histórias sobre a cidade. É muito legal depois passar pelos pontos, e saber um pouco mais sobre o lugar. E foi durante o tour que fomos em um dos locais que eu mais queria conhecer, o “prédio dos Friends”, só quem ama o seriado sabe como é legal estar ali.

Brooklyn Tour (Nyorquina): Com certeza, um dos dias da viagem que guardo com mais carinho. A Paty é sensacional, tem uma energia maravilhosa e isso se reflete no grupo. O tour é muito divertido e leve. É muito legal atravessar a ponte e ir conhecendo sobre a construção. Adoramos o Dumbo, da vontade de ficar ali por horas; e foi especial conhecer Willianburg com a Paty, da pra sentir o orgulho que ela tem apresentar aquele pedaço de Nova York. As fotos na ponte ficam lindas.

Compras

Não era nosso foco na viagem, por isso optamos por não  ir a um outlet. Mas não teve jeito, da vontade de trazer a cidade na mala, aliás, malas, pois tivemos que comprar mais uma cada para voltar; e por falar em mala encontramos as mais bonitas na Marshalls – a que fica na 6ª avenida tem uma quantidade absurda. Claro que fomos nas lojas de remarcações, e tivemos gratas surpresas, principalmente na Century 21, que me pareceu mais organizada, destaque para os óculos de sol e relógios. Outras lojas com preços baixos e produtos legais foram a Lost Less e Jacks, que são ótimas para chocolates; Five Below compramos doces e balas e na Target compramos M&M’s de todos os sabores….rs. Lembrancinhas compramos na Grand Slan que fica na Broadway, no andar inferior tem até uma seção de $0,99. Ficamos impressionados com a quantidade de produtos diferentes que tem nas farmácias, com o tamanho da Macy’s e o atendimento na loja da Apple.

Comidas

Viagem boa é viagem que se come bem….rs. E Nova York se come muito bem!

  • Eu amo hambúrguer, então eu queria experimentar todos, desde os mais famosos até os que têm no Brasil (McDonalds, Burger King), que achei igualzinho aos daqui, então não vale a pena comer em Nova York. Dos mais famosos, o Five Guys eu não curti muito, achei seco, e a batata, apesar de vir muito, é igual às batatas fritas em casa. Já o Shake Shack foi “O HAMBÚRGUER” da viagem, além do hambúrguer, o milkshake é o melhor que já tomei na vida, destaque para o sabor cookies and cream.
  • Lógico que experimentamos a pizza de $0,99, e aprovamos, mas a melhor pizza foi a mais famosa e que tinha as maiores filas que é a Joe’s Pizza. A pizza de pepperoni é o sabor que marcou, sempre vou lembrar de Nova York.
  • Sobre o cachorro quente, comemos somente o do Natan’s que fica na esquina do Central Park, achei estranho a salsicha parece uma linguiça, e quase não tem recheio. Mas valeu pela experiência.
  • Optamos pelos restaurantes mais conhecidos também, jantamos no Junior’s, Carmine’s, La Bella Vita (Little Italy) e Oliver Garden: as comidas são maravilhosas, tudo gostoso e  muito bem servidos, mas  achamos caros.
  • No hotel não tinha café da manhã, aproveitamos isso para experimentar de tudo: Dunkin’ Donuts, Starburks, Pret a Manger, The Red Flame, Ferrara Bakery, Europa Café (destaque para as panquecas maravilhosas). Fazíamos passadas rápidas para pegar alguma coisa para comer, mas tudo era delicioso, parece que em Nova York tudo é mais saboroso.
  • Não me lembro de ter encontrado doces e tortas tão gostosos como nessa viagem, comemos vários e não consegui definir qual o melhor, mas valeu muito a pena conhecer os dois mais comentados no blog, que sãp o Banana Pudding da Magnolia Bakery e os Cookies da Levain Bakery.

Essa foi com certeza a melhor viagem da minha vida. Foi especial cada momento, desde o planejamento até esse momento de escrever o relato relembrando de tudo. Como muitos, eu já não vejo a hora de voltar. I Love NY!

Gostaram do relato do Eduardo? Se você quiser participar, envie seu relato para análise para laura@lauraperuchi.com COM FOTOS, seu nome completo e cidade/estado. LEMBRE-SE que é preciso ser detalhista. Não precisa escrever um livro, mas seu relato tem que ser informativo!


Leave a Response