Diário de viagem

Diário de viagem a Nova York – Filipe Carvalho

O Diário de Viagem é uma seção que traz relatos de leitores do blog. Nesses relatos, eles contam como foi a viagem a Nova York, o que mais gostaram de fazer, o que não gostaram, dividem dicas, enfim: um diário mesmo. O convidado de hoje é o Filipe Carvalho, de São Carlos/SP. Ele ficou 8 dias na cidade, em novembro de 2018. Para conferir mais relatos, clique aqui.

Eu e minha mulher passamos oitos dias intensos em Nova York. Compramos nossas passagens pela Avianca  (excelente companhia aérea) e nos hospedamos pelo Airbnb, e antes de embarcarmos já tínhamos comprado os passeios, o  transfer, e o musical do Rei Leão, sendo que  muitas destas coisas fechamos através das indicações do blog da Laura.

Veja indicações de quartos e aptos em Nova York, com hosts brasileiros!

Dia 1  – Chegamos no aeroporto às 7h e passamos pela imigração sem nenhum problema, foi muito rápido e tranquilo, só nos perguntaram o motivo da viagem e quanto tempo íamos ficar. Logo, nosso transfer chegou e fomos direto para a casa no Brooklyn. Deixamos as coisas no nosso quarto na casa e já saímos para conhecer a região do Dumbo e o Brooklyn Bridge Park. Que lugar incrível! esta é uma palavra que você vai ver muito nesse relato. Primeiro, fomos diretamente para a Washington Street, para a famosa foto da ponte, depois andamos por todo o parque. Andamos também pelo Brooklyn Heights, almoçamos no Shake Shack e fomos andar na Fulton Street, onde tem a GAP Factory e uma Century 21, e compramos algumas coisas por lá. Depois, voltamos até o Dumbo para jantar no Cecconi’s (fizemos a reserva antes no OpenTable) a famosa pizza de trufas negras. Uma delicia! Depois de andar bastante finalmente voltamos pra casa.

Veja algumas dicas para explorar essa área do Brooklyn.

Dia 2 – O dia começava cedo, levantávamos às 7h e às 8h30 já estávamos na rua. Afinal, o tempo tinha que render. Saiba que Nova York não era uma cidade para se descansar, principalmente se for a sua primeira vez.  Neste dia, fomos direto para a Grand Central Station e exploramos toda aquela região. Catedral St. Patrick, Rockefeller Center (com a montagem da árvore de Natal em andamento) e o sensacional observatório do Top of the Rock! Lugar imprescindível na lista de todo mundo. Embora estivesse um dia um pouco nublado, não atrapalhou em nada a vista maravilhosa de Manhattan, é incrível! Já tínhamos comprado o City Pass, então nem pegamos fila, estava bem tranquilo. De lá descemos e fomos conhecer as esculturas Love e Hope e a Times Square, mas nesse dia tivemos o plus da nossa viagem: a neve! Sim, neste dia nevou e foi uma experiência única sentir/ver a neve caindo. Já tínhamos visto neve em Santiago, mas nunca tínhamos visto começar a nevar! Por isso, não aproveitamos tão bem a Times, ficamos mais na loja da MM´s. Depois voltamos para casa, nos arrumamos e fomos para Broadway assistir O Rei Leão, que espetáculo maravilhoso! Depois encerramos a noite no Hard Rock Café, para celebrar nosso aniversário de casamento!

Clique aqui para comprar um PASS.

Compre ingressos para O Rei Leão.

Dia 3 – Dia de conhecer a parte sul da ilha e a Estátua da Liberdade. Fomos logo cedo conhecer o Touro de Wall Street, demos uma volta na região, e fomos para a balsa para ir até a Estátua. Que passeio maravilhoso! A ilha é linda, e a vista de Manhattan é incrível, e a estátua é sensacional, maior do que eu imaginava (depois de tanta gente falando que a viu somente do ferry e que ela era pequena). Valeu muito à pena ter ido até lá. Na volta não paramos na Ellis Island. Chegando em Manhattan, caminhamos pelo Battery Park e vimos a Águia de Bronze e o monumento aos imigrantes. Depois, caminhamos por Wall Street, conhecemos a Bolsa de Valores,  Federal Hall e fomos até o memorial do 9/11. Vimos o One World e entramos na estação Oculus, linda! A ideia era subir no observatório, mas não estava um clima tão bom, então deixamos para outro dia. Comemos pizza no Eataly, passamos na praça onde fica a prefeitura de NY e depois fomos de metrô até a Times Square para visitar o Madame Tussauds, muito divertido! Finalizamos a noite comendo um hot dog na escadaria da Times Square.

Quer saber como visitar a Estátua da Liberdade? Clique aqui e confira um vídeo comparando alguns passeios.

Dia 4 – Fomos até Columbus Circle e de lá caminhamos até o Museu de História Natural, que lugar fantástico, não somos muito de museu, mas este estava em nosso roteiro desde o início. Visitamos apenas os lugares principais, porque o museu é enorme e meio que nos perdemos na hora de sair. Pedimos um prato naqueles trailers de rua e fomos comer no Central Park. Andamos um pouco por lá, fomos no Bethesda Fountain e no Imagine. De lá, passeamos mais uma vez pela Times  e voltamos para casa. À noite, fomos jantar no Raclette, comida maravilhosa. O lugar é pequeno e por isso está sempre lotado, tivemos que esperar por 30 min, mas foi tranquilo porque encontramos um casal de brasileiros que moram em uma cidade bem próxima da nossa. Nosso plano era curtir um show de jazz depois, mas o cansaço bateu depois de comermos e voltamos para casa.

Dia 5 – Era domingo e fomos de Uber para o culto da Brooklyn Tabernacle das 9h. Foi muito bom! O coral é sensacional, e o clima daquelas igrejas americanas que sempre vemos nos filmes estava presente. Ficamos até o final, o pastor da igreja diz que ali não é um ponto turístico mas, se após o louvor, você quiser sair você pode. Como somos evangélicos, queríamos ficar até o final. E que surpresa! Depois do louvor, o coral apresentou três músicas onde só eles cantaram. Foi demais! Pena que não se pode filmar. Sem contar que o sermão foi muito bom também, foi uma experiência única. De lá, fomos para o Central Park iniciar nossa jornada pelo parque: decidimos conhecer toda a parte sul, juntamente com todos os principais pontos. Descemos na estação próxima ao MET (tiramos a foto clássica na escadaria) e dali entramos no parque e fomos até o lago e depois descemos. Que caminhada! Andamos por quase 3h, minha mulher quase me matou. Mas, no fim, valeu à pena! O parque é incrível e as folhas do outono o deixam muito bonito. Encarramos o passeio andando no carrossel. Neste dia, comemos no Ellen´s Stardust, e foi incrível! Os garçons cantando são demais e a comida é muito boa! Um verdadeiro espetáculo!

Saiba mais sobre  a Brooklyn Tabernacle.

Dia 6 – Fomos direto para a Washington Square, onde tem o arco, de lá caminhamos até o Flatiron Building. Seguimos para o Bryant Park, onde entramos na biblioteca pública, que vale uma visita, e depois fomos patinar no gelo. Foi uma experiência incrível, nunca tínhamos feito isso, foi demais! Seguimos depois para pegar o teleférico para a Roosevelt Island. Chagando na ilha, pegamos o ônibus gratuito que dá a volta na ilha e paramos na parte sul, onde tem o parque e a escultura em homenagem ao presidente Roosevelt. É lindo! Tem uma ótima vista para Manhattan. Ver o entardecer daquele lugar foi incrível. Depois, pegamos o NYC Ferry com destino a Wall Street, e poder ver as luzes da cidade se ascendendo foi inesquecível! Chegando na parte sul da ilha, fomos para o observatório do One World. É grandioso, um verdadeiro espetáculo. Ver a cidade toda iluminada foi sensacional.  Deve ser incluído em qualquer roteiro. Todo o percurso até as janelas é um show! É surpreendente, vale muito a pena. Depois de lá, esticamos para o 230 Rooftop lugar muito bom e acessível, com um clima bem descolado e uma vista privilegiada do Empire State. E encerramos a noite jantando no Bubba Gump.

Saiba mais sobre a Roosevelt Island.

Saiba mais sobre o NYC Ferry.

Compre ingressos para o One World Observatory.

Dia 7 – Começamos o dia atravessando a ponte do Brooklyn no sentido Brooklyn – Manhattan. O dia estava um pouco nublado, mas não atrapalhou em nada nosso passeio. Compramos algumas lembrancinhas quando chegamos do outro lado e, andando para Chinatown, passamos pela Suprema Corte. Passamos pela Little Italy. Depois fomos de metrô até o prédio do Friends. Para quem é fã vai adorar, para que não é, não vai achar nada demais (minha mulher não gostou). Depois partirmos para a Times para utilizarmos nosso último Pass fazendo um tour com aqueles ônibus Hop on Hop off. Pegamos o tour para Downtown, para ver lugares que não tínhamos visto a pé. Um conselho, caso faça esse passeio, vá com tempo e durante o dia, porque demora e à noite faz frio (estávamos na parte descoberta de cima, e não tinha mais lugar disponível  na parte coberta). O trânsito em NY é intenso e isso faz com que o passeio fique um pouco cansativo. Ver a cidade a noite foi legal, principalmente o prédio da ONU, mas o frio pegou. Quando descemos no ponto final, fomos direto para o Madison Square Garden assistir o jogo dos Knicks x Portland Trail Blazers. Não foi apenas um jogo de basquete, foi um show! Durante os intervalos tem sempre uma atração. Muito bom!

Quer comprar ingressos para eventos esportivos em Nova York? Clique aqui!

Dia 8 – Nosso último dia e, como sempre, começou cedo! Fomo direto para o High Line. Atravessamos o parque de ponta à ponta, é um lugar muito bonito. No começo, paramos para tomar café no Chelsea Market, e, depois, seguimos até o Hudson Yards. Descemos e fomos às compras, que deixamos para fazer no último dia. Iniciamos na Buy Buy Baby, para comprar babá eletrônica e umas coisas para bebê; deixamos para comprar roupas de criança na Century 21 perto do One World, estavam mais baratas lá. Compramos roupas para nós e roupas neutras para o futuro neném, e uma mala de mão para trazer as coisas a mais. Valeu muito a pena para nós, esta loja atendeu nossas necessidades.  Compramos as lembrancinhas bem mais em conta na I Love Souvenirs. Nos despedimos da ilha dando a última volta na Times Square. Chegamos em casa e foi aquele sacrifício para fazer as coisas caberem nas malas, inclusive tivemos que comprar mais uma lá no Brooklyn! Chamamos um Uber Pool para nos levar ao aeroporto, e foi tranquilo. Passar pela “policia federal” de lá na volta foi um processo demorado, vá com bastante antecedência. Embarcamos no horário marcado sem nenhum problema.

Saiba mais sobre Uper e outros apps em Nova York

É isso, ficou meio grande, mas é muita coisa mesmo! Abaixo seguem algumas observações:

  • Compramos o Sightseeing Flex Pass com 5 passeios pelo Decolar.com; os ingressos para O Rei Leão compramos pelo Blog da Laura; o transfer fechamos com o Emerson Mancha (indicado pela Laura) e os ingressos para o jogo de basquete pelo StubHub (também indicado pela Laura).
  • Como estávamos no Brooklyn, quando íamos à Manhattan, passávamos o dia inteiro lá; poucos dias voltamos para casa para depois sair de novo. Saíamos às 8h30 e voltávamos para casa por volta das 23h.
  • Andamos bastante, era o dia inteiro andando. Usamos e abusamos do metrô, mas para conhecer mais a cidade optamos por ir de um ponto turístico a outro a pé. Menos,  é claro, os que estavam muito longe um do outro. Nova York não é uma cidade para se descansar, é para se desbravar, e o melhor jeito de se fazer isso é andando muito.
  • Não compramos chip de celular e não nos fez falta. Além do Wifi em todas as estações, pela cidade há vários outros pontos, seja da rua ou das lojas. Não passamos aperto por não ter um chip. Baixamos o mapa off-line de NY no Google Maps, e nos ajudou muito. Veja mais sobre chips!
  • As lojas de departamento atenderam perfeitamente nossas necessidades, compramos na Target e Century 21, achamos a Macys mais cara.

Obrigada, Filipe, por contribuir com seu relato!

Gostaram do relato do Filipe? Se você quiser participar, envie seu relato para análise para laura@lauraperuchi.com COM FOTOS, seu nome completo e cidade/estado. LEMBRE-SE que é preciso ser detalhista. Não precisa escrever um livro, mas seu relato tem que ser informativo!


Leave a Response