turismoviagem

Nosso fim de semana prolongado em Upstate NY – roteiro, dicas e mais!

Se você me acompanha pelo Instagram – aproveita e me segue @laura_peruchi – viu que estivemos em Upstate NY no último fim de semana. Passamos quatro dias nessa região que fica ao norte do estado de Nova York e oferece uma infinidade de atividades. Quando você pensa numa road trip pela área de Nova York, é provável que você pense em cidades como Philadelphia, Boston e Washington DC, certo? Mas nem todos sabem que o estado de Nova York oferece vários lugares e programas incríveis. Nossa programação incluiu trilhas, vinícolas, gastronomia e muito mais! Eu estava muito animada para dividir o nosso roteiro com vocês, pois acho que é uma região que não é conhecida por muita gente e que tem muito potencial! Além disso, nessa época do ano a paisagem estava especialmente linda, por conta da folhagem de outono!

Logística – apesar do norte do estado ser bem servido de linhas de trem (MetroNorth e Amtrack contam com trens para a região), você fica um pouco limitado se depender apenas desse meio de transporte. O trem pode ser uma boa opção para um dia de passeio, quando você vai a um ou dois lugares e volta à cidade. No nosso caso, num fim de semana prolongado e com vários locais para explorar, a melhor pedida foi alugar um carro. E aqui fica minha primeira dica: nós alugamos o carro em Upstate, em Poughkeepsie, a cidade onde ficamos hospedados e já já vou falar a respeito. Usamos o MetroNorth para chegar a Poughkeepsie – você pode sair da estação do Harlem ou da Grand Central, pagamos U$18 por pessoa e a viagem dura 1 hora e 30 minutos. Ao chegar em Poughkeepsie, pedimos um Uber até a locadora. Além de conseguirmos preços mais em conta, também nos livramos do fator trânsito para sair e entrar em Manhattan. Alugamos o carro pela Avis, de quinta a domingo, e pagamos cerca de U$188. O processo de retirada do carro também foi super rápido. A cidade conta com outras locadoras também. Para pesquisar, eu simplesmente digitei “car rental Poughkeepsie” e fui simulando as datas.

Hospedagem – nós escolhemos Poughkeepsie como cidade para ficarmos hospedados devido à logística, já que ela meio que ficava no caminho de todos os programas que queríamos fazer e lugares que queríamos visitar. Há hotéis de rede, mas o Airbnb acabou sendo a opção mais barata. Há vários quartos e apartamentos inteiros na região de Upstate disponíveis no Airbnb. Nós ficamos em um flat super fofo – vocês podem clicar aqui para conferir. Tinha o tamanho ideal para nós dois, confortável, iluminado, com estacionamento fácil. O host foi super solícito. Com certeza, ficaríamos hospedados lá novamente! Se você nunca usou o Airbnb, clique aqui e ganhe U$40 em créditos. Nossa hospedagem custou cerca de U$500 – mas, novamente, há opções mais baratas!

Para quem estiver pensando em explorar Upstate, sugiro fazer um roteiro daquilo que te interessa e depois procurar uma hospedagem que fique no meio do caminho. Também sugiro alugar o carro na mesma cidade, para facilitar. 

Roteiro – como eu falei no início do post, Upstate é uma região vasta, com dezenas de cidadezinhas e muita coisa para se fazer. Meu roteiro partiu das dicas de uma amiga, a Lindi, que passou um fim de semana prolongado na região. Fui marcando o que me interessava no mapa e também pesquisei coisas para se fazer. Além disso, nosso host deu várias sugestões de vinícolas, restaurantes e lugares para serem visitados. Nossa ideia não era fazer mil coisas – queríamos relaxar e explorar com calma, então, não nos preocupávamos em acordar muito cedo! Queríamos curtir! A seguir, vou relatar e detalhar o que fizemos a cada dia.

Brasserie 292

Dia 1/quinta-feira – saímos de Nova York no trem das 10h da manhã; chegamos em Poughkeepsie 11h30 e fomos de Uber até à locadora. Depois, seguimos para o Airbnb, onde já deixamos as malas e fomos almoçar no Brasserie 292, um restaurante francês super gracinha! Tem um lunch special por U$22, que inclui entrada, prato principal e sobremesa. Thiago pegou o lunch special – sopa de cebola, steak com batatas e mousse de chocolate – e eu peguei um prato apenas – um filé de peixe com espinafre e purê de batatas (U$20). A comida estava uma delícia e fomos muito bem atendidos. Dali, passamos em uma farmácia, compramos água e snacks porque seguiríamos para nossa primeira aventura: uma trilha na Beacon Mountain, uma montanha que fica na cidade de Beacon, mais ao sul dePoughkeepsie (cerca de 25 minutos de carro). Tem estacionamento gratuito na entrada da trilha e banheiros. Minha amiga já tinha avisado que não era uma trilha fácil e realmente não foi. Foram 50 minutos de muita subida, parando várias vezes para tomar fôlego, mas valeu muito a pena – a vista lá de cima é sensacional. Voltamos para Poughkeepsie e preciso fazer um adendo sobre os trajetos de carro. As rodovias são bem sinalizadas e o trânsito flui muito bem. A região é um aglomerado de pequenas cidades, ou seja, você está no interior. Esses trajetos incluiam vistas sensacionais não só para a folhagem de outono mas também para as casas, que têm arquitetura muito diferente da que estamos acostumados. É como se você fosse transportado para um filme ou seriado. Impossível ficar entediado.

Beacon Mountain

The Amsterdam

À noite, fomos para Rhinebeck, uma cidade que fica a menos de 30 minutos de carro de Poughkeepsie, para jantar no The Amsterdam – fizemos reserva. Esse restaurante fica numa casa holandesa de 1798, comprada por um casal natural de Toronto. A inspiração do menu veio dos restaurantes de Nova York e Toronto favoritos do casal e tem um conceito farm to table – de usar ingredientes frescos e de produtores locais. Foi a melhor experiência gastronômica dessa viagem e certamente uma das melhores deste ano! Pedimos uma entrada com ricota de leite de cabra, mel e presunto de parma de pato, com pão tostado (U$14). De prato principal, eu escolhi um risoto, com pesto de rúcula(U$21), e o Thiago optou pelo gnnocci de batata com vegetais (U$23). Ambos os pratos eram super bem servidos e gente… que comida deliciosa, fresca, saborosa. Eu fico com água na boca só de lembrar. Também pedimos uma sobremesa para dividir – uma calda de maçã e sorvete (U$8) e estava dos deuses. Ah, e também bebemos um flight de cervejas, que são quatro amostras (generosas) de quatro tipos cervejas (U$13). Além da comida ser simplesmente fantástica, o ambiente do restaurante é uma lindeza só. Sério. Voltaria dez vezes nesse restaurante!

The Village Tea Room

Dia 2/sexta-feira – apesar do flat onde estávamos contar com cozinha completa, não compramos nada e fazíamos nossas refeições na rua mesmo. Na sexta, o programa principal do dia era conhecer Mohonk Mountain House – um resort maravilhoso que fica em New Paltz – a 35 minutos de carro – e, por isso, escolhemos um café no caminho. O The Village Tea Room é um lugar de chá da tarde super gracinha, que serve café, almoço e jantar. Eu pedi um sanduíche de pesto (U$15) e Thiago escolheu a fritatta (U$8), além de café preto.

Dali, partimos para Mohonk e a paisagem de outono fez o caminho ser magnífico. Mohonk é um dos melhores resorts do país, fica numa paisagem incrível, com um lago em frente e tem arquitetura vitoriana. Parece que você está na Europa. Esse lugar estava na nossa lista há pelo menos dois anos e eu suspirava vendo as fotos.  Há várias maneiras de você conhecer o local:

  • A primeira, obviamente, é ficando hospedado lá. É um resort all inclusive, com refeições e tudo mais. Você pode conferir detalhes dos quartos aqui.
  • Outra maneira é comprar um pacote de Spa – há várias opções de tratamento disponíveis e você pode conferir preços e detalhes aqui.
  • Você também pode fazer uma reserva para café da manhã, brunch, almoço ou jantar, todos com buffet. O almoço custa U$71 (adulto) e U$39 (crianças). O jantar e o brunch custam U$81 (adulto) e U$41 (criança). O café da manhã custa U$48 (adulto) e U$27 (crianças). Ao clicar aqui, você consegue checar mais detalhes, como o menu e também o horário de cada refeição. Recomendo fazer a reserva com antecedência (é pelo telefone, (855) 883-3798). Nós não conseguimos reserva para  nenhuma dessas refeições.
  • A outra opção para visitar Mohonk é através de um passe de Hiking (para fazer trilhas) – que custa U$22 (dias de semana) e U$27 (fins de semana) por pessoa. O passe não dá acesso às dependências do resort e é imprescindível que você leve água e algo para comer. Além disso, quem compra o passe de Hiking tem que deixar o carro estacionado na primeira entrada da montanha. Dali até o resort, você vai caminhar quase uma hora (é longe). Portanto, tenha isso em mente. Com o passe de Hiking, você é livre para circular pela área ao redor do resort, que tem uma vista sensacional! Também há banheiros públicos. Nós só fizemos uma trilha, mas há outras – são mais de 100 km de trilhas na área do resort!
  • Se você clicar aqui, vai poder conferir as opções de transporte público até lá – porém todas vão exigir que você peça um táxi até o resort. Eles oferecem transporte da estação de ônibus apenas para hóspedes.

Fiquei triste por não conseguirmos uma reserva para almoço – até porque teria sido ótimo poder ter ido de carro até o resort. especialmente para a volta, quando eu já estava bem cansada.

Vale checar o site oficial para ter uma ideia de todas as atividades oferecidas e sim, abre o ano todo.

Depois de sair de Mohonk, passamos na Lagusta’s Luscious, em New Paltz, para tomar um chocolate quente e comer uns chocolates. O lugar é uma gracinha e os chocolates são de fabricação própria e uma delícia. O chocolate quente também é muito gostoso. Há apenas dois lugares para sentar. Dali, partimos para a State University of New York at New Paltz. Upstate é uma região cheia de universidades, sabiam? Queríamos visitar essa especialmente para conferir o The Atrium, cuja arquitetura lembra a pirâmide do Museu do Louvre. Caminhamos pelo campus, que é muito bonito, demos uma volta e depois voltamos para o Airbnb.

Nossa sexta-feira terminou no The Culinary Institute of America, instituição de ensino superior focada em gastronomia, que conta com alguns restaurantes onde quem trabalha são os alunos. Nós fizemos uma reserva no American Bounty Restaurant – mas há outras opções também e você pode clicar aqui para conferir. O campus é muito bonito, assim como o restaurante. A comida é muito gostosa, mas talvez um pouco overpriced pelo tamanho das porções. Nós pedimos o Octupus (polvo) de entrada (U$14) e de prato principal eu escolhi o Lamb Barbacoa (U$31), prato com carne de cordeiro, e Thiago escolheu  Royal Trumpet Mushrooms (U$22) com hummus e cogumelos. De sobremesa, pedimos o Sweet Potato Panna Cotta, servido com sorvete de banana (U$10), cuja porção dividimos – essa sobremesa estava sensacional!

Dia 3/sábado – a previsão mostrava chuva para o dia inteirinho e assim foi! Para esse dia, havíamos programado visitar vinícolas da região. E você aí achando que só em Napa Valley que poderia ter essa experiência, né? Fomos fazer um brunch no Alex’s, um diner super tradicional da cidade. Os preços são ótimos! Thiago pediu o Egg’s Benedict (U$11) e eu pedi o Griddled Meal, que vem com bacon, panquecas e ovos. Devidamente abastecidos, pegamos a estrada para começar nosso tour pelas vinícolas. Vou falar brevemente das três que visitamos – todas elas ficam de 20 a 30 minutos de Poughkeepsie.

  • Millbrook Vineyards & Winery – é uma das mais famosas da região. Fica numa área que estava especialmente linda por conta da paisagem de outono e tem bastante uvas plantadas, além de espaço externo com mesas para fazer picnic. A estrutura da vinícola conta com loja, mesas para degustação e espaço para eventos. A degustação com 6 vinhos custa U$12,50 por pessoa (e você ainda leva a taça). Também contam com menu com queijos e frios. Abre o ano todo!
  • Nostrano Vineyards – o espaço físico em si é pequeno, mas muito aconchegante. A degustação com 6 vinhos custa U$6 por pessoa. Há tábuas de queijos e frios, a partir de U$22 para quatro pessoas. A região onde a vinícola está localizada também é linda. Abre somente aos fins de semana!
  • Benmarl Winery – das três que visitamos, essa é a que tem a estrutura mais bonita. Por ficar próximo ao Hudson River, tem uma vista sensacional. Aos fins de semana, eles oferecem pizzas (a partir de U$10). Também há uma padaria com algumas opções. A degustação com 6 vinhos custa U$10 – e acabamos levando duas garrafas dessa vinícola. Cheque o site para dias e horários.

À noite, fomos jantar no The Artist’s Palate, que nos foi recomendado pelo host do Airbnb. Ambiente moderno e bonito! Fica bem no centrinho de Poughkeepsie. Pedimos o Artist’s Plate de entrada (U$18), que vem com queijos, frios e patê, uma delícia! De prato principal, eu pedi os Scallops (U$30) servidos com couve crocante e geleia de bacon, uma delícia! Thiago escolheu o Duck Breast (U$28), peito de pato defumado servido com arroz negro.

Dia 4/domingo – tínhamos um programa especial reservado para esse último dia – um passeio de balão em Middletown, a cerca de 50 minutos de Poughkeepsie, com a empresa Above the Clouds. Fiquei muito empolgada quando soube desse passeio e fiz questão de reservar, já que seria uma experiência bacana ver a folhagem de outono de cima. Fiz a reserva pelo telefone, uma semana antes, assim como o pagamento – U$199 por pessoa, por um voo de 20 a 30 minutos. Infelizmente, devido a condições climáticas, o voo foi cancelado (fomos avisados na noite anterior). Eles dão a opção de remarcar para outro dia.

Assim, mudamos nossos planos que previam, inicialmente, passar o dia em Hudson, cidadezinha que fica a uma hora de Poughkeepsie, mas decidimos ficar em Poughkeepsie e aproveitar algumas coisas que não tínhamos feito ainda. Começamos o dia fazendo um brunch no Eveready Diner, um diner de beira de estrada, clássico americano, com porções super generosas e preços ótimos. A panqueca de red velvet é deliciosa!

Dali, fomos para o Home of Franklin D. Roosevelt National Historic Site. É um parque nacional onde estão localizadas a residência, a biblioteca e o túmulo de de Franklin Roosevelt, que foi presidente dos Estados Unidos. O parque é enorme e lindo demais! O acesso e o estacionamento são gratuitos. Se você quiser visitar a biblioteca/museu e a casa, precisa comprar um ingresso, que custa U$20 (e tem visita guiada). Como não tínhamos muito tempo, pois não queríamos voltar pra casa muito tarde, só caminhamos por ali. Pegamos um mapa no Visitor’s center e exploramos a área.

Depois, fomos conhecer o Walkway over the Hudson. É uma ponte suspensa para pedestres e ciclistas. Localizada em Poughkeepsie, foi construída no século 19 para ligar Nova York a New England. Com um incêndio na década de 70, acabou abandonada, mas a comunidade se uniu e, em 2009, foi reaberta ao público. É a maior ponte suspensa para pedestres do mundo, com cerca de 2 quilômetros de extensão. O mais bacana é a vista que se tem da ponte, para a cidade, para o rio e para a paisagem de outono. O acesso é gratuito!

Pegamos o carro, devolvemos na locadora sem maiores problemas, pegamos um Uber até a estação de trem e voltamos pra casa. Essa viagem foi muito legal! Adoramos conhecer tantas coisas legais em Upstate e estou muito feliz em dividir essa viagem com vocês, pois acho que  a região tem muito a oferecer! Lembrem-se que o que eu fiz e o que eu mostrei é apenas uma parte dos programas que a área oferece. Se você clicar aqui, pode conferir mais alguns posts no blog onde relato outras atividades que podem ser incorporadas ao roteiro, como Brunch no Castelo de Caras, visita à residência dos Rockefeller e muito mais! 

Orçamento da viagem:

  • Airbnb – U$500 (três noites – mas, como mencionei, há outras opções mais baratas na região! 
  • Aluguel do carro – U$190.
  • Gasolina – U$25 (pegamos o carro com o tanque cheio, rodamos os quatro dias e gastamos isso para devolvê-lo com o tanque cheio)
  • Passagens de trem – U$36 por pessoa, ida e volta.
  • Uber – U$20 (de/para a estação, em Poughkeepsie)
  • Alimentação – gastamos em média U$100 em cada jantar (casal) e de U$30 a U$40 (casal) com os cafés da manhã/brunch. Caprichávamos mais nas escolhas de jantar, isso foi uma escolha nossa – mas há outras opções na região! 
  • Passes de hiking em Mohonk – U$44 
  • Degustação de vinhosU$34 (só pegamos duas degustações na segunda vinícola).

Espero que tenham gostado de descobrir um pouco mais de Upstate comigo! Abaixo, compartilho meu mapa – categorizei cada dia/atividades com cores diferentes!


4 Comentários

  1. Olá Laura. obrigada pela materia, fotografia maravilhosa; parabens.
    Gostaria de saber se tem alguma dica sobre as vinicolas em Long island.

    1. Oi Juliana, não tive chance de explorar Long Island nesse quesito ainda. Porém, as vinícolas de Upstate são de fácil acesso.

Leave a Response