Diário de viagem

Diário de viagem a Nova York – Gislane Sousa Baliza

O Diário de Viagem é uma seção que traz relatos de leitores do blog. Nesses relatos, eles contam como foi a viagem a Nova York, o que mais gostaram de fazer, o que não gostaram, dividem dicas, enfim: um diário mesmo. A convidada de hoje é a Gislane Sousa Baliza, de Brasília. Ela ficou 9 dias na cidade, em junho de 2018. Para conferir mais relatos, clique aqui.

Já conhecíamos algumas cidades nos Estados Unidos, mas foi a primeira vez minha e do meu noivo em New York. Pesquisamos bastante, lemos e assistimos bastante vídeos que nos auxiliaram a montar nosso roteiro e nos deram mais segurança em fazer alguns trajetos/passeios.

Ida: Companhia área LATAM. Saímos de Brasília dia 26 de junho,, fizemos uma escala em São Paulo, com atraso de cerca de uma hora e chegamos em Nova York por volta das 8h da manhã do dia 27 de junho. O voo foi tranquilo, com o conforto possível da classe econômica.

27/06 (quarta-feira): Chegamos, passamos tranquilamente pela imigração e fomos para o Rental Cars, pois alugamos um carro para a primeira parte da viagem. Sim, alugamos um carro, diferente do que a maioria dos turistas faz, pois decidimos passar três noites em New Jersey e aproveitar o comércio local e os outlets mais conhecidos para compras. Optamos pelo carro pela liberdade que nos daria para ir e voltar dos outlets, pelo fato de não ter que ficar carregando compras o dia inteiro e porque queríamos passar em algumas lojas que não tem em Manhattan ou que tem, mas são muito cheias devido aos turistas, como Walmart, Dollar Tree, T.J.Maxx e Marshalls. Além disso, foi bastante fácil encontrar hotéis em New Jersey com estacionamento incluso e com preços melhores que Manhattan.

Do aeroporto fomos direto para o Queens Center Mall, onde tem uma Apple, compramos chips de celular com internet da T Mobile, passamos em algumas lojas e aproveitamos para almoçar no Cheesecake Factory. Como estávamos cansados do voo, decidimos ir direto para o hotel em New Jersey. O caminho para New Jersey foi tranquilo, exceto a parte em que passamos por Manhattan. Demoramos mais de uma hora para cruzar a ilha: ruas fechadas, trânsito insuportável e muitas buzinas. Em New Jersey, ficamos hospedados no Meadowlands View Hotel. A região não é muito bonita, mas o hotel atendeu bem às nossas necessidades. Bem localizado, quarto com microondas e frigobar, estacionamento grátis, limpo, bom café da manhã e receberam várias encomendas sem cobrar nada.

Clique aqui para reservar o Meadowlands View Hotel

Fizemos o check-in, descansamos um pouco e fomos para Marshalls, T.J.Maxx e Walmart, que ficavam próximos ao hotel. Na volta para o hotel, passamos em uma Domino’s e levamos uma pizza para jantar.

28/06 (quinta-feira): O dia amanheceu um pouco nublado. Saímos cedo e fomos até uma Dollar Tree, onde compramos muitas bugigangas. De lá, fomos direto para o Jersey Gardens, onde literalmente passamos o dia. Como estávamos próximo ao 4th of July, praticamente todas as lojas estavam com alguma boa promoção. Almoçamos e jantamos por lá. Voltamos para o hotel já de noite e no caminho passamos em uma Krispy Kreme (gostamos muito dos doughnuts deles). Concluímos que o Jersey Gardens, na nossa opinião, é tão bom quanto os outlets de Miami e Orlando e com a vantagem de não ter taxas em roupas e calçados no valor de até U$110.

Saiba mais sobre taxas em Nova York

29/06 (sexta-feira): Saímos cedo e fomos para o Woodbury. Demoramos cerca de 1:10h para chegar. A estrada é boa e a paisagem é completamente diferente da agitada Manhattan. O outlet é a céu aberto, bem bonitinho e organizado. Ele possui lojas como Burberry, Dior, Dolce & Gabbana, Fendi e várias outras grandes marcas. Almoçamos no Chipotle – já conhecíamos a rede e consideramos um excelente custo-benefício – e jantamos no Shake Shack, que não foi a melhor das experiências. Fila longa para fazer o pedido, demorou quase meia hora para os sanduíches ficarem prontos (isso porque fomos fazer pressão no balcão de entrega) e eles estavam frios e mal montados – achamos a qualidade muito inferior à que encontramos em outros Shake Shack em anos anteriores. Saímos do Woodbury e passamos em um Walmart que fica um pouco depois dele. Como já estávamos bem cansados, aproveitamos pouco e voltamos para o hotel.

Obs.: Achamos inevitável comparar o Woodbury e o Jersey Gardens. Devido às lojas, à distância e ao fato do Woodbury cobrar uma taxa de 4% em roupas e calçados abaixo de U$110, nós preferimos o Jersey Gardens para compras.

30/06  (sábado): Fizemos check-out no hotel de New Jersey e partimos para o hotel de Nova York, onde deixamos nossas malas. Diferente do que aconteceu durante a semana, o trânsito em Nova York estava ótimo. Como teríamos que devolver o carro no Rental Cars do aeroporto no fim da tarde, decidimos aproveitar um pouco a região do Queens e Long Island City de carro. Passamos no Hunter’s Point South Park em Long Island e andamos pela orla. O céu estava aberto, o que rendeu boas fotos e uma vista linda do skyline de Nova York. Gostaríamos de ter tido tempo de voltar à noite, mas não deu. Depois fomos para o Rego Center no Queens onde almoçamos e aproveitamos para passar na Marshalls, T.J.Maxx, Century 21 e Burlington e, finalmente, fomos devolver o carro.

Saiba mais sobre o parque

Saiba mais sobre o Rego Center

Como a devolução foi feita no Rental Cars do aeroporto, voltamos para Manhattan de Airtrain/metrô. Compramos o Metrocard ilimitado por sete dias para o metrô. O dia estava muito quente e as estações estavam um forno. Estava muito, mas muito quente mesmo. Depois dessa experiência, já sabíamos o calor que enfrentaríamos nos próximos dias. Como era sábado, o trajeto demorou um pouco.

Em Nova York, ficamos hospedados no Club Quarters Hotel – Times Square e a estação do metrô mais próxima era exatamente a da Times Square. Quando chegamos, já era noite e a Times Square estava toda iluminada, fiquei encantada. Uma dica: se tiver que escolher um horário para conhecer a Times Square, vá durante a noite, ela fica incrivelmente mais linda que durante o dia. Jantamos no Junior’s Cheesecake com o objetivo de experimentar o famoso cheesecake e não nos arrependemos. Depois voltamos para o hotel para descansar.

Sobre o hotel, gostamos bastante e me hospedaria nele novamente sem dúvidas. Recepção extremamente cortês, quarto limpo, bom wi-fi. No momento da reserva, pedi que me colocassem em um quarto com microondas e frigobar e fui atendida sem nenhuma cobrança a mais, snacks e máquinas de água disponíveis 24h e também receberam várias encomendas sem cobrar nada.

Reserve o Club Quarters Hotel

Obs.: Uma dica legal e que nunca vi em nenhum lugar: em muitos restaurantes com filas de espera gigantescas, como é o caso do Junior’s Cheesecake e dos famosos “pega turistas”, existe a área do bar que não tem fila de espera e serve todos os pratos normalmente. Se tiver lugar, é só chegar e sentar. Se assim como eu e meu noivo, a pessoa não fizer questão de estar em uma mesa mais reservada, isso é uma grande economia de tempo. Não pegamos nenhuma fila de espera fazendo exatamente isso!

01/07 (domingo): Acordamos e fomos tomar o café da manhã no Plaza Hotel. Apesar de não ser muito em conta, vale a pena! Gostamos muito da experiência, o lugar é lindo e já foi cenário de vários filmes, e ficamos tão satisfeitos que nem conseguimos almoçar. Saímos de lá e caminhamos pela 5th Ave e suas lojas lindas e caras rumo à Times Square. Passamos em algumas lojas pelo caminho e fomos para o New Amsterdam Theatre, onde assistimos Aladdin. O musical é incrível e só o gênio já valeria o ingresso. Compramos os ingressos para a Broadway pelo WePlann, através do blog da Laura e não nos arrependemos. Pagamos no cartão, sem IOF e ainda dividimos.

Clique aqui e compre ingressos para Aladdin em reais e com parcelamento

Depois do show da Broadway, fomos para o Madame Tussauds que ficava praticamente ao lado do teatro..Foi uma experiência legal e deu para tirar várias fotos. Saímos de lá e passamos em mais algumas lojas da Times Square, jantamos no Olive Garden e voltamos para o hotel.

02/07(segunda-feira): Acordamos cedo, tomamos café da manhã no hotel com algumas coisas que compramos no Walmart e fomos para o Battery Park pegar a balsa para a Estátua da Liberdade. Como estava bem cedo, praticamente não pegamos fila e por volta das 11h da manhã já estávamos de volta. Como era nossa primeira vez na cidade, decidimos descer na ilha da Estátua da Liberdade. O sol estava escaldante e demos a volta na ilha rezando por uma sombra. Tirando o calor, o passeio foi tranquilo, mas não desceria novamente na ilha em uma próxima visita.

Clique aqui para comprar ingressos para a Estátua da Liberdade

De volta a Manhattan, passamos pelo Charging Bull e a estátua da Fearless Girl, em Wall Street. Continuamos subindo até chegarmos no complexo do World Trade Center. Almoçamos uma pizza deliciosa no Eataly e depois comemos alguns doces. Adoramos o local, o almoço e a sobremesa! Depois do almoço, passamos na Century 21 (um labirinto, mas muitas boas opções) e em seguida na moderna Estação Oculus e fomos para o Museu do 11/09. Ficamos mais de 2 horas no Museu e saímos bastante impactados com tudo que vimos. A forma como a história foi contada, os objetos expostos e a homenagem às vítimas foi muito marcante.

Clique aqui para comprar ingressos para o 9/11 Museum.

Após o Museu, conhecemos o Memorial (piscinas) e depois fomos lanchar no shopping que tem ao lado do complexo do World Trade Center, o Brookfield Place. Após comer um delicioso hambúrguer no Umami, atravessamos o shopping e encontramos uma orla muito legal (uma parte do Batery Park), com bares, música, vários barcos parados e uma vista legal de New Jersey. Super recomendamos! De lá fomos para o One World Observatory. Que lugar incrível! Que vista! Apesar de ter pavor de altura, depois de ensaiar bastante consegui chegar próximo ao vidro e a vista é algo que nunca vou esquecer. Com certeza foi uma das melhores atrações da viagem! Saímos de lá super cansados, mas ainda encontramos forças para passar em uma Marshalls próxima e depois voltamos para o hotel.

Clique aqui para comprar ingressos para o One World Observatory.

03/07 (terça-feira): Acordamos cedo de novo, tomamos café da manhã na Bouchon Bakery, passamos na loja da Nintendo que era ao lado e fomos em uma UPS devolver algumas encomendas que não haviam ficado tão boas. De lá caminhamos pela Herald Square e fomos no Rockefeller Center, onde marcamos o horário ao final do dia (pôr-do-sol) para subir no Top of the Rock. Passamos na Saint Patrick Cathedral e no hotel em seguida para deixarmos algumas sacolas. Aproveitamos para almoçar rapidamente no Chipotle que ficava em frente, seguimos para o Lincoln Center, Levain Backery para experimentar os famosos cookies, e seguimos rumo ao Central Park.

Para o Central Park havíamos montado um pequeno roteiro dos locais onde queríamos passar: Strawberry Fields, Cherry Hill Fountain, Bow Bridge Central Park, Bethesda Fountain, The Mall e Balto Statue. Caminhamos seguindo nosso roteiro e antes de perceber já estávamos terminando. Gostei bastante do parque e sem dúvida gostaria de ter voltado com mais tempo. A ideia pós Central Park era passar no The Metropolitan Museum of Art, mas quando chegamos já estava um pouco tarde (por volta de 17h) e ficamos com receio de não aproveitar tanto. Decidimos então mudar um pouco nosso roteiro e adiantamos algumas das atrações que faríamos em outro dia.

Pegamos um ônibus, usando o metrocard, e fomos rumo à Biblioteca Pública de Nova York. O lugar é muito legal e certamente vale a visita. Na saída, passamos no Bryant Park que ficava ao lado (achei bem pequeno) e fomos para a Grand Central Terminal, que também vale muito a visita. Da Grand Central Terminal voltamos para o Rockefeller Center para subir no Top of the Rock. Marcamos a nossa subida ao entardecer para ver a cidade de dia e de noite. Apesar de estar extremamente cheio nesse horário, conseguimos aproveitar bastante. A vista para o Empire State Building é maravilhosa. Saímos de lá, jantamos e voltamos acabados para o hotel.

Clique aqui para comprar ingressos para o Top of the Rock.

Usamos bastante o ônibus em trajetos mais curtos. Apesar de ser mais lento que o metrô, estávamos aproveitando o tempo do trajeto para descansar os pés e sem contar que eles são climatizados e é possível ver as ruas durante a “viagem”.

Como andar de ônibus em Nova York?

04/07 (quarta-feira) – Feriado 4th of July. Como era feriado e havíamos pesquisado que os pontos turísticos ficariam bastante cheios, decidimos ter um dia mais tranquilo e passear pelas lojas da cidade que normalmente têm promoções em feriados. Tomamos café da manhã na Le Pain Quotidien do Bryant Park e fomos passear nas lojas da 34th St, Macy’s Herald Square, Victoria’s Secret e várias outras. Almoçamos no Five Guys e partimos para outras lojas da 6th Ave. No fim do dia, fomos jantar na Artichoke Pizza e voltamos para a Times Square, onde passamos nas principais lojas e voltamos para o hotel.

05/07 (quinta-feira): Tomamos café da manhã em um Starbucks ao lado do hotel e partimos para o The Metropolitan Museum of Art. Como chegamos cedo, o museu ainda estava vazio, mas quando saímos, próximo ao horário do almoço, tinha fila para entrar. O museu é gigantesco. Apesar de termos visto tudo bastante rápido, gostamos muito. Saímos do museu, almoçamos rápido e seguimos para o Brooklyn para tirar a famosa foto da Manhattan Bridge. Andamos um pouco pelo Dumbo, passamos pelo Jane’s Carousel e lanchamos no Luke’s Lobster para comer o trio de “cachorro-quente de frutos do mar” (aprovado!).

Após o lanche fizemos a travessia da Brooklyn Bridge sentido Manhattan. A vista é sensacional, mas o calor estava demais. Apesar de ser um dos passeios que mais esperei, não consegui aproveitar tanto quanto poderia devido a isso. Mas ainda assim, nós voltaríamos sem dúvida. Depois da travessia andamos mais um pouco e passamos na Marshalls próxima ao World Trade Center e no Target para comprar as últimas coisas que queríamos. Aproveitamos e compramos uma salada no Target para jantar no hotel e alguns doughnuts de sobremesa.

 Saiba mais sobre a travessia

Obs.: Na Brooklyn Bridge ficam alguns ambulantes que vendem ímãs de geladeira e chaveiros bem bonitinhos por U$$1, enquanto em lojas da cidade não se acha nem perto desse preço.

06/07 (sexta-feira): Último dia. Acordamos e passamos a manhã inteira arrumando as malas. Fizemos o check out ao meio-dia, deixamos as malas no hotel e fomos almoçar e fazer nosso último passeio pela Times Square. O transfer para o aeroporto nos buscou pontualmente por volta de 14h20.

Confira contato de motorista brasileiro para transfer!

Volta: Companhia área LATAM. Nosso voo estava previsto para 19h30, mas depois de dois atrasos, saímos por volta de 00h30 do dia 7 de julho. Deram um lanche para os passageiros no aeroporto para tentar compensar a espera. Também alteraram nosso voo de volta para Brasília. Íamos chegar em Guarulhos e de lá iríamos pegar o voo para Brasília, mas chegamos em Guarulhos e tivemos que ir para Congonhas para pegar o voo para Brasília. No fim das contas, a previsão de chegada era de 10:30h da manhã do dia 7 de julho, mas chegamos apenas 17h30. Atraso de 7 horas.

Se você teve paciência para ler esse relato até aqui, já deve ter ficado um pouco cansado, mas nada se compara ao cansaço físico que se volta de lá e com o descanso mental. Foram dias maravilhosos. Passamos por locais que reconhecemos através de filmes e vivemos coisas que certamente não sairão da memória. Voltamos com o pesar de não termos conseguido ver tudo o que queríamos, mas felizes por ter tido a oportunidade de conhecer essa cidade incrível.

Obrigada por participar, Gislane!

Gostaram do relato da Gislane? Se você quiser participar, envie seu relato para análise para laura@lauraperuchi.com COM FOTOS, seu nome completo e cidade/estado. LEMBRE-SE que é preciso ser detalhista. Não precisa escrever um livro, mas seu relato tem que ser informativo!


Leave a Response