Diário de viagem

Diário de viagem a Nova York – Carolina Pereira

O Diário de Viagem é uma seção que traz relatos de leitores do blog. Nesses relatos, eles contam como foi a viagem a Nova York, o que mais gostaram de fazer, o que não gostaram, dividem dicas, enfim: um diário mesmo. A convidada de hoje é a Carolina Pereira, de Brasília. Ela ficou 10 dias na cidade, em novembro de 2017. Para conferir mais relatos, clique aqui.

Em novembro de 2017 fui com duas amigas pra Nova York! Fui com a Camila, que não conhecia a cidade, e com a Maria Luiza, que já amava o lugar há tempos e não perde uma oportunidade de ir para lá! Começamos a nos planejar em junho de 2016: sim, foi mais de um ano planejando. O que posso dizer sobre essa parte da viagem? O planejamento é tão legal quanto o que vivemos depois! Nós pesquisamos muito (oObrigada, Laura), sonhamos muito enquanto pesquisávamos. Tudo foi pensado com muito carinho. Enquanto a gente lia as dicas preciosas do blog, também estávamos economizando e juntando $ para a viagem da nossa vida!

Ficamos no hotel Marriott Vacation Club Pulse New York City. Gostei muito! Serviço de quarto bom, banheiro espaçoso. Só achei um pouco escuro, mas deve ser coisa de quem tem mil lâmpadas no quarto de casa!

Reserve o Marriott Vacation Club Pulse New York City

Assim que eu e minhas amigas chegamos em Nova York, já fomos para o Grand Central Terminal (alô, Serena? #gossipgirl) e “almoçamos” (já eram umas 16h) no Shake Shack. O hambúrguer é diferenciado mesmo. Saudades #vemproBrasilShakeShack

No segundo dia de viagem optamos por passeios mais tranquilos. Fomos na Times Square, compramos passagens para o ônibus turístico. Começamos com o tour Downtown – Manhattan. Nosso almoço foi na Carmine’s, queríamos muito conhecer. Gente, a salada deles já era um almoço, ainda pedimos massa com camarão… Que almoço, valeu muito a pena! Passamos pela Saint Patrick’s Cathedral (maravilhosa) e visitamos várias lojas da Quina Avenida até cansar.

Clique aqui para comprar o passe para o ônibus Hop On Hop Off.

No terceiro dia de viagem fomos no Jersey Gardens. JÁ QUERO VOLTAR! Fomos de ônibus e chegamos na hora que o shopping estava abrindo. Sinceramente, eu levei 3 mil dólares pra viagem toda, mas se tivesse levado apenas para o outlet, eu gastaria fácil! Muita coisa legal por um preço bom! Comprei bolsa da Kate Spade por 80 dólares, surtei um pouco na Bed, Bath & Beyond, trouxe uns bonequinhos da Disney (os mesmos que vi na loja da Times, porém mais barato). Fomos embora de lá por volta de 17h, mortas de cansadas. Só passamos no Shake Shack para comer de novo e voltamos ao hotel.

No quarto dia conhecemos a estação do Oculus, lugar lindo! Vimos o Memorial 9/11, passamos por Wall Street, pelo Soho e almoçamos no Delicatessen (saudades batatas trufadas, as melhores que já comi na vida – sem exagero), lugar super moderninho, muito gostoso e com bom atendimento. Pegamos o ferry até Staten Island (não curtimos muito, foi um passeio que resolvemos fazer na hora e decepcionou – o programa de índio). Fizemos o tour Uptown com o ônibus de turismo e jantamos no Bubba Gump – restaurante que estava no roteiro e nós amamos! Aproveitamos para passar em algumas lojinhas da Times, na farmácia pra comprar o café da manhã do dia seguinte e voltamos para o hotel.

O quinto dia era dia de espetáculo, estava muito ansiosa! Começamos o dia no Rockefeller Center, compramos entradas para o Top of the Rock e depois fomos para a apresentação do espetáculo de Natal Christmas Spectacular, no Radio City Music Hall…incrível! Se você é apaixonado pelo Natal, precisa colocar no roteiro, é sensacional, emocionante! Almoçamos no Five Guys, gostamos, mas ainda preferimos Shake Shack. Subimos no Top of the Rock e tiramos todas as fotos clichê que vocês podem imaginar. Foi sensacional, pegamos um pôr do sol lindo, com fotos incríveis! Depois passamos no Momma e em algumas lojinhas.

Clique aqui para comprar ingressos para o Top of the Rock.

Clique aqui para comprar ingressos para o Christmas Spectacular.

O sexto dia estava reservado para o Central Park. Depois de desviar da rota mil vezes, conseguimos passar por todos os pontos que queríamos. Fomos até o The Loeb Boathouse, onde almoçamos, pedi uma “entrada” de massa com molho de queijo e foi mais que suficiente. Depois de passar boa parte do dia no Central Park, fomos até a Century 21, onde ficamos umas 4h hahahaha realmente, perdemos a noção do tempo. Pedimos um lanche no hotel e jantamos por lá mesmo.

Um guia para explorar o Central Park.

No sétimo dia fomos conhecer a tão esperada Brooklyn Bridge. A princípio, iríamos cruzar a ponte no sentido Manhattan-Brooklyn, mas as coisas fugiram um pouquinho do esperado. Chegando na Union Square, perto do início da ponte, vimos que tinha muita gente se dirigindo para lá, era uma passeata em prol das pesquisas sobre o Alzheimer. Decidimos ir para o Brooklyn primeiro e depois cruzar a ponte. Melhor decisão da viagem! Tiramos foto no local em que aparece a Manhattan Bridge e o Empire State de fundo, almoçamos na pizzaria Grimaldi’s (delícia!). Fizemos fotos no píer ali perto e, depois, a travessia. O pôr do sol estava incrível, nem vimos o tempo passar. Depois, fomos jantar no Max Brenner, também vale muito a pena – peçam waflles, são muito bons. Dali, fomos para a Times e passamos por algumas lojas para fazer mais compras.

Saiba mais sobre a Brooklyn Bridge.

No oitavo dia, estávamos cansadas já, fomos na Macy’s, loja incrível,mas não aproveitamos muito justamente por causa do cansaço. O ideal é ir nessa loja com vontade mesmo, para garimpar e atualizar o guarda-roupa! Almoçamos no Eataly, restaurante La Pizza e La Pasta. Não achei nada demais, apenas bom. Depois, passamos na Biblioteca Pública de Nova York e, de lá, fomos no Bryant Park, que fica ao lado. Tinha uma feirinha de natal que ocupava quase todo o espaço do parque, além da pista de patinação, um programa legal! Depois do Bryant Park, seguimos para o Empire State Building, gostamos muito da vista.

No nono dia de viagem, já estávamos perto do momento de voltar. Acordamos e fomos direto para o Chelsea. Lá, subimos no Highline Park apenas pra conhecer, mas, por ser outono, não achamos um grande passeio. Depois, partimos para o Chelsea Market e almoçamos em uma hamburgueria que tinha lá, não lembro o nome. Conhecemos o restaurante While We Were Young, porém não gostamos da forma como fomos tratadas. Como pedimos apenas uma sobremesa, o garçom pediu pra gente sair da mesa e sentar próximo do balcão, sendo que o lugar estava vazio. Não indico e não pretendo voltar, uma pena! Saindo de lá, tiramos foto na frente do prédio de Friends (tinha uma obra bem na frente na época, que raiva, mas tudo bem). Passamos na Harmon, para surtar mais um pouco – os preços são ótimos. Saindo de lá, deixamos as coisas no hotel e começamos a nos preparar para um dos momentos mais esperados da viagem, o show da Broadway: assistimos Aladdin. Nunca vi nada parecido, foi incrível, encantador, não tem como descrever fielmente. Na saída, jantamos no McGee’s Pub, que inspirou o bar McLaren’s, da série How I Met Your Mother, indicação da Camila. Gostamos bastante! Saindo de lá, passamos em lojas da Times que não tínhamos conhecido ainda e voltamos para o hotel.

Clique aqui para comprar ingressos para Aladdin, em reais e com parcelamento.

No penúltimo dia de viagem, só conhecemos o Columbus Circle, tiramos fotos na frente dos ônibus amarelos (como não tirar?) e passamos pelas esculturas do Love e Hope. Não tínhamos planejado o almoço, acabamos optando pelo Olive Garden, na Times Square. Pedi macarrão com camarão, estava ótimo. Passamos no Grand Central Terminal novamente, tiramos algumas fotos e voltamos para o hotel, arrumar as malas; momento mais triste.

No dia seguinte, era dia de ir embora! Só tomamos café e fomos direto ao aeroporto. Nada demais para contar!

Impressões:

  • As porções de comida em Nova York são maiores do que estamos acostumados no Brasil. No Central Park eu almocei uma entrada, mas é apenas um exemplo.
  • Gostei dos americanos que nos atenderam nos lugares, sempre muito prestativos.
  • Estranhei que, nos restaurantes, quando você termina de comer, já trazem a conta. É como se fosse um: “Obrigada, já podem sair”. No Brasil temos o costume de ficar conversando um tempo, perdendo hora mesmo, senti essa diferença! Talvez tenha sido apenas impressão minha mesmo.
  • Se tem uma coisa que quero que guardem do meu relato é: se o seu sonho é viajar pra NYC, não desista dele! Antes de viajar pra lá, eu nem imaginava, sempre colocava obstáculos – é muito caro, não falo inglês fluente, nunca viajei para fora do país – e hoje estou aqui, relatando pra vocês a minha experiência.

Eu me empolguei no texto, mas espero que tenham gostado. Muitas coisas que coloquei aqui, eu me lembrei quando li o texto da Camila, amiga que foi comigo. Ela está com um relato de 14 páginas da viagem hahahaha cobrem para que ela diminua e mande o relato pra Laura publicar no blog.

Gostaram do relato da Carolina? Se você quiser participar, envie seu relato para análise para laura@lauraperuchi.com COM FOTOS, seu nome completo e cidade/estado. LEMBRE-SE que é preciso ser detalhista. Não precisa escrever um livro, mas seu relato tem que ser informativo!


Leave a Response