turismo

Clássicos de Nova York: 10 lugares para conferir durante a primeira vez na cidade!

Talvez quem me acompanha há muito tempo nem saiba disso, mas a verdade é que eu nunca planejei ter um blog sobre Nova York. Eu mudei pra cá já tendo em mente que começaria um canal sobre a cidade, mas um blog? Eu comecei dividindo algumas dicas que achava interessante sobre a cidade até que o negócio tomou uma proporção maior e decidi realmente focar. E o conteúdo foi acontecendo, sempre me baseando nas experiências que eu tinha e também nas dúvidas dos leitores. O que acabou acontecendo é que, apesar de eu já ter falado de várias atrações clássicas da cidade, separadamente, nunca havia feito um guia geralzão! E como vejo muito a pergunta – o que fazer numa primeira vez em Nova York? – resolvi listar os 10 lugares que são super clássicos, aqueles spots turísticos que são o cartão-postal na cidade e entram no roteiro de quase todo mundo que vem pra cá!

1.  Central Park – é o refúgio dos novaiorquinos e, certamente, um dos pontos mais famosos da cidade. Com uma área enorme, que vai da 59th St até a 110th St, o parque tem seu charme o ano todo. Seja no inverno, quando todo mundo vai brincar na neve, seja no verão, quando os gramados viram “praias” ou seja na meia-estação, quando as árvores ficam coloridas, com os tons do outono ou da primavera. Não importa a época, o Central Park vai ser sempre um lugar para ser visitado em Nova York. E como o local é gigantesco, ele merece ser explorado com tempo! Eu recomendo reservar pelo menos um dia inteiro para o parque – que pode ser dividido em dois períodos, dependendo de como estiver a temperatura.

2. Times Square – conhecida como esquina do mundo, a Times Square está localizada na junção da Broadway com a 7ª Avenida, entre a ruas 42 Oeste e 47 Oeste, na região central de Manhattan. Sua característica mais marcante? Os letreiros luminosos, que encantam quase todo mundo que conhece o lugar pela primeira vez. O estabelecimento que se instala na região é obrigado a instalar um letreiro – as luzes ficam acesas 24 horas por dia, 7 dias por semana – e o custo desses paineis é de U$5 mil a U$20 mil por mês.

E falando em Times Square, não podemos deixar de falar sobre shows da Broadway! Os teatros estão concentrados na região e assistir a um musical ou peça é um programa clássico! Clique aqui para comprar ingressos!

3. Estátua da Liberdade – é um símbolo da cidade e até mesmo dos Estados Unidos. A Estátua da Liberdade fica localizada na Liberty Island, uma ilha no meio do Hudson River. Foi um presente de amizade do povo da França para os Estados Unidos e é reconhecido como um símbolo universal de liberdade e democracia. Há várias maneiras de visitar esse monumento histórico e listo alguns a seguir:

4. Observatórios – na minha opinião, é aquele passeio que não pode faltar: ver a cidade de cima. Como Nova York é uma selva de pedras, cheia de arranha-céus, é maravilhoso subir em um dos observatórios e contemplar toda a sua beleza de cima. Sugiro fazer esse programa no horário do pôr do sol – ver as luzes da cidade se acendendo depois é simplesmente mágico. Por enquanto, a cidade conta com três observatórios: Top of the Rock, Empire State e One World Observatory. Na minha opinião, se for para escolher apenas um, eu sugiro o Top of the Rock, pois além da vista não ser obstruída por grades, você consegue avistar o Empire State.

5. Brooklyn Bridge – A Brooklyn Bridge é uma das pontes suspensas mais antigas do mundo – e a primeira construída para ligar Manhattan ao Brooklyn, com quase dois quilômetros de extensão. Foi inaugurada em 1883 – 13 anos após o início de sua construção. Hoje, em média, 120 mil veículos cruzam a Brooklyn Bridge todos os dias, além de 4 mil pedestres e 2600 ciclistas. Atravessar a ponte – a pé, é claro – é um programa clássico, inesquecível e gratuito!

6. Museus – muita gente acha que só a Europa oferece um prato cheio no quesito museus. E isso não é verdade! Nova York tem dezenas de museus incríveis – dentre eles, destacam-se o Museu de História Natural, o Met – Metropolitan Museum of arT – e o Moma – Museum of Modern Art. Mas, preciso fazer uma observação séria aqui: não inclua museus em seu roteiro se você é o tipo de pessoa que não curte museus. Valorize seu tempo em uma viagem para fazer coisas que você realmente curte! Não há problema em não gostar de museus – eu não gosto!

7. 9/11 Memorial – depois do atentado terrorista  de 11 de setembro de 2001, a área onde ficavam as Torres Gêmeas deu lugar a um Memorial. Duas piscinas homenageiam as vítimas da tragédia e a água que escorre representa as lágrimas dos amigos e familiares das vítimas da tragédia. É um lugar bem marcante, principalmente para quem lembra dos ataques. É bom deixar claro que: o 9/11 Memorial é uma praça aberta, ou seja, é um lugar público, gratuito. Há também o 9/11 Museum – que se trata de uma atração fechada, paga. O museu serve como principal instituição dos EUA dedicada a explorar as implicações dos atentados de 11 de setembro de 2001, documentando o impacto dos eventos. Suas mostras incluem pedaços de concreto pertencentes às torres gêmeas e até mesmo um carro de bombeiros que foi usado para resgate e atendimento às vítimas. Além disso, há uma coletânea de objetos pessoais, vídeos e outros materiais. Em várias galerias, o museu mostra como era o mundo antes e depois dos atentados.

8. Grand Central – essa estação de metrô e trem foi inaugurada em 1903 e é considerada a maior estação ferroviária do mundo, com 44 plataformas, em dois níveis, com 41 linhas no nível superior e 26 no inferior. Em média, mais de 700 mil usuários passam por ela todos os dias. Além disso, esse local já foi cenário de filmes e seriados… Quer esticar a visita por lá? Há uma praça de alimentação com unidades da Magnolia Bakery, Shake Shack e mais.

9. Wall Street & Charging Bull a rua é super charmosa, com muitos prédios antigos, com arquitetura incrível – incluindo o Federal Hall. Construído em 1700 como sede do governo da cidade de Nova Iorque, mais tarde serviu como primeiro edifício capitólio dos Estados Unidos sob a constituição, sendo o local onde George Washington tomou posse como primeiro presidente dos Estados Unidos. Inclusive ele é aberto à visitação – saiba mais detalhes aqui. Na Broadway com a Morris St está o Charging Bull, ou o famoso touro de Wall Street. Reza a lenda que tocar nas partes íntimas do touro traz riqueza. Não estranhe se ver um aglomerado de pessoas fazendo isso e tirando fotos, o local é super visitado.

10. Quinta Avenida – quem não lembra de Becky Bloom estourando os limites de seu cartão de crédito na famosa avenida? E como não mencionar Audrey Hepburn e seu fatídico Breakfast at Tiffany’s? A Quinta Avenida habita o imaginário de muita gente, mas suas lojas de luxo, como Chanel, Dolce & Gabbana e Cartier são para os mais afortunados. Não quer dizer que você não possa conhecer o local mesmo com orçamento apertado. Antes das dicas, vamos lembrar que é uma avenida longa, e sua parte mais famosa vai da rua 42 até a 59. Nesse trecho, há dois locais bem famosos: a New York Public Library e a St. Patrick Cathedral. Ah, além disso, atrás da New York Public Library fica o Bryant Park, que também merece sua visita.

Bônus: E os tais passes?

Muita gente que viaja para Nova York pela primeira vez, já quer comprar um passe de atrações, por achar, que eles representam economia e praticidade.  Mas, para saber se você deve investir num passe – e até mesmo para decidir qual passe comprar, já que há várias opções, é preciso fazer o dever de casa!

Gostaram das dicas? Espero que esse post ajude quem está vindo pela primeira vez e não sabe o que visitar! E mais: se você deseja fazer uma viagem econômica a Nova York, não deixe de clicar aqui e conferir meu e-book, Nova York Econômica!


Leave a Response