turismo

Dicas do que fazer em uma conexão em Nova York

Conexões podem ser chatas – ninguém gosta de encarar um chá de cadeira em aeroporto. Mas, muitas vezes elas são inevitáveis – principalmente quando se busca a passagem mais barata. Mas, e aí? Surgiu aquela viagem bacana e, no meio do caminho, uma conexão longa em Nova York. O que fazer? Muita gente me pediu para escrever um post com dicas do que fazer em uma conexão na cidade e, depois que uma leitora enviou o seu relato – que vocês conferem no fim do post – decidi reunir algumas dicas úteis para quem tem conexão longa na cidade e quer aproveitar para explorar Nova York.

Informações úteis:

  • Você precisa de um visto americano para sair do aerporto – se não tiver visto americano, nem adianta: vai ter que encarar o chá de cadeira.
  • Lembre-se que é preciso calcular não somente o tempo de conexão – mas também o tempo de deslocamento do aeroporto até a ilha, bem como a volta e o tempo hábil necessário para procedimentos de reembarque.
  • Cheque com sua companhia aérea se a sua mala segue até o destino final ou não – é importante já ter essa informação para ter um plano B caso necessite ficar com a mala até a hora do reembarque.
  • Numa conexão de poucas horas, a minha sugestão é que você passe longe de lojas – o tempo é cronometrado, então, vamos nos concentrar em aproveitar ao máximo esse dia com experiências que farão você conhecer um pouquinho de Nova York.

Guarda-volume  – se for necessário guardar sua mala, saiba que há esse serviço no aerporto JFK – no Terminal 1, no Terminal 4 e no Terminal 8,  no piso de chegadas, procure por Baggage Storage. Dependendo do tamanho da sua mala, as taxas de armazenamento de bagagem variam entre $4- $16 por dia.  Em Manhattan, também há esse tipo de serviço, mas o mais prático é sair do aerporto livre. Para encontrar locais na ilha, pesquise por “Luggage Storage Manhattan” no Google. Um deles é o Schwartz Luggage Storage (que fica na região da Penn Station / Port Autority – 357 w 37 Street).

Saindo do aerporto – como se trata de um dia em que o tempo é algo precioso, a minha dica é que você use o serviço de transporte público para sair do aerporto – ou seja: AirTrain + metrô. Aqui no blog, tem um vídeo explicando passo a passo como fazer isso. Na Jamaica Station, pegue a linha E.

Sugestão de roteiro em Midtown: 

    • Chegando na ilha: você pegou a linha E no aeroporto. Siga na direção Manhattan e desça na estação Port Authority. Você estará a uma quadra da Times Square – ok, não é meu lugar favorito, mas eu sei que é um dos cartões-postais da cidade, então, não poderia deixar o local de fora. Aprecie os telões luminosos e a a multidão andando pra lá e pra cá, mas, de novo: não caia na tentação de entrar em lojas! Lembre-se: o tempo é precioso. Tempo para exploar o local: 30 minutos.
    • Siga pela 42th Street na direção leste – você vai chegar ao Bryant Park, um dos parques mais charmosos da cidade. Se for um período quente do ano, o parque estará lotado de gente. Se for na temporada mais fria, provavelmente você vai contemplar a pista de patinação. Tempo para explorar o local: 20 minutos.
    • Continue seguindo pela 42th Street por mais uma quadra e você vai chegar na New York Public Library, um ícone da cidade – o filme Sex and the City te lembra alguma coisa? A entrada é gratuita – mas lembre-se: o relógio está correndo, então, sugiro contentar-se com a visão de fora, que é magnífica. Tempo para explorar o local: 15 minutos.
    • Ainda seguindo pela 42 na direção leste, caminhe mais duas avenidas e você vai chegar até à Grand Central, a estação de trem mais famosa da cidade – hello Gossip Girl! Aqui sim, não se contente apenas em admirar o local de fora: entre e vá até o saguão principal. Suba pelas escadas e observe o vai e vem das pessoas.
    • A essa altura, é provável que você já esteja com fome! Vá até o subsolo da Grand Central, onde há uma praça de alimentação com várias opções – dentre elas, uma unidade do Shake Shack e outra da Magnolia Bakery, dois clássicos da cidade também. Tempo para explorar a Grand Central e comer: 1h30
    • É hora de ver a cidade de cima! Que tal subir no Top of the Rock? Saía do Grand Central e volte para a Quinta Avenida, subindo até a 49th Street. No caminho, você pode apreciar as lojas das grifes famosas e também vai encontrar a Catedral de St. Patrick. Lembre-se de comprar o seu ingresso para o Top of The Rock com antecedência pela internet para não perder tempo na fila! Clique aqui.  Há vários locais com Wi-Fi grátis pela cidade, compre quando chegar na ilha, assim você já terá uma ideia de qual horário escolher. Tempo para explorar a Quinta Avenida e subir no Top of the Rock: 3 horas
    • Depois de subir no Top of the Rock, que tal conhecer o Central Park? Do Rockefeller Center até o parque, são cerca de 15 minutos a pé. Aqui tem um guia para explorar o parque – provavelmente você só vai conseguir aproveitar a área sul.
    • A essa altura, como nem tudo sai como o planejado e cronometrado, pode ser hora de voltar para o aeroporto. Na 5 Ave/53 – Quinta Avenida com a 53th Street – há uma estação da linha E. Pegue o metrô sentido Queens até Jamaica Station – você vai ver os avisos de conexão com o JFK.

Sugestão de roteiro em Downtown: 

    • Chegando na ilha: você pegou a linha E no aeroporto. Siga na direção Manhattan e desça na estação Chambers. Você vai estar no City Hall e próximo a um cartão-postal da cidade: a Brooklyn Bridge! É uma ponte linda e eu sugiro que você caminhe até o primeiro pilar – observe o East River, a Manhattan Bridge e a Estátua da Liberdade de longe. Não precisa atravessar a ponte toda! Tempo para explorar esse roteiro: 1 hora
    • Em seguida, vamos explorar a área do One World Trade Center, a estação Oculus e também o Memorial do 11 de setembro. Do City Hall até lá, são cerca de 12 minutos caminhando. Entre no Oculus e aprecie a arquitetura linda do lugar – mas resista à tentação de entrar nas lojas!
    • Sugestão de almoço: Eataly, que fica no prédio anexo ao Oculus. Espie os restaurantes: se estiverem vazios, vale pegar uma mesa para sentar, do contrário, não perca tempo esperando e opte pelas opções rápidas como saladas e ravioli bar. Tempo para o roteiro anterior + almoço: 2 horas
    • Agora é hora de pegar o Staten Island Ferry! Siga caminhando até a estação – e você também vai passar pelo famoso Touro de Wall Street. Este barco gratuito que conecta Manhattan a Staten Island proporciona uma vista incrível não apenas para o skyline da ilha mas também para a Estátua da Liberdade. O trajeto dura uma hora entre ida e volta – e você pode conferir mais detalhes aqui. Na ida, posicione-se à direita do barco e, na volta, à esquerda.
    • Depois de sair do ferry, explore o Battery Park por alguns minutos. Tem uma vista incrível!
    • Se achar que ainda tem tempo, sugiro voltar para a região anterior e subir no One World Trade Center Observatory. Lembre-se de comprar o seu ingresso com antecedência pela internet para não perder tempo na fila! Clique aqui.  Há vários locais com Wi-Fi grátis pela cidade, compre quando chegar na ilha, assim você já terá uma ideia de qual horário escolher. Você vai levar pelo menos uma hora no local. Saiba mais sobre o observatório.
    • Para voltar, pegue a linha E na estação World Trade Center.

Informações importantes:

  • Aproveite o café da manhã no avião – eu sei que não é o melhor do mundo, mas saco vazio não para em pé. Vale pegar um café em qualquer lugar do caminho – no aeroporto mesmo você vai ver alguns locais. Tenha snacks para lanches rápidos – a ideia é parar apenas para o almoço.
  • A saída do aeroporto varia muito – e isso se deve, principalmente, à fila na imigração. Pode ser que seja rápido, pode ser que não.
  • Na volta, o ideal é sair de Manhattan pelo menos 3h e meia horas antes do seu voo. São cerca de 45 minutos a uma hora até o aeroporto.
  • O roteiro acima é uma sugestão. Perceba, pelos mapas, que eu priorizei áreas únicas – assim, você consegue fazer os trajetos a pé e tem total liberdade de pular alguma atração caso perceba que o tempo está mais curto do que previa.
  • Eu sugeri a linha E, mas a linha A também vai até o JFK.
  • Conexões longas variam de 8 horas a 15 horas. Calcule o que é possível fazer, sempre levando em conta o tempo de deslocamento de ida e volta.

Sugestão final: se a ideia é fazer um passeio de forma mais tranquila e sem se preocupar muito, você também pode contratar um city tour com um motorista brasileiro particular. Clique aqui para conferir os contatos de alguns e fazer orçamentos.

Agora, vamos ver na prática como é fazer uma conexão longa em Nova York? A Giovanna Vargas, de São Paulo, divide o relato dela conosco! 

“Em julho de 2017 eu, meus pais e minha irmã programamos uma viagem pra Europa e, quando fomos pesquisar passagens, encontramos um preço muito bom pela Delta, saindo de São Paulo para Roma, com escala de 13 horas em Nova York. Como já tínhamos os visto americano, encaramos essa aventura. Como bastante gente fica um pouco perdida no que fazer em uma escala longa, o que dá tempo de fazer o que não dá, resolvi compartilhar a minha.

Nosso voo chegou antes do previsto, às 5h50 da manhã no JFK. Nossa principal dúvida na escala era o que fazer em relação às malas e, no check in, fomos informados que assim que passássemos pela imigração, pegaríamos nossa mala na esteira de bagagem e despacharíamos novamente as malas. E foi assim mesmo. Como não queríamos malas de mão nos atrapalhando na escala, cada um levou uma mochila como mala de mão, e nelas colocamos troca de roupa, itens de higiene e documentos, e assim ficou bem mais fácil andar pela cidade.

Do aeroporto para Manhattan  – Na época, não conhecia o blog nem o grupo da Laura, o que teria facilitado nossas pesquisas. Mas mesmo assim, conseguimos fazer o percurso de AirTrain. Compramos o Metrocard  e carregamos U$65 e usamos os 4 o mesmo cartão, sendo U$5 para sair do Airtrain, U$2,75 para o metrô e o mesmo na volta. O trajeto levou em torno de uma hora e, às 8 da manhã, estávamos saindo na 7th Ave com a 53rd St da linha E do metrô. Apesar do verão estava um dia nublado e garoando um pouco pela manhã. Mesmo assim seguimos o roteiro.

Seguimos pela Broadway até o Columbus Circle. Tomamos café nas barraquinhas que ficam na entrada do Central Park e entramos no parque. Como não tínhamos muito tempo, não nos aprofundamos muito e ficamos mais na parte sul, mas curtimos um pouco o comecinho da manhã no parque, com suas maravilhosas pontes e áreas verdes. Saímos do Central Park pela outra ponta, na Grand Army Plaza com a 5th Ave, passamos na loja da Apple apenas para conhecer e seguimos na Quinta avenida, fizemos algumas comprinhas na H&M e na Lindt. Nossa próxima parada foi a St. Patrick’s Cathedral. Lá, passamos um tempo observando a belíssima arquitetura, os vitrais, e até acendemos uma vela em forma de agradecimento.

De lá, visitamos a praça central do Rockefeller Center, mas foi apenas uma passada para ver, tirar fotos, e tomar um foôlego hahahah. Continuando pela 5º Avenida, passamos em frente à New York Public Library e entramos na 42nd St, para visitar a Grand Central Station. Ponto falho na montagem do roteiro e por não conhecer o Blog da Laura, não tínhamos planejado nenhum lugar diferente para comer então acabamos almoçando em um MC Donald’s mesmo, próximo à estação.

Voltamos para a Quinta Ave e descemos até o Empire State, apenas para observamos por fora, já que tínhamos medo de nos perdermos no tempo. De lá, seguimos pela Broadway, sentido Uptown, tomamos um sorvete na Herald Square, visitamos mais algumas lojas por lá e seguimos para a Times Square.

Como ainda eram umas 2 horas da tarde, não vimos os deslumbrantes leitreiros à noite, mas a Times é movimentada a todo momento e os letreiros impactam mesmo de dia. Passamos cerca de uma hora ali, e pelo cansaço de andar tudo a pé decidimos voltar ao aeroporto uma hora mais cedo que o programado. Aproveitamos as lojinhas para comprar alguns souvenirs e voltamos à mesma estação da linha E na 7th Ave com a 53rd St fizemos o mesmo percurso de volta para o aeroporto e demos continuidade na viagem. Nosso voo saía às 19:40, chegamos no aeroporto por volta das 16 e fizemos tudo tranquilamente.

Decidimos para esse roteiro, ter apenas um panorama da cidade, visitando ou apenas passando por alguns dos pontos principais, optamos por fazer o percurso em Manhattan a pé, já que era verão e claro que no fim ficamos com a vontadezinha de voltar de novo.

Em janeiro de 2018 tive a oportunidade de voltar a New York, e já conhecia o Blog da Laura, mas isso é história para outro diário de viagem.

Gostaram do post? 


Leave a Response