Diário de viagem

Diário de viagem a Nova York – Camila Dias

O Diário de Viagem é uma seção que traz relatos de leitores do blog. Nesses relatos, eles contam como foi a viagem a Nova York, o que mais gostaram de fazer, o que não gostaram, dividem dicas, enfim: um diário mesmo. A convidada de hoje é a Camila Dias, do Rio de Janeiro. Ela ficou 10 dias na cidade, em abril de 2018. Para conferir mais relatos, clique aqui.

Sabe aqueles sonhos de adolescente, que vê inúmeros filmes americanos e pensa “um dia vou conhecer este lugar”? Bem, essa viagem foi a realização do sonho de uma menina que já não é mais adolescente, mas que nunca deixou o sonho morrer. O momento escolhido foi o mais perfeito possível, a lua de mel.

Depois de muito pesquisar, fechamos o pacote pela decolar.com, com voo pela American Airlines e Hotel Hampton Inn New York 35th Street Empire State Building, com café da manhã.

Reserve o Hampton Inn New York 35th Street Empire State Building

Saída do Brasil: Embarcamos no RJ para NY pela American Airlines, com duas paradas: Miami e Boston. O voo saiu do RJ às 21:50, sem atrasos. Check-in no autoatendimento fácil e autoexplicativo (já fizemos o check-in dos 3 voos). Bagagens despachadas, bilhetes e passaportes na mão, prontos para a tão sonhada viagem de lua de mel.

Dia 1 – 16/04 (segunda): Chegamos em Miami no horário esperado e passamos pela imigração. Fizemos o procedimento no autoatendimento e aguardamos na grande fila para sermos entrevistados. Óbvio que sempre rola aquele medinho de dar algo errado e termos de voltar para casa sem o sonho da tão esperada viagem né?! Mas foi suuuuper tranquilo: o oficial apenas perguntou para onde estávamos indo, respondemos Nova York e pronto, passaportes carimbados! Fizemos a conexão para Boston tudo conforme o planejado. Ao chegar em Boston, por volta das 10:30h, recebemos mensagem de que nosso voo para NY havia sido cancelado por conta do mau tempo no JFK. Fomos encaixados num voo que já estava atrasado, sairia de Boston às 9:30h, e apenas conseguimos levantar voo perto das 16h. Ficamos cerca de 2h dentro da aeronave, o piloto anunciava a decolagem, depois dizia que tinham fechado a pista no JFK, ou que havia muitos aviões já em rota para pouso, enfim… A viagem durou 45 minutos e foi intensa. O vento estava forte, passamos por algumas turbulências e o pouso foi complicado, mas tudo certo, estávamos finalmente em Nova York, o que poderia nos entristecer? Fomos de AirTrain pois estávamos apenas com uma mala média e uma grande, então achamos que seria tranquilo. Realmente foi:  cerca de 1h depois estávamos fazendo check-in no hotel. Como chegamos bem depois do planejado, só tomamos banho e fomos para a rua olhar os arredores e comer alguma coisa. Como ainda estávamos muito inseguros e com muita fome pra ficar rodando atrás de algum lugar pra comer, comemos no Burger King (Broadway) mesmo. Já era noite e estávamos meio cansados da viagem, então só tiramos umas fotos na rua com o Empire State no fundo, admiramos a grandeza da Macy’s (por fora mesmo) e vimos a gracinha que estava a Herald Square com aquelas lindas tulipas. Tulipas no meio da cidade? Pois é, inimaginável no Rio de Janeiro né? Fiquei encantada com os canteiros “entulipados” de Nova York, um charme. Retornamos ao hotel para descansarmos e foi difícil pegar no sono, afinal eu estava em Nova York, tudo parecia um sonho.

Imigração: dicas para encarar o processo com tranquilidade.

Dia 2 – 17/04 (terça): Acordamos não muito cedo e tomamos café no hotel mesmo. Fomos direto para a Uniqlo comprar roupas térmicas. Estava na casa dos 8ºC e ventando muito. Compramos cada peça por U$15. Em seguida, fomos à B&H Photo Video, porque precisávamos comprar o celular do meu esposo (ele foi sem, com intenção de comprar lá) e eu queria comprar alguns equipamentos fotográficos. Conseguimos bons preços e achamos tudo que queríamos. Em seguida fomos à T-mobile que tinha em frente para fazer o plano de internet. O vendedor nos ofereceu um plano ilimitado de U$50, mas queríamos de fazer o de U$30, o plano de turista (2GB de internet). Ele nos disse que este plano teria uma taxa de U$10 para ativação e mesmo assim disse que a T-mobile não estava mais fazendo este plano. Eu achei estranho, pois na ida para a  B&H tinha visto outra T-Mobile com placa na porta sobre este plano. Não discuti, apenas disse a ele que pensaria no assunto e fui à loja onde tinha visto a placa. Fizemos o plano de U$30, não pagamos nada de ativação e pronto. Cuidado, galera, sempre pesquise, não acredite em tudo que vendedor fala, afinal, eles querem vender, mesmo que não seja o melhor produto para você. Na volta, passamos na DSW Designer Shoe Warehouse para comprar um tênis para eu encarar a andança em NY. Achei de várias marcas e acabei ficando com um da Asics de U$60. Almoçamos ali pertinho, no Cafe Bistro, um self service de U$9,99 a libra. Muita opção de comida, banheiros limpos e bom espaço para sentar para comer. Na verdade tem cara de mercadinho, uma graça. Nosso almoço deu algo em torno de U$23. Este era o dia em que faríamos fotos com a Michelle Cadari (@fotografabrasileiraemny) no Central Park e na Times Square. Fomos para o ateliê da Débora Mendonça (achei a indicação da Laura no blog) para eu fazer make, afinal ninguém merece sair nas fotos da Mi com essa cara de todos os dias né? Em seguida, fomos ao Central Park encontrar com a Michelle e fazer as fotos. Cara, que lugar incrível. Vimos apenas algumas partes do parque e eu já estava apaixonada. Fomos para a Times de metrô e não sei descrever a sensação de subir a estação de metrô e dar de cara nos letreiros luminosos. É coisa de louco, sensação que não dá para explicar. Lindo! LINDO! Terminamos as fotos, compramos um lanche no Shake Shack e fomos para o hotel.

Dia 3 – 18/04 (quarta): Começamos o dia com algumas comprinhas urgentes na farmácia, como Chapstick (hidratante labial) pois estávamos pegando muito vento frio e o aquecedor também não estava fazendo bem para os lábios. Começamos o passeio pelo encantador Bryant Park e pela Biblioteca Pública, com seus leões na entrada e suas fontes de água verdinha. Por dentro, gostamos de ver os tetos com suas obras de arte, mas não tinha tanta coisa pra ver, então seguimos nosso rumo. Esse foi o dia que conhecemos a St Patrick’s Cathedral, linda, magnífica, imponente… Quando fomos nos aproximando da Catedral e vendo sua beleza, ficamos boquiabertos. Sua arquitetura é única, lindíssima. Dali, fomos ao Rockefeller Center. Suas bandeiras de todos os países chamam a atenção de longe, mas confesso que achei que fosse maior. Olhei pro meu esposo e disse “Acho que é ali”, rs. Estavam desmontando a pista de patinação então o local estava em obras. Estava meio bagunçado mas não deixou de ser encantador. Como não lembrar de “Esqueceram de mim”? Aproveitamos para conferir a loja da Lego. Para quem é fã, um arraso. Não somos exatamente muito fãs, mas ver um dragão enorme no teto da loja, saindo de uma parede para outra foi muito maneiro. Outras esculturas de Lego também estavam à venda, tinha de Star Wars, Taj Mahal, o próprio Rockefeller Center (não sei se estava à venda). Incrível ver tantas peças juntas formando as mais inusitadas coisas, muito bacana. Fomos à Grand Central Station para conhecer e tirar algumas fotos. Adorei a vibe, a correria e a arquitetura. Super vale a pena. Na procura de um lugar para comer, achamos uma fonte lindona em frente ao Radio City Music Hall, na qual tiramos algumas fotos (ouvi dizer que fica linda no Natal). Almoçamos no KFC ali pertinho. Em seguida, fomos à Century 21 a procura de relógios. Achamos vários modelos na média de preço de U$25. A loja é bem bacana, bons preços para algumas coisas (barra grande da Lindt por 5), não tanto para outros (85 em casacos bem simplões). Visitamos o Lincoln Center para algumas fotos e mais tarde voltamos à Times para algumas fotos e para jantar no Olive Garden. Comemos muito bem por U$60, incluindo taxas e tip. Passeamos pelas lojas da M&M’s e Hersheys. Ficamos loucos com tantos chocolates coloridos e enormes, cada um mais apetitoso que o outro. Muito bacana ver todas aquelas gostosuras em diferentes sabores e formatos. Em seguida, fomos atrás das esculturas HOPE e LOVE tomando um chocolate quente comprado em algum lugar que não lembro onde o primeiro lugar com banheiro que achamos, rs.

Inverno em Nova York: produtos para ter na bolsa.

Dia 4 – 19/04 (quinta): Era o dia em que veríamos a Lady Liberty pelo Staten Island Ferry. Optamos em não ir na ilha da Estátua e meio que me arrependi de não ter ido. Chegamos de metrô, simples e fácil. Embarcamos no Ferry e a impressão que tínhamos é que tinha muuuuita gente, mas o Ferry é gigante, então lá dentro estava super tranquilo. O dia estava nublado e bem frio, saímos na parte externa do Ferry para algumas fotos e voltávamos correndo pra dentro. O frio especialmente com o vento estava beeeem forte. Descemos em Staten Island e já fomos atrás do Ferry pra voltar pra Manhattan. Super recomendo o passeio grátis. Em um dia mais quente e menos nublado acredito que seria ainda melhor. Após o passeio de Ferry fomos conhecer o Battery Park. Uma graça! O Seaglass Carousel é lindo e o park é um charme, foi onde vimos nosso primeiro esquilo (brasileiro adora né?!) e o monumento aos heróis de guerra da Marinha com todos aqueles nomes e aquela águia gigante são impressionantes. Em seguida, fomos ao Financial District atrás da tão famosa Wall Street, do Touro e da Fearless Girl. Achei muito bacana todos os turistas se revezando para tirar a tão famosa foto com o touro. Óbvio que também tirei né? A essa altura, já estava chovendo e estávamos meio atrapalhados andando com sombrinha, Google Maps na mão e tudo o mais. Pegamos o metrô voltando para perto do hotel para almoçarmos. À noite saímos para comer o tão gostoso Boston Cream donut da Donkin Donuts. Aproveitamos para provar a tão famosa pizza do Joey’s Pizza (na Broadway). A fila estava bem grandinha. A pizza é boa, mas ainda prefiro as brasileiras, achei que tinha poucas opções de sabores para quem não come carne de porco, como nós. Passeamos em algumas lojinhas de brinquedos na Times, vimos algumas Baby Alive bem baratinhas, tiramos fotos com Minions grandinhos feitos de lego. Visitamos o Bryant Park a noite, tiramos fotos com o Chrysler Building no fundo e na volta pro hotel comemos os famosos hot dogs de rua de Nova York. Tive que dar o braço a torcer, não são tão ruins como a aparência, rs.

Saiba tudo sobre o passeio de Staten Island Ferry

Um roteiro pela região Downtown.

Dia 5 – 20/04 (sexta): Esse foi o dia que escolhemos para explorar o Brooklyn. Primeira parada: Brooklyn Botanical Garden (pois até 12h a entrada é grátis). Pegamos o metrô para o BBG e descemos pertíssimo da entrada do Jardim Botânico e conseguimos entrar antes de 12h. Foi de longe o melhor dia da viagem. O Jardim Botânico com seu lago japonês é a coisa mais linda! Rendeu ótimas fotos e ótimas lembranças. Adoramos as tulipas e outras flores não muito comuns no Brasil. Ainda não estava tudo floridão, mas já deu para aproveitar o passeio. Em direção ao Brooklyn Bridge Park, almoçamos uma ótima massa no Joe’s e fomos procurar o parque. Chegando bem pertinho do parque, a vista da Brooklyn Bridge é incrível. Curtimos um pouco da vista do skyline, tiramos algumas boas fotos, observamos os barcos irem e voltarem para então fazermos a travessia da ponte em direção a Manhattan. Adoramos! A vista é cada vez mais incrível, as pessoas bem educadas parando para tirarmos fotos e tudo o mais. Do outro lado da ponte, achamos uma Century 21 que fomos só mesmo pra olhar e acabamos comprando algumas coisinhas. Em seguida, fomos ao Oculus e ao 9/11 memorial. Não sei descrever o sentimento de estar naquele local. Só conseguia observar o memorial, vendo todos aqueles nomes e imaginando a tristeza daquelas famílias que voltavam ao memorial para pôr flores ou bandeirinhas no nome de seus entes queridos.

Saiba tudo sobre a travessia da Brooklyn Bridge. 

Dia 6 – 21/04 (sábado): Como era sábado, em primeiro lugar fomos em busca de uma igreja Adventista. Achamos no Maps a New York Manhattan Seventh-day Adventist Church. Fica bem no coração de Greenwich Village, que é lindo demais. As ruas são as coisas mais lindas e as pessoas nos receberam muito bem. Fomos convidados a almoçar, mas preferimos continuar o roteiro. De lá, andamos até a famosa esquina Bedford x Grove St para conhecer o prédio de Friends. Uau!!! É mesmo idêntica ao que vemos na série. Não é nada que demande muito tempo da viagem, e vale cada foto e sentimento, especialmente para os Friendsmaníacos, como eu. Seguimos para o Washington Square Park para conhecê-lo. Adoramos ver os cercadinhos para os cachorros brincarem. Comemos uma daquelas nuts caramelizadas por U$3, delícia. Aproveitamos que a temperatura tinha subido um pouquinho para provar um daqueles sorvetes de caminhão. Em seguida, fomos ver de pertinho o prédio da NYU e procurar o cone de batata da Pommes Fries ali pertinho. Com atendimento show de bola e seus inúmeros molhos, foi até difícil de escolher.  Seguimos para o Roosevelt Tram para ir para a ilha de bondinho. Como era sábado a fila estava bem grandinha. Aguardamos um pouco até chegar nossa vez do passeio. Seguimos para conhecer a ilha. Tiramos bastante fotos com a Queensboro Bridge ao fundo e seguimos à procura do movimento da Cherry Blossom Festival. Ficamos alguns momentos deitados na grama apreciando a vista, vendo as crianças rolando grama abaixo, os cachorros curtindo um solzinho e toda a vibe bacana do primeiro final de semana em Nova York. Conhecemos o finalzinho da ilha, o letreiro da Pepsi e o Smallpox Hospital.. Voltamos da ilha de metrô mesmo, não estávamos muito dispostos para enfrentar a fila do Tram.

Saiba mais sobre o passeio de bondinho e a Roosevelt Island.

Dia 7 – 22/04 (Domingo):  dia de conhecer o Museu de História Natural! Pegamos o metrô em direção ao Central Park para conhecer o Museu. Pagamos o valor cobrado + uma atração (escolhemos o planetário, U$56 para nós dois). Passamos um bom tempo lá dentro. Conhecemos todas as salas abertas para visitação. Adoramos ver os esqueletos dos dinossauros e nos sentimos dentro do filme “Uma noite no museu”. À procura da Levain Bakery, esbarramos no Chirping Chicken, onde almoçamos pagando uma pechincha por uma quantidade imensa de comida. U$15 o prato com muuuuita salada, pão sírio, arroz, feijão, sobrecoxa desossada e refrigerante incluído. A sobremesa foi na Levain… Uaaaaau que cookies. Os melhores da vida. Comemos todos os sabores e recomendo todos! Voltamos ao Central Park para sentir o clima do parque nos finais de semana. Era exatamente o que víamos em filmes, as pessoas deitadas na grama, times treinando beisebol, as crianças brincando de bola, os cachorros correndo pra lá e pra cá, muito animado. Ficamos algumas horas observando as pessoas passeando de barco e planejamos voltar durante a semana pois estaria mais vazio.

Dia 8 – 23/04 (segunda): Dia de explorar mais uma parte do Brooklyn. Fomos para Coney Island para conhecer o Aquário e o Luna Park, mas este estava fechado, só abre aos finais de semana. Fomos de metrô, levamos cerca de 1h até lá, e direto ao Aquarium. Pagamos U$24 no par de ingressos. O aquário em si é bem pequeno e estava com uma boa parte fechada, mas o preço do ingresso valeu cada centavo pelo show dos Sea Lions. Que bichinhos espertos. Tudo muito bem treinado e muito animado. Na saída do Aquário, fomos ao cinema 4D que já estava incluso no preço do ingresso. Era um filmezinho da Era do Gelo e rendeu várias risadas. Em seguida, fomos para a beira da praia curtir a vista e tiramos boas fotos com o Luna Park nos fundos. Também avistamos o Nathan’s onde tem a competição de comer hot dog todo 4 de Julho. Almoçamos no Surf City de frente ao parque. Comemos uma ótima massa por U$35. Voltamos para Manhattan pois queríamos ir no Rockefeller Center para conhecer o Top of the Rock. Chegamos perto das 18h e só tinha ingresso para subir as 19:30. Resolvemos comprar para o dia seguinte pois queríamos aproveitar o pôr-do-sol. Compramos um cheesecake na Magnolia Bakery com hot cocoa e uma pizza do Pizza Hut pra fechar a noite.

Clique aqui para comprar ingressos para as atrações turísticas de Nova York.

Confira um vídeo sobre Coney Island

Dia 9 – 24/04 (terça): Último dia completo da viagem dos sonhos. Voltamos ao Central Park para alugarmos bikes e fazermos o passeio de barco. Descemos do metrô na Columbus Circle e logo fomos abordados por um cubano oferecendo as bikes. Alugamos por um dia inteiro. Pedalamos por todo o parque e nos surpreendemos ao ver é diferente em cada cantinho, inclusive com os morrinhos que tinham para subir pedalando. Alugamos barco na Loeb Boathouse por U$15 pelo período de 1h. Remamos bastante e nos divertimos um tantão. Almoçamos no queridinho Chirping Chicken novamente e óbvio, outra paradinha na Levain. Depois de um dia inteiro no parque voltamos para perto do hotel, comemos mais um hot dog de rua e fomos ao K-Mart em busca das tão difíceis de achar LOL (aquela bonequinha que vem numa bola). Não achamos, mas achamos vários relógios baratinhos para trazer de lembrança. Ah, se todo mercado fosse assim…

Clique aqui e alugue sua bicicleta com desconto!

Obrigada Camila, pelo seu relato!

Gostaram do relato da Camila?  Se você quiser participar, envie seu relato para análise para laura@lauraperuchi.com COM FOTOS, seu nome completo e cidade/estado. LEMBRE-SE que é preciso ser detalhista. Não precisa escrever um livro, mas seu relato tem que ser informativo!


Leave a Response