Diário de viagem

Diário de viagem a Nova York – Darlihelma Barbosa

O Diário de Viagem é uma seção que traz relatos de leitores do blog. Nesses relatos, eles contam como foi a viagem a Nova York, o que mais gostaram de fazer, o que não gostaram, dividem dicas, enfim: um diário mesmo. A convidada de hoje é a Darlihelma Barbosa, de Ponta Grossa, PR. Ela ficou 8 dias na cidade, em janeiro de 2018.  Para conferir mais relatos, clique aqui.

Essa não foi minha primeira vez em Nova York: já havia ido em 2012 fazer curso de inglês e, desta vez, fui sozinha. Fiquei oito dias em janeiro. Tenho a tênue sensação de que em Nova York fazemos tudo e não fazemos nada, devido à quantidade de atrações e lugares para ocupar o tempo.

Eu sabia que em praticamente cada esquina de Manhattan há uma loja da T-Mobile, então não havia comprado chip ainda, porém no aeroporto de Guarulhos tem alguns quiosques que vendem do mesmo chip e comprei o meu por U$80 , cheguei conectada e ele funcionou muito bem durante todo o período da viagem.

Saiba tudo sobre chip de celular.

Meu voo foi de Latam, não tenho nada do que me queixar da cia aérea, comida ok, comissários atenciosos, aeronave ótima (o espaço nunca é suficiente na econômica). Permitiam duas malas de 23kg e levei as duas quase vazias.

Chegada: cheguei às 6h da manhã no JFK, segui aos procedimentos de imigração digitalizando meu visto e passaporte na máquina, tudo prático e fácil. Segui para o hotel usando AirTrain: o custo-benefício e a praticidade valem muito a pena; não existe complicação nenhuma, indico para qualquer pessoa. Meu check-in só poderia ser feito às 15 horas, então já cheguei preparada para deixar somente as malas, e para minha surpresa, o hotel fez meu check-in naquele exato momento sem nenhum custo adicional!

Confira dicas para encarar o processo de imigração com tranquilidade.

Vídeo: Aeroporto em Nova York – como usar o Airtrain?

Hotel: The Hotel at Times Square, localização perfeita a apenas 2 quadras da Times Square, na esquina da 6 Avenida, café da manhã e wi-fi grátis, máquina de café e chá para os hóspedes 24h, quarto espaçoso e limpinho, funcionários muito atenciosos. Fiz a reserva com seis meses de antecedência e ao meu ver consegui um bom preço por se tratar de Manhattan, recomendo.

Reserve o The Hotel at Times Square pelo Booking.

Reserve o The Hotel at Times Square pelo Hotels.com

Clima: Durante os dias em que estive na cidade, o clima estava super favorável. Já havia parado de nevar, nenhum dia com temperatura extrema, o que não fez necessário a compra de casacos ou outro tipo de roupas, eu levei duas blusinhas térmicas compradas no Brasil, jaquetas que já tinha, calça jeans, legging e deu tudo certo.

Como é o clima em Nova York?

Compras: Eu curto muito fazer compras, então minha lista saiu grande do Brasil. Fui ao Jersey Gardens (com o ônibus que sai do Port Authority Bus Therminal) E não comprei o livro de descontos porque achei que não compensava. Fiz boas compras na Kippling, Nike, Century 21, Adidas, entre outras. Eu não conhecia o Jersey Gardens, agora que conheço prefiro o Woodbury . Uma dica interessante para quem vai é levar uma mala para trazer as compras.

Outlets em Nova York: Jersey Gardens ou Woodbury? Clique aqui e confira uma visão geral e vídeos sobre os dois.

Em janeiro também é uma boa época para compras em Manhattan devido aos descontos das lojas. A Burlington é uma das minhas favoritas: tem praticamente tudo (incluindo bolsas e perfumes de marca). Gosto muito da Zara da Quinta Avenida, que tem descontos incríveis. Praticamente em frente ao Bryant Park, tem o Whole Foods Market, um mercado muito legal que vende comidas orgânicas.

Fui na loja Innisfree que fica na Union Square (dica da Laura), fiquei maluca com tanta coisa interessante, queria quase tudo. É interessante dar uma olhadinha lá! Passei na Harmon também, tem todo tipo imaginável de cosméticos e o preço muito bom também.

Saiba mais sobre a loja da Innisfree.

Atividades e entretenimento: Particularmente gosto muito de museus, optei pelo Museu de História Natural e pelo MET, ambos possuem entradas com valor sugestivo, paguei U$15 em cada. Levei um dia e não pude explorar tudo que o MET oferece.

Atenção: a política do MET de pague o que quiser vai acabar a partir de março!

Os espetáculos da Broadway são imperdíveis. No Brasil, eu havia comprado ingresso para O Fantasma da Ópera pela internet. Em Nova York, adquiri na bilheteria do TKTS com 50% de desconto um ingresso para o Anastasia, e também assisti Aladdin comprando o ingresso na bilheteria do teatro, por um preço muito bom. Todos são maravilhosos e incríveis, cada qual à sua maneira, recomendo que se possível assistam pelo menos um, porque vale a pena esse investimento.

Como comprar ingressos baratos para a Broadway?

Meu lugar preferido em Nova York (como se fosse possível escolher um, mas o que mais me toca) é o Memorial 11 de Setembro, por tudo que ele significa não só para os nova-iorquinos e americanos, como para milhões de pessoas, além da energia que emana daquele lugar. Gosto muito de estar lá, é triste e inspirador ao mesmo tempo. No mesmo dia, aproveitei para ir ao Observatório do One World Trade Center, porém a visibilidade estava ruim, estava muito nublado, o que não foi muito legal. Mas assim mesmo foi interessante.

Biblioteca Pública de Nova York: parada obrigatória para todo e qualquer turista, aquele lugar é lindo, e não dá vontade de sair nunca mais, e de quebra fica no Bryant Park, outro lugar lindo e fascinante e não paga para entrar.

St. Patrick Cathedral: arquiteturalmente linda, pude participar da missa que estava começando quando cheguei.

Top of the Rock: show! Permite uma visão linda de Nova York, fui à noite e as luzes da cidade são fascinantes.

Estátua da Liberdade: eu já havia ido até a ilha anteriormente, porém quis ir outra vez. O tempo estava bom, não estava ventando muito, gosto de ver de perto. Comprei o ingresso na hora, não tinha muita fila.

Clique aqui para comprar ingressos para as principais atrações de Nova York.

Central Park: adoro esse lugar! Fui na esperança de encontrar algum resquício de neve mas só encontrei o lago congelado e a paisagem estava fantástica. Fiquei meio dia lá, o que é pouco claro, mas uma passadinha lá já é compensador.

Um guia para explorar o Central Park

230 Fifth: Rooftop localizado na Quinta Avenida, com vista para o Empire State. Ambiente bem legal, fui com duas colegas brasileiras que conheci em NY. Eles possuem roupão no estilo manta para os clientes utilizarem no inverno e cabanas no estilo “iglu” com lareiras automáticas, não precisa de reserva e os preços são razoáveis.

Washington DC: comprei o passeio pelo Decolar, a empresa que fez o tour foi me buscar e levar no hotel, o passeio foi muito legal. É um pouco cansativo, porque são quatro horas de ida e mais quatro de volta, mas Washington oferece muita informação, é uma cidade lindíssima, foge um pouco da muvuca de Nova York, por ser mais tranquila. É uma cidade com uma gama cultural imensa, passei a compreender o tamanho amor dos norte-americanos pela pátria depois de conhecer Washington.

Caso você tenha interesse em fazer esse programa, clique aqui para saber mais sobre o passeio guiado em português da U.S. Travel para Washington DC. Leitores do blog têm desconto!

Alimentação: de fast food aos melhores restaurantes, Nova York tem um leque gastronômico onde ó possível encontrar qualquer coisa. Diariamente, eu tomava café no hotel e era consideravelmente bom, com frutas, iogurte, muffins, panquecas, cereais, pães, café, suco, chá, etc. Em relação ao almoço e janta, não sou uma pessoa complicada, e, estando sozinha, eu optava por refeições práticas, assim ganhava tempo. Gosto muito da rede Ihop e Applebee’s. Na rua do meu hotel (também chamada Little Brazil) tem um restaurante ótimo, o Via Brasil, com um menu muito bom, e prático para mim, devido à proximidade ao hotel.

Explore os posts de Gastronomia do blog clicando aqui.

Orçamento: as pessoas sempre têm muita dúvida e receio sobre quanto gastar quanto levar, e é complicado mesmo. No meu caso, eu reservei o hotel pelo Booking e tomei cuidado para verificar que as taxas não estavam inclusas. Então calculei e já sabia quanto ia precisar gastar com o hotel (no meu caso foi U$952). Fora o hotel, calculei U$250 por dia (considerando gorjetas, alimentação e compras), porém o gasto diário é muito relativo, depende da prioridade e necessidade de cada pessoa.

Foi uma viagem incrível, voltei querendo ficar porque Nova York tem o incrível poder magnético de atrair nosso amor e nossa atenção e nos apaixonamos de forma incondicional. Espero voltar logo.

Darlihelma, muito obrigada pelo seu relato! 

Gostaram do relato da Darlihelma?  Se você quiser participar, envie seu relato para análise para laura@lauraperuchi.com COM FOTOS, seu nome completo e cidade/estado. LEMBRE-SE que é preciso ser detalhista. Não precisa escrever um livro, mas seu relato tem que ser informativo!


1 comentário

  1. Darlihelma, seu relato foi muito mais do que bem-vindo! Estou indo para Nova York em meados de março, também sozinha, e seu post me deixou menos ansiosa! Muito obrigada!

Leave a Response