Viagem a Paris: nossos programas na capital francesa

Vamos à segunda parte da nossa viagem para a Europa? Estivemos em Londres e Paris no início de junho e eu já contei aqui no blog sobre os passeios que fizemos em Londres – clique aqui para conferir o post – e também sobre os restaurantes onde comemos – clique aqui para conferir. Depois de 5 dias em Londres, partimos para Paris e ficamos 4 dias por lá. Fomos com o trem Eurostar – já tinha feito esse trajeto na nossa viagem de 2012 – e é uma opção prática e rápida! A dica é comprar com antecedência. A viagem é rápida – umas 2 horas e meia – e os trens são super pontuais e confortáveis. Como alguns de vocês sabem, minha irmã, Meiry, mora em Paris desde 2014 e também é fotógrafa lá – clique aqui para conferir o trabalho dela. Essa não era nossa primeira vez na cidade – eu já havia estado lá duas vezes, uma delas com o Thiago. Assim, a Meiry separou vários lugares legais e nada óbvios para a gente visitar, sem muito foco nos pontos turísticos mais tradicionais. Os dias estavam lindos, o clima também, e eu confesso que voltei de Paris apaixonada… A seguir, os destaques da nossa viagem!

Ensaio fotográfico – não poderia deixar de falar do trabalho da minha irmã, obviamente! Já recomendei o trabalho dela muitas vezes. Claro que eu já tinha sido clicada por ela também, mas, desde que ela começou a fazer ensaios em Paris, eu ficava babando por cada foto que ela publicava. Óbvio que não perdemos a oportunidade e fizemos um ensaio (e também outros cliques pela cidade – todas as fotos do post são dela!). Não questionei nenhuma das orientações dela: desde o começo, ela sugeriu que a gente acordasse cedo para estar no Trocadéro – Torre Eifffel –  às 6 da manhã, quando o local está vazio e a luz é maravilhosa. Levantei às 5 da manhã, fiz meu cabelo e maquiagem e lá fomos nós.  Além da região da Torre, também fomos fazer umas fotos no Museu do Louvre e na Pont des Arts. O resultado ficou incrível e nada que eu escrever aqui vai ser suficiente para falar o quanto amei. Obrigada, mana! Para saber mais sobre o trabalho dela, basta acessar o site ou o instagram dela. O email de contato é [email protected] 

Passear pelas ruas de Montmartre – o bairro de Montmartre é famoso por conta da Basília de Sacré Coeur – que fica numa região elevada da cidade, e proporciona uma vista incrível. Só que muita gente só vai até a Basílica e deu. A verdade é que as ruas residenciais que ficam nos arredores rendem um passeio super agradável, com construções de arquitetura fofa e ruas charmosas. Fiquei encantada!

Jardin des Plantes – é o Jardim Botânico de Paris. Fica ao lado da linda Mesquita de Paris e hospeda o complexo do Museu de História Natural. Apesar de não ser “desconhecido”, não é um lugar muito visitado por quem está na cidade pela primeira vez. O espaço verde da área é gigantesco e, como junho é época de rosas, o roseiral estava especialmente maravilhoso. Caminhamos por um bom tempo por ali e ficamos curtindo a calmaria do fim do dia.

Roseraie du Val-de-Marne – esse roseiral fica no parc de la Roseraie, na cidade de L’Haÿ-les-Roses, que é do ladinho de Paris. Não sei se vocês sabem, mas Paris não é uma cidade grande, então, não é preciso se apavorar pelo fato de esse ser um passeio fora da cidade. A gente levou cerca de 30 minutos para chegar lá. Você pode ir de transporte público usando o RER B até Bourg-la-Reine e la pegar o bus 172 ou o 192 até a parada Sous-préfecture / Eglise. Prontinho, você já está ao lado de uma das entradas do parque! E garanto: vale muito a pena! São 2900 espécies de rosas em mais de 11 mil roseiras! Ele abre de meados de maio até meados de setembro e as melhores épocas para visitar são maio e junho. Foi um dos jardins mais bonitos que conheci – sem contar que o lugar é super tranquilo, nada lotado e fica em um parque lindo também. O ingresso custa €3,10 por pessoa e estudantes pagam metade disso.

Parc de Belleville – Belleville é um bairro nada turístico, com muitos barzinhos e também street arts. O ponto alto fica por conta do Parc de Belleville, que fica numa região elevada e a vista… o que falar da vista? Incrível! Dá pra ver, inclusive, a Torre Eiffel de longe. Estivemos lá num fim de tarde e todo mundo estava aproveitando o dia lindo, e tinha até uma apresentação musical. Fiquei encantada!

Ballon Generali / Parc André Citroën – que tal andar de balão em Paris? Infelizmente, não conseguimos realizar esse passeio, porque deixamos para o último dia e as condições de vento não estavam permitindo a subida do balão. Mesmo assim, achei bacana deixar a dica! O passeio dura 10 minutos e custa €12 por pessoa. O balão acomoda 30 pessoas e sobe a uma altura de 120 metros. Além disso, ele também é responsável por medir a qualidade do ar da cidade. O balão sai do Parc André Citroën e só o passeio pelo parque já vale muito a pena! É um parque com uma pegada super moderna, lindo, com espaços bem bons para fazer picnic. Amei!

Estátua da Liberdade – ver a Estátua da Liberdade em Paris foi super icônico pra mim, já que moro em Nova York. Para quem não sabe, a Estátua da Liberdade daqui foi um presente da França. Em 1889, para comemorar os 100 anos da Revolução Francesa, a comunidade dos EUA em Paris ofereceu à cidade uma réplica em bronze, de 22 metros de altura, da famosa estátua. Ela foi instalada na Île aux Cygnes (Ilha dos Cisnes), uma ilha artificial construída no rio Sena entre o 15° e o 16° arrondissements de Paris. Inicialmente a estátua estava voltada para leste mas, em 1937, sua orientação foi modificada e hoje ela olha em direção à Nova York (informações do Conexão Paris). Um bom local para vê-la é a Pont Mirabeau. Há outras réplicas da Estátua da Liberdade em Paris e elas ficam no Museu Orsay, no Jardim Luxemburgo, no Museu des Arts et Métiers e na Place d’Alma.

Rue Montorgueil – para finalizar, queria muito recomendar essa rua! Ela é cheia de restaurantes de rua vendendo de tudo: pizza, falafel, sanduíches, sorvetes… Como era primavera e o dia estava bem agradável, havia várias mesinhas e cada um pode comprar sua comida e sentar-se por ali. Nós compramos algumas coisas, um vinho gelado, e fomos comer debaixo de uma árvore do jardim Nelson Mandela. Essa é uma área muito lega da cidade. Um ponto legal ali, além do próprio jardim, é conhecer a igreja Saint-Eustache.

Gostaram? Queria agradecer à minha irmã Meiry por ser a melhor anfitriã que podíamos ser em Paris e a fotógrafa mais maravilhosa que existe! Para saber mais sobre o trabalho dela, basta acessar o site ou o instagram dela. O email de contato é [email protected] 

Author

2 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *