viagem

Os destaques da nossa viagem a Londres

Se você me segue no Instagram (aproveita e segue aí @laura_peruchi), viu que eu e o Thiago estivemos em Londres e Paris no início de junho. Essa viagem já teve história antes mesmo de se concretizar. Nós conseguimos uma super promoção com a Wow Airlines – uma companhia aérea da Islândia – e compramos passagens para viajar em março. Nossa partida seria, mais precisamente, dia 14. Mas, para quem não sabe, teve uma nevasca terrível nesse dia e, obviamente, nosso vôo foi cancelado. A companhia aérea nos deu a opção de remarcar sem custo e aí jogamos a viagem para junho. No fim das contas, foi ótimo, porque em março ficaríamos apenas 5 dias e aproveitamos a remarcação para esticar nossa viagem. No total, foram 8 dias de viagem, divididos entre Londres e Paris.

Gravei alguns vlogs que vão entrar em breve no canal e também vou dividir algumas dicas com vocês aqui no blog. Não foi nossa primeira vez em nenhuma das duas cidades – estivemos nas duas cidades em 2012 e eu ainda estive em Paris em 2015 (tem post sobre a viagem aqui). Temos uma amiga morando em Londres e minha irmã morando em Paris, o que acabou nos dando um ótimo suporte (e estadia gratuita, hehe). Estávamos bem relax no quesito roteiro: queríamos curtir tudo numa boa, sem pressa.

Antes de começar as dicas em si, queria falar brevemente sobre a Wow. É uma companhia aerea super nova, que tem apenas 5 anos de existência e tem um conceito low cost, fazendo trechos entre os EUA e a Europa – com escalas na Islândia. Nossa experiência foi bem boa, mas acho importante salientar como tudo funciona. A Wow cobra por tudo: desde a comida e bebida até a escolha de assentos. É importante ter isso em mente. Não há entretenimento de bordo. É permitido somente um item pessoal por pessoa, sem cobrança de taxas – mala estilo carry on e malas despachadas exigem pagamento.

Bem, partindo para o que interessa, vamos começar com o primeiro destino: Londres! Fizemos alguns passeios clássicos – como passar pela região do Big Ben e da London Eye e também caminhar na Oxford Street. Vou falar nos passeios que foram novidades para gente: alguns são até conhecidos mas outros não são tão óbvios. Ah, farei um post separado sobre os restaurantes, ok?

Vamos começar pela Tower Bridge! Essa ponte é um dos símbolos mais icônicos da cidade e claro que a gente tinha visto ela da primeira vez aqui, mas foi somente durante o dia e de longe. Na sexta à noite, primeiro dia na cidade, fomos beber e comer em um pub ali perto – aguardem o post dos restaurantes – e aproveitamos para caminhar à beira do rio Tâmisa e apreciar a lindeza dessa ponte. Ela é toda iluminada e muita gente caminha por ali. Eu já falei em algumas oportunidades que tenho um encantamento por pontes, e adorei ter conferido a Tower Bridge à noite. Para quem tiver interesse, tem como fazer um tour na parte superior da ponte e você pode conferir os detalhes neste link.

A Carnaby Street fica no coração de Londres, bem pertinho de Oxford Circus e Piccadilly Circus. Além da rua ser super charmosinha – tem uns prédios coloridos que são uma graça – é cheia de lojas legais (são cerca de 150!). Tem muitas marcas conhecidas e lojas diferentes, como a Irregular Choice, que vende calçados criativos e super diferentes – são os mesmos usados pela Louisa Clark em “Como eu era antes de você”(35 Carnaby Street). É na Carnaby Street que também está a loja da Urban Decay (w1 9pp, 44-45 Carnaby St) e a da Estée Lauder, da The Estée Edit (46 Carnaby Street). Vale passar também no Kingly Court, que reúne vários restaurantes num espaço super delicinha!

Notting Hill é sempre figurinha carimbada no roteiro de quem visita Londres, mas na nossa primeira vez na cidade não conhecemos o bairro. E acreditem ou não, também  nunca assisti ao filme! Hehehe. É super charmosinho, com as casinhas coloridas – minha amiga Jaqueline me explicou que as cores mudam de tempos em tempos. Quando eu postei que estava vindo para Londres, muita gente disse que eu não poderia deixar de visitar o bairro no sábado, quando acontece o Portobello Market, uma feira de rua. Tem de tudo: roupas, artigos vintage, comida, itens de decoração. Absolutamente tudo. É bem gostosinho caminhar por ali!

Camden Town, o bairro onde morava Amy Winehouse, também é muito bacana! Cheio de gente jovem e alternativa, o bairro estava bastante movimentando no sábado em que estivemos lá. Além de uma paradinha básica em um pub, que vai entrar no post de restaurantes, aproveitamos que estávamos pelo bairro e fomos conferir a Camden Town Brewery, uma cervejaria do bairro. Para os amantes de cerveja, é parada certa. A degustação com 5 tipos de cervejas – que você pode escolher – custa £7. Endereço: 55-59 Wilkin Street Mews.

Também aproveitamos essa ida a Londres para conhecer a Tower of London! Não é o tipo de passeio que eu iria por minha conta, mas o Thiago estava louco pra conferir o lugar e, no fim, curti muito! O lugar é um castelo histórico, que fica às margens do rio Tâmisa (do ladinho da Tower Bridge). O local foi fundado por volta do ano 1066 e foi utilizado como prisão e também como residência real. Os tickets custam £21.50 (online) e a dica é alugar um áudio guia por £4 (tem em português) para ter uma experiência completa. Os destaques ficam por conta do Line of Kings, com exibição das armaduras usadas e também a The Crown Jewels, uma exibição com as joias da realeza – incluindo as coroas. Não é permitido fotografar lá dentro – mas é incrível!

Por fim, como uma apaixonada por cosméticos, não poderia deixar de recomendar uma passadinha na loja da Lush na Oxford Street! A Lush é uma marca inglesa, com cosméticos naturais e feitos à mão. A gama de produtos é extensa e inclui cuidados com o corpo, rosto e cabelos. Essa loja é a maior da marca no mundo e além da variedade de produtos, há alguns serviços free e dá para experimentar tudo. O grande destaque fica por conta da linha de maquiagem, que ainda não chegou aqui nos EUA. Endereço: 175-179 Oxford St.

Sobre o transporte em Londres: é uma cidade super bem-servida no quesito transporte público, com ônibus, trem e metrô (Underground). Compramos o Oystercard por £5 cada (valor que você pega de volta em um máquina quando for embora) e ele serve para tudo (ônibus, trem, metrô). Sempre conferíamos nosso cartão e deixávamos carregado com £7,75 para ter uso ilimitado – ele é um sistema inteligente e calcula o quanto você já usou para aplicar o ilimitado ou não. Por exemplo, se você usar só uma vez, só vai descontar £3,90. Usamos transporte público inclusive para sair do aeroporto – e nem preciso dizer que o Google Maps foi nosso melhor amigo na hora de traçar as rotas e saber quais linhas pegar, né?

Espero que tenham gostado do post! Aproveito para agradecer à minha amiga Jaqueline e seu marido Reinaldo pela hospedagem e hospitalidade durante nossa estadia na casa deles. =)


Leave a Response