viagem

California mini road trip: de San Francisco a Carmel

Semana passada, eu publiquei aqui no blog o nosso roteiro de três dias em San Francisco – se você ainda não viu, é só clicar aqui para conferir – e comentei que ainda publicaria mais um post sobre a mini road trip que fizemos no sábado e domingo. Saímos de San Francisco no sábado pela manhã e passamos por algumas cidades. E eu pedi para a Analuisa, minha amiga que mora em San Francisco e organizou todo o nosso roteiro e também essa mini road trip, escrever esse post, afinal, ela conhece a região muito melhor do que eu.

____

Ficamos a semana inteirinha controlando a previsão do tempo. Tinha que ter sol, tinha que estar aquele calorzinho. Tinha que ser perfeito. E foi! Nossa viagem curtinha pela costa da California, de San Francisco até Carmel, com direito a pouso em Santa Cruz, contou com um solzinho delícia, temperatura agradável, paisagens lindas, um hotel surpreendente e muitas risadas.

A Pacific Coast Highway (também chamada de Route 1, Highway 1 ou California 1) é conhecida como uma das estradas mais lindas do mundo. Realmente é uma viagem inesquecível! Meu marido e eu, por morarmos em San Francisco, sempre que podemos descemos por ela até alguma cidade no sul da California. Não tem como cansar de tanta beleza! Já fizemos o caminho mais famoso – San Francisco/Los Angeles- duas vezes, com mais de 600 km de paisagens maravilhosas e de tirar o fôlego! Dessa vez não teríamos muito tempo, então, decidimos percorrer os trechos San Francisco/Monterey/Carmel, Carmel/Santa Cruz, Santa Cruz/San Francisco.

Saímos de San Francisco em um sábado pela manhã (em torno de 10h) e a primeira coisa que fizemos foi nos certificar que o GPS estava nos mandando seguir a rota pela Highway 1. Certos disso, seguimos viagem. A nossa primeira parada aconteceu cerca de 40 minutos depois de sairmos de casa: fizemos um pitstop para um café da manhã no Joe’s, em Half Moon Bay (porções tamanho família! O misto quente – grilled cheese – é bem grande e vem com muita batata frita). Como não tínhamos muito tempo a perder, não paramos em nenhuma praia de Halfmoon Bay e seguimos o passeio.

Nossa segunda parada foi no Pigeon Point Lighthouse, um lindo farol com uma paisagem mais linda ainda em Pescadero, uma pequena cidade a 50 milhas de San Francisco. Tiramos algumas fotos, passamos um pouquinho de frio (muito vento!) e resolvemos continuar direto o nosso caminho até Monterey e só parar por lá, já que queríamos aproveitar o tempo bom. Ah, olhem que legal: o farol também funciona como hostel. Para quem tem bastante tempo e quer aproveitar cada paisagem da costa, vale a pena essa experiência.

O trecho Pescadero/Monterey teve muitas paisagens encantadoras e deu uma peninha de não parar, mas ainda tínhamos bastante chão pela frente e nos contentamos em ver todo espetáculo pela janela do carro.

Chegamos em Monterey já com bastante fome e decidimos almoçar. Não tínhamos nem ideia do que comer e começamos a pesquisar no Yelp algumas opções. Bingo! Encontramos um lugar delícia com comida mediterrânea/libanesa e de valor acessível (Paprika Cafe, $25 por casal). Melhor que isso só tendo um café lindo e delicioso do lado do restaurante, opa, peraí: tinha! Anote aí: The Perfect Crumb Bakery, vale a pena um cafezinho pós-almoço acompanhado de um brownie fresquinho.

Logo depois do almoço fomos de carro até o Lovers Point Park, localizado em Pacific Grove no condado de Monterey. O Lovers Point é um parque na beira da praia onde você vê de tudo: famílias reunidas fazendo churrasco ou picnic, pais e filhos surfando, pessoas com seus barquinhos, muita gente aproveitando para ficar no sol e mais gente ainda admirando a beleza da paisagem. A água do mar é cristalina e é um ótimo lugar para se perder no tempo.

Do Lovers Point chegamos em 5 minutos até a entrada da 17-mile-drive, uma estrada que liga Monterey a Carmel. Como o próprio nome já diz, a estrada tem 17 milhas e é toda composta por paisagens bucólicas, pequenas praias, campos de golf e pontos de parada sinalizados. Vale lembrar que para entrar na 17-mile-drive de carro é necessário pagar $10 em dinheiro (não são aceitos pagamentos em cartão). Na “17” paramos para ver o Cipreste Solitário (The Lone Cypress), um dos pontos mais intrigantes de parada, pois esse cipreste cresceu solitariamente em um rochedo, e ali está há mais de 250 anos. Muitos turistas param para tirar fotos com essa raridade de paisagem, uma árvore solitária e um mar azul, além de tecerem teorias sobre como o cipreste continua firme e forte em uma rocha à beira-mar. Paramos também no The Lodge at Pebble Beach, construído em 1919, lugar que hoje é um resort-clube de golfe que recebe hóspedes de alto poder aquisitivo, mas que está aberto ao público para visitação. O restaurante do resort também é aberto ao público e oferece uma vista exuberante do Pacífico.

Ao sair da 17-mile-drive já estávamos em Carmel, uma cidade com ares de serra (algo tipo Gramado), mas com praia. É impossível não amar andar pelas ruas de Carmel, onde você vai encontrar muitos restaurantes charmosos, galerias de arte, lojas renomadas, lojas locais, enfim, tudo muito lindo, a cidade organizada, pequena e bela. Carmel é de encher os olhos! Demos uma pausa para um café e comidinhas na tradicional Carmel Bakery, uma padaria que é o estabelecimento mais antigo da cidade (em funcionamento desde 1899), além de estar localizada no prédio mais antigo da cidade também.

Caminhamos um pouco por Carmel, entramos em algumas lojas e partimos para Santa Cruz, uma cidade praiana localizada no meio do caminho entre Carmel e San Francisco, ou seja, a viagem de volta já iniciou ao anoitecer do primeiro dia. Tivemos uma ótima surpresa ao chegarmos no hotel (Casablanca Inn) e descobrirmos que os nossos quartos eram de frente para o mar (tem coisa melhor que dormir com aquele barulhinho de onda?). Jantamos em Santa Cruz em um restaurante cujo carro-chefe são os pratos com frutos do mar, o The Crows Nest.

O domingo também amanheceu ensolarado, uma maravilha! Passeamos um pouco pelo centro de Santa Cruz, tomamos um café da manhã/brunch em um lugar chamado Lulu’s Pacific (mais uma dica! O bagel de bacon é uma delícia!) e depois fomos para a beira da praia em Santa Cruz, onde tem um parque de diversões com cara de filme de sessão da tarde.

Capitola também fez parte dos nossos planos. Apesar de ser uma praia pequena e tantas vezes esquecida pelos turistas, eu queria muito mostrar pra Laura as casinhas coloridas de frente para o mar, que na verdade fazem parte de um hotel, o Capitola Venetian. Com casinhas românticas, flores nas janelas e muitas lojinhas de praia, Capitola é um misto de beleza rústica com um toque europeu.

Quando entramos no carro para fazermos a viagem de volta, o coração começou a apertar. É difícil ver nossos amigos amados voltarem para casa, principalmente depois de dias tão felizes! E hoje escrevo esse post com muita saudade e já louca de vontade de um repeteco!

Gostaram do relato da Ana? 


Leave a Response