viagem

Nossa viagem para San Francisco – roteirinho e dicas

Se você me acompanha pelo Instagram (@laura_peruchi) e pelo Snapchat (lauraperuchiny), viu que semana passada estive na California. Finalmente, fomos conhecer um pouquinho da costa oeste dos Estados Unidos. Ficamos em San Francisco – fomos visitar um casal de amigos muito especial – e ainda fizemos uma mini roadtrip por algumas cidades ali perto. Aliás, queria aproveitar a oportunidade para apresentar o blog da Analuisa, minha amiga que mora lá e que fui visitar. Ficamos de quarta a domingo e a Ana fez um intensivão de três dias conosco na cidade – conseguimos ver muita coisa! E vou confessar: San Francisco superou minhas expectativas! Foi uma das cidades americanas que mais amei conhecer. A impressão que tive é que, a cada bairro que eu visitava, eu estava numa cidade diferente. Às vezes me sentia em Floripa, outras vezes em Miami, outras vezes em Nova York e até mesmo em Paris. A cidade é linda e tem muita coisa para fazer e ser vista! Vou dividir com vocês o que fizemos por lá!

De Nova York para San Francisco são cerca de 5 a 6 horas de vôo – e o fuso horário lá é de 3 horas a menos. Na chegada isso é muito bom, porque saímos daqui às 19:40 e chegamos lá quase 23h. Confesso que achei que eu iria sofrer com a diferença, mas foi tranquilo – principalmente para acordar cedo, o que não é meu forte. Ficamos hospedados na casa dos nossos amigos e, na quarta pela manhã exploramos a região da Embarcadero e dos piers. Nosso passeio começou próximo à Bay Bridge. Eu sei que a Golden Gate é a diva da cidade, mas a Bay Bridge também é linda – principalmente à noite, quando está toda iluminada. Fomos caminhando com calma e apreciando a vista para a baía até chegar ao Ferry Building Marketplace – lugar que me lembrou muito o Chelsea Market. O prédio foi inaugurado em 1898 para receber as quase 50 mil pessoas que chegavam à cidade de balsa, principal meio de acesso antes da conclusão das pontes Golden Gate e Bay Bridge. Ali há cafés, restaurantes, chocolaterias, adegas, padarias… uma delícia! Experimente as empanadas do El Porteño e aproveite para degustar os diversos tipos de azeite de oliva no Stonehouse California Olive Oil e também experimentar um dark chocolate cookie no Marla’s Cafe. E, claro, vá até os fundos do local para tirar fotos lindas com a baía de fundo. Ah, antes de chegar ao Ferry Building, ainda tiramos uma foto em frente ao Cupid’s Span, monumento enorme com uma flecha de cupido.

A baía de San Francisco tem vários piers e o mais famoso deles é o Pier 39 – e as maiores atrações – que a gente acabou não vendo – são  os sea lions e o carrosel. Há vários restaurantes – todos mais turísticos, digamos assim, mas uma boa pedida é ir até à Boudin Bakery e experimentar a Bread Bowl Clam  – sopa no pão, super famosa em San Francisco. Pedimos a de Clam Chowder e a de Chilli, super deliciosas (U$9 em média). Tem algumas lojinhas de souvenirs na área e também uns churros muito cheirosos (que não deu tempo de provar, mas fiquei curiosa quanto ao de Oreo!). Dali, pegamos um Uber e seguimos até um pequeno parque chamado Patricia’s Green, que tem um templo muito bonito e diferente em termos de arquitetura. Tiramos fotos muito legais! Mas o motivo maior da nossa ida até ali era o Smitten Ice Cream (432 Octavia St #1a), que serve sorvete feito com nitrogênio. Sem mentira nenhuma, foi um dos sorvetes mais gostosos que já provei em toda a minha vida. Escolhi um sabor com cookies (os sabores mudam todos os dias), do menor tamanho (U$5) e foi mais que suficiente.

Devidamente abastecidos, fomos a pé até a Alamo Square (10 minutos de caminhada), o famoso parque com vista para o icônico cenário de Full House. É tão fofo! O lugar é ótimo para sentar e descansar. Mas não tínhamos tempo a perder, hehehe. Seguimos para um lugar incrível, o Palace of Fine Arts, que, além de sediar exposições de artes, é uma atração para turistas e moradores e também um dos locais favoritos para ensaios fotográficos de noivos. A estrutura é gigantesca e tem todo um ar europeu. Lindo demais! E o lago na frente dá todo um charme ao local. Para fechar com chave de ouro nosso primeiro dia em San Francisco, faltava ela, a Golden Gate! Eu sou fascinada por pontes e estava muito ansiosa para vê-la de perto. É incrível, gente! Uma estrutura grandiosa, que combina perfeitamente com a paisagem. O lugar bacana para tirar fotos é a Coastal Trail, é onde as pessoas passam de bike para cruzar a ponte. Algumas pessoas me sugeriram visitar Sausalito, uma cidade que fica do outro lado da ponte e muitos dizem que lembra muito Búzios (não posso afirmar! hahaha). Mas eu sou do time que não gosta de encher o roteiro com um milhão de coisas pra fazer e depois só passar pelos lugares pra dizer que estive lá, sabem? Eu gosto de curtir e a Ana sugeriu que deixássemos Sausalito para outra ocasião. Fica aí a desculpa para voltar pra San Francisco! Um adendo sobre o transporte: San Francisco tem um sistema de transporte público muito legal, com ônibus, metrô e uns trenzinhos menores – bondinhos elétricos (linha F e Cable Car), todos integrados pelo mesmo sistema, o MUNI. Todos eles são acessíveis com o Clipper Card, o cartãozinho que você carrega (tipo o Metrocard daqui). A tarifa é de U$2,25.

Mesmo tendo andado o dia todo, ainda fomos no The View (39, 780 Mission St), uma espécie de rooftop que fica no 39º andar  do hotel Marriot Marquis. A entrada é gratuita, é bom chegar cedo para garantir uma mesa! Há algumas opções de petiscos porque o forte mesmo é o bar, ou seja, bebidas e drinks! Mas a parte mais legal desse lugar é a vista para a cidade toda iluminada! Sem palavras!

A quinta-feira foi o dia que escolhemos para visitar a ilha de Alcatraz, onde está localizado o prédio daquele que foi um dos presídios de segurança máxima mais famosos dos Estados Unidos. Nós compramos os tickets pelo site e pagamos U$33 cada um. Ele dá direito ao transporte de barco, acesso à ilha e ao presídio. Você compra por horário e, aí vai a dica óbvia: chegue com antecedência! Nós nos atrasamos e ficamos em espera para o barco seguinte. O trajeto dura uns 20 minutos, sai do Pier 33 e a vista para San Francisco é linda. Se o céu estiver limpo, a vista para a Golden Gate também é espetacular. A prisão de Alcatraz funcionou entre 1934 e 1963 e, por lá, passaram figuras como Robert F. Stroud, James “Whitey” Bulger e o lendário mafioso Al Capone. A princípio, a ideia de visitar uma prisão pode até soar um pouco chata, mas a sua experiência se transforma com o áudio guia – tem versão em português – que torna fantástico e incrível o tour pelo local. Esse passeio nos tomou cerca de 2 horas e meia e valeu muito – ainda mais pela vista incrível que se tem da ilha!

Dali, já famintos, fomos almoçar no Tropisueño, um restaurante mexicano bem bacana, num estilo self service. Atenção: o burrito é enorme e dá facilmente para dividir com alguém. Além das iguarias tradicionais da cozinha mexicana, há outros pratos (com arroz e feijão!). O guacamole é delicioso! Depois, demos uma passadinha pela Union Square e conferimos os Hearts in San Francisco. Este projeto foi iniciado em 2004 e, desde então, 131 lindas esculturas em formas de coração foram criadas por artistas da área. Continuamos nosso roteiro com um dos passeios mais clássicos da cidade: andar de Cable Car. O Cable Car é um bondinho turístico e uma ótima opção para dar uma voltinha na cidade e ter uma visão geral. É preciso saber que o Cable Car tem três linhas: a Powell-Hyde, a Powell-Mason e a California. As duas primeiras são as preferidas dos turistas e começam na esquina da Market com a Powell Street – mas não menospreze a linha California, ela também proporciona um ótimo passeio! Nós pegamos a Powell-Hyde, que passa pela Lombard Street – onde descemos. Ah, vale lembrar que o valor do Cable Car é U$7 e o passeio é muito gostoso. Quando embarcar, tente sentar na parte aberta – se estiver muito cheio, vale dar uma esperadinha pelo próximo, pois é o melhor lugar para aproveitar o passeio. A Lombard Street foi a nossa parada, como mencionei, e a vista lá de cima é incrível. A rua é super íngrime e toda bonitinha e rende ótimas fotos na parte de baixo também. Não muito longe dali fica a famosa Ghirardelli Square (900 North Point St) – é uma marca de chocolates de San Francisco que tem lojinha e café. Pule o primeiro café, onde todo mundo entra, e siga para os fundos, até o outro café, mais vazio e com vista maravilhosa! O ponto forte fica por conta dos sorvetes deliciosos – e super bem servidos, porções enormes. Dá pra dividir com toda certeza! À noite, fomos jantar no The Slanted Door, um restaurante vietnamita bem bacanudo. Ele fica localizado no Ferry Building e é imprescindível fazer reserva! O local é disputado por conta da vista fantástica para a Bay Bridge. Nós estávamos em dois casais e pedimos três pratos para dividirmos entre todos nós e foi suficiente!

A sexta-feira foi chuvosa e a gente aproveitou para explorar algumas lojas, como a Ross (799 Market St), super famosa pelos preços atrativos – e que não tem loja em Nova York. É bom ir pela manhã, quando a loja está super organizada. Gostei muito! Há uma seleção vasta de calçados, bolsas e também vestuário, tudo de marcas mais conhecidas, como Levi’s, Calvin Klein e por aí vai. Os preços são realmente muito bons! Com paciência, dá pra encontrar muita coisa e fazer boas compras. Aliás, a região é cheia de lojas de desconto, como Nordstrom Rack, Marshall’s, Saks Off Fifth e também a Target. Depois de almoçarmos pela região, no Westfield San Francisco Centre (shopping bem legal!), seguimos até o Castro, o bairro gay onde em uma interseção da Castro St. com a 18th St. e as faixas de pedestres são das cores do arco-íris! O bairro é uma graça e vale gastar algum tempo por ali – inclusive para visitar a loja Human Rights Campaign Action Center and Store, loja cheia de produtos que enaltecem a luta pela igualdade e cuja arrecadação vai para este tipo de projeto. Aliás, San Francisco em si é uma cidade bem engajada nesta causa, muito amor! Eu e a Ana terminamos o dia num salão de beleza, o Public Barber Salon – já fica a dica para quem quer cortar o cabelo por um preço justo – e ainda beber uma cervejinha na faixa. Claro que o salão é unissex, seguindo a vibe da cidade. Na volta, caminhamos muito por Chinatown – e já descobri loja da Shiseido e outra loja coreana na cidade, vale pesquisar!

Outro ponto super importante: o clima da cidade! San Francisco é o tipo de lugar em que a meia estação prevalece o ano todo. Não há um verão ou inverno de matar. É bacana ter roupas leves (jeans, camisas, camisetas) e sempre carregar uma jaquetinha, pois o vento é protagonista!

Foram três dias super intensos e muito bem aproveitados, que me fizeram ficar encantada por San Francisco. Quando dizem que a California tem outra vibe, não é mentira. Moro em Nova York há dois anos e me sinto em casa aqui, mas foi notável a diferença da simpatia das pessoas em San Francisco. Quero voltar para explorar muito mais desta cidade e recomendo que fiquem mais dias – só não ficamos mais porque não dava. 

Semana que vem tem mais um pouquinho da California, com post contando sobre a nossa mini roadtrip passando pelas cidades de Carmel, Monterey e Santa Cruz!


6 Comentários

Leave a Response