estudarModa

Estudando moda em Nova York – como foi o curso no FIT!

E depois de três semanas intensas, produtivas e exaustantes, cá estou para contar a minha experiência como aluna do ESL Fashion Business Program do FIT – Fashion Institute of Technology, aqui em Nova York. Engraçado que quando eu dizia que o curso estava indo pra reta final, a maioria comentava: mas já? Hehe, pra vocês pode parecer que foi ontem que contei aqui no blog que estava começando a realizar este sonho, mas para mim, acreditem, foram três longas semanas e vocês vão entender agora o porquê…
Bom, eu já adiantei em outro post como funciona este programa, mas vou resumir aqui novamente: o  ESL – Fashion Business Program é um curso que acontece anualmente, no verão, e dura em média 3 semanas. Durante este período, você tem aulas todos os dias, de manhã e à tarde. Durante a manhã, das 9 ao meio-dia, são aulas de inglês e os alunos são divididos em turmas conforme a fluência. À tarde, das 13h30 às 16h30, rolam as aulas de moda. E aí há 5 linhas de estudos: Fashion Design, Fashion Merchandising, Fashion Promotion:: Advertising, Fashion Styling, and Social Media, Fashion Trend Forecasting e Global Fashion Business Marketing, sendo que estas duas últimas eram consideradas “advanced tracks”. Optei pelo curso de Fashion Trend Forecasting e, para minha surpresa, éramos somente 7 alunas – que ao final viraram 6, pois uma desistiu.
No primeiro dia, rolou meio que uma enrolation: tivemos uma espécie de boas-vindas, apresentações, orientações gerais e o teste de nivelamento de inglês, além de recebermos nossos horários, disciplinas e as visitas programadas. Cada turma de inglês tinha, em média, 15 alunos – o programa todo incluía mais de 150 pessoas, de todas as partes do mundo, a maioria de Taiwan, mas muitas brasileiras. Para ser sincera, eu esperava mais das aulas de inglês. Nosso professor explorava todas as habilidades: speaking, writing, reading e listening. Ele era legal, engraçado, mas, no geral, achei as aulas um pouco fracas, não me senti desafiada. Por outro lado, contando o trabalho que tivemos na parte de moda, talvez tenha sido bom ter aulas mais mornas. Enfim, entre as aulas de inglês da New York Public Library (que eu retomo na próxima semana) e as do FIT, acho que fico com as primeiras. Porém, não me interpretem mal. Não estou dizendo que foram ruins: assistimos vídeos relacionados à moda, escrevemos bastante, lemos… eu só esperava algo mais desafiador, mas como não tenho muita experiência em aulas de inglês aqui, fico meio assim…
Agora, partindo para a parte das aulas de moda… o curso foi simplesmente fantástico! Tivemos aulas de ferramentas de pesquisa e conhecemos todos os recursos que um Cool Hunter usa na hora de fazer sua pesquisa: de site de tendências a publicações impressas. A biblioteca do FIT é riquíssima e como aluna, eu tinha acesso a serviços como o WGSN (referência mundial quando o assunto é pesquisa de tendências e cuja assinatura é caríssima) e o Women’s Wear Daily, um jornal sobre negócios de moda com news quentíssimas. Pena é que por conta da correria mal pude aproveitar tudo que o local oferece! Também tivemos aulas de tendências em Nova York, o processo que envolve o fashion trend forecasting, cores, blogs e social media, designers importantes… enfim! Todos os professores eram ótimos, não teve um que eu não gostei. E tinha também a nossa top professora e orientadora, Agustina Cattaneo, argentina mega experiente nesta área de pesquisa de tendências, que passou todas as vivências dela e conseguiu explicar tim tim por tim tim como atuar nesta área.
E o que tirou meu sono durante todo esse tempo foi o tal do projeto final! Foi desafiador, trabalhoso, mas com aquela sensação de dever cumprido no final. Nossa pequena turma foi dividida em dois grupos. O nosso grupo ficou com a marca Monki, do mesmo grupo da H &M. Nossa missão era apresentar uma pesquisa completa para trazer a marca pra cá. Ou seja, tínhamos que analisar a concorrência, o melhor local para abrir a loja, além de sugerir como tudo seria: o interior, as ações especiais, o evento de lançamento, estratégias, rosto da marca, blogueira… Olhando assim, parece que o Google pode ser o melhor amigo, né? Só que não. A professora queria  a gente nas ruas, como verdadeiras cool hunters, observando e fotografando tudo e sempre tirando ideias de inspirações que vimos aqui. A ideia até podia surgir da nossa mente, mas tínhamos que encontrar algo parecido para comprovar aquilo, sabem? Porque tendência não envolve só roupa. Por exemplo, a gente implementou uma área de DIY no nosso projeto, para os clientes customizarem jeans e t-shirts. E, ao mesmo tempo, identificamos que aqui em Nova York isso é algo muito forte: tem loja pra customizar batom, pra customizar cinto, tênis (Converse). Manjaram?
Paralelo a isso, teve ainda a parte de tendências. A gente teve que pesquisar no WGSN e eleger duas tendências que estão acontecendo agora em Nova York. Depois, ir pras ruas e identificar estas tendências… nas lojas, nas ruas, nas pessoas, na decoração. Daí, tivemos que eleger uma das tendências para dar um update pro próximo verão e montar um moodboard. A gente escolheu a tendência Nature Girl e atualizou para Modern Gipsy in the City. E ainda sugerimos algumas peças-chave. Ufa!
Vale lembrar que todas as aulas sempre tinham um direcionamento também para o projeto, para auxiliar na criatividade e concepção das ideias, hehe. Ainda tivemos visitas ao Metropolitam Museum, ao Westfield Garden State Plaza (New Jersey), Premiere Vision (feira de tecidos), sem contar as idas ao laboratório do Museu do FIT – que é gratuito e sempre tem exposições bem bacanas – onde vimos de perto várias relíquias da moda, como Chanel, Valentino, Dior e por aí vai.
Enfim, terminei este curso com a certeza de que fiz um bom investimento! Foram 3 semanas de muito conhecimento, que abriram minha mente, fizeram eu ter mais ideias e outra visão do mundo. Definitivamente, não sou mais a mesma pessoa: meu olhar mudou, meu jeito de olhar as coisas mudou.
Para quem tiver interesse, vale ficar de olho na página.

17 Comentários

  1. Maravilhoso, adorei! Muito orgulhosa da senhorita! Acho que eu deixei passar o post em que você explicava sobre o curso, mas agora tô atualizada, hehehe… E as meninas da tua equipe, eram brasileiras?

  2. Oi Laura!
    Adorei seu post e fiquei super inspirada. Eu estou morando em Ny, até Março, e gostaria de fazer um curso de férias em Janeiro na FIT. Mas o site deles é terrível, rs
    No fim do seu post tem um link, mas está fora do ar.
    A minha dúvida é se é possível eu fazer um curso como o seu no inicio do ano que vem. Porque a maioria que eu encontro são para as férias de verão.

    Obrigada!

    1. Oi! Já vou arrumar o link! Este programa é só mesmo nas férias de verão… vc tem que fuçar o site e ver se tem outra coisa… mas acho que não! O que vc pode fazer é algumas cadeiras das certificações, por exemplo

  3. oi laura, tudo bem? estou super interessada em fazer esse curso de 3 semanas! Você precisou se inscrever quanto tempo antes? É muito difícil conseguir entrar? Precisa de uma seleção..
    E sobre moradia…vi que tem dormitório individual lá…mas vi que tem que dividir o banheiro,rs. Você acha que consegue fácil uma moradia bacana (um quarto e banheiro só meu) nessa faixa de 2100 dólares…ou até casa de família também por perto da facul?
    bjuu

    1. As informações sobre prazo de inscrição estão todas no site indicado ao final do post. Sobre a moradia, você precisa pesquisar e não necessariamente ficar restrita a área próxima ao FIT, pois a cidade é coberta de metrô. Eu não moro ao lado e ia todos os dias, sem estresse.

  4. Olá Laura, tudo bem? Adorei seu relato e gostaria de tirar uma dúvida contigo, pode ser? Tenho uma filha de 15 anos e ela quer cursar moda, parte no Brasil e outra parte em NY. Achei muito legal esse curso de verão e pensei em ela fazer no ano que vem (2018) para vivenciar e decidir se quer cursar moda mesmo. Minha pergunta é: tu acha interessante esse curso para uma adolescente??
    Obrigada
    Bjuus

Leave a Response